Cuidar do outro é cuidar de si mesmo: desenvolvendo os aspectos socioemocionais a partir das relações / Taking care of the other is taking care of yourself: Developing socioemotional aspects from relationships

Priscila Moura Vasconcelos, Elenise Tenório de Medeiros Machado, Isabelle Cerqueira Sousa

Abstract


Visa compreender a socialização das interelações dos alunos em sala de aula com a proposta de reforçar a importância dos valores de convivência em grupos. A relação social de convívio veio desde os primórdios, que para sobreviver eles lutaram e uniram-se aos outros fortalecendo a sua espécie e buscando seus ideais. Então foi a partir daí que as primeiras noções de grupos foram formadas. Acreditando que a relação do homem é dialética entre o sujeito e a sociedade que vive, como afirma nos estudos que foram realizados durante o processo de construção do artigo. A educação de uma criança parte de uma união entre a família e a escola, onde os dois juntos criam laços de parceria e participam da formação cidadã e profissional de cada criança. Sendo assim, nos estudos o senso comum ainda é um fator que prejudica a evolução das crianças, da aprendizagem e dos vínculos, pois necessita buscar compreender o outro para o convívio trazer benefícios.


Keywords


Interelação. Escola. Família.

References


ABRAHIM, Daniele Salvalagio. A relação professor-aluno: uma história de amizade. Marília, 2009.

BOCK, Ana Mercês Bahia; FURTADO, Odair; TEIXEIRA, Maria de Lourdes Trassi. Psicologias – uma introdução ao estudo de psicologia. Editora Saraiva, digital source, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2017.Disponível em:http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=79601-anexo-texto-bncc-reexportado-pdf-2&category_slug=dezembro-2017-pdf&Itemid=30192Acesso em: 20 de maio de 2020.

DESSEN, M.A; POLONIA, A. C. A família e a escola como contextos de desenvolvimento humano. Paideia. 2007; Disponível: http://www.scielo.br/pdf/paideia/v17n36/v17n36a03.pdf. Acesso em: 15 de junho de 2020.

GONÇALVES, Lívia Caroline Souza; CANAL, Cláudia Patrocínio Pedroza; MISSAWA, Daniela Dadalto Ambrozine. Investigação sobre estresse em crianças com dificuldade de aprendizagem. Constr. Psicopedag. vol.24 no.25 São Paulo 2016. Disponível: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-69542016000100011 Acessado em: 08 de abril de 2020.

KLEIN, M. (1927). Tendências criminais em crianças normais. Em Contribuições à Psicanálise (Vol. I, pp. 197-213). São Paulo: Mestre Jou 1970.

PACIEVITCH, Thais. EDUCAÇÃO INFANTIL. Navegando e aprendendo. InfoEscola, 2016.

PARIS, Tania. Trabalhar o emocional das crianças ajuda no aprendizado em sala de aula. Escola da inteligência, educação socioambiental; Ribeirão Preto – SP, 2010.

SKINNER, B. F. Ciência e comportamento humano; tradução João Carlos Todorov, Rodolfo Azzi. – 11ª edição – São Paulo: Martins Fontes, 2003. – Coleçãoo biblioteca universal.

SOUZA, M. A., Soldatelli, M. I. S., & Lopes, A. R. (1997). Psicodinamismo familiar de crianças agressivas. Anais do I Congresso de Psicologia Clínica do Mackenzie (pp. 61-64). São Paulo.

TERRA, Márcia Regina; O DESENVOLVIMENTO HUMANO NA TEORIA DE PIAGET. 2002, 1º ed. UNICAMP.

VYGOTSKY, Lev S. A Formação Social da Mente, 224 págs., Ed. Martins Fontes, tel. (11) 3241-3677. 1991.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-293

Refbacks

  • There are currently no refbacks.