Hipossalivação em pacientes oncológicos sob tratamento quimio e radioterápica na fundação centro de controle de oncologia do estado do Amazonas (FCECON)/ Hyposalivation in oncological patients under chemical and radiotherapy treatment at the Amazonas state oncology control center foundation (FCECON)

Fernanda Lopes de Sousa, Suzene Barbosa Santana, Ângela Xavier Monteiro, Giovanna Gonçalves Duarte, Eduardo Jorge Sant`Ana Honorato, Érica da Silva Carvalho

Abstract


Introdução: A quimioterapia e radioterapia são métodos utilizados no tratamento dos mais diversos tipos de cânceres. Reações adversas como a hipossalivação, xerostomia, mucosita, candidíase oral, alteração do paladar, disfagia e osteorradionecrose podem se manifestar durante o tratamento. Objetivo: Identificar a hipossalivação como manifestação secundária em pacientes oncológicos nos tratamentos de quimio e radioterapia na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas. Método: Realizou-se estudo transversal prospectivo por meio de exame clínico e teste de sialometria em pacientes de quimio e radioterapia no setor ambulatorial do hospital.Resultados: Dos 40 pacientes secundários 37 alternados bucais (Hipossalivação e xerostomia), todos receberam Higienização Oral (com digluconato de clorexidina à 0, ® pomada nos lábios), orientação quanto ao estímulo mastigatório (sialogogo) e solicitação para o aumento da ingestão hídrica. Conclusão: adesão de um protocolo clínico odontológico de âmbito multidisciplinar que identifique, acompanhe e trate dos pacientes em quimio e radioterapia, prevenindo e controlando conforme as mudanças bucais.


Keywords


Hipossalivação, Quimioterapia, Câncer.

References


Almeida MVM. Manifestações orais nas doenças reumáticas. Salvador, 2012.

Carvalho ES. Prevalência do índice de CPOD em pacientes infectados pelo vírus da imunodeficiência humana em Manaus-Am, 2014.

Santos PSS, Soares LAV. Medicina Bucal – A Prática na Odontologia Hospitalar. Cap. 8, págs.: 117-119. São Paulo: Santos, 2013.

Azevedo MNL, Pedrazas e HS, Torres SR. Manejo do paciente com hipossalivação. Revista PerioNews 2007;1(4)369-73.

INCA.Controle do câncer: uma proposta de integração ensino – serviço. 2a ed. Ver. Atual. Rio de Janeiro. Disponível: acesso em 05.06.2015.

Cardoso MFA et al. Prevenção e controle das sequelas bucais em pacientes irradiados por tumores de cabeça e pescoço. Radiol Bras 2005; 38 (2): 107-115.

Santos GEO. Cálculo amostral: calculadora on-line. Disponível em < http://www.calculoamostral.vai.la>. Acesso em: 29.05.2015.

Castro RG. Idosos Institucionalizados: Consumo de Medicamentos/ Hipossalivação e Xerostomia. Florianópolis, 2003.

Pupo DB, Bussoloti Fo IL, Liquidato BM, Korn GP. Proposta de um método prático de sialometria. Ver. Bras. Otorrinolaringol. V. 68, n.2, 219-22, mar/abr. 2002.

Soares MSM, Lima JMC, Pereira SCC. Avaliação do fluxo salivar, xerostomia e condição psicológica em mulheres com Síndrome da Ardência Bucal. Revista de Odontologia da UNESP. 2008; 37(4): 315-319, 2008.

Couto JAM, Lopes FF. A influência da faixa etária na velocidade do fluxo salivar em adultos. RFO, Passo Fundo, v. 15; n. 2, p. 135-138, maio/ ago. 2010.

Rath IBS. Avaliação do pH e fluxo salivares em crianças infectadas pelo HIV e sua relação com a doença das glândulas salivares associados ao HIV e ao Índice de Cárie Dental. Florianópolis, 2004.

Serratine ACP, Silva MRM. Avaliação da Efetividade de um Sialômetro Desenvolvido para medir a Taxa de Fluxo Salivar em Crianças. Pesquisa Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa, 8 (1): 75- 79, jan/ abr., 2008.

Alves PM, Araújo CRF, Pereira JV, Gomes DQC, Souza FEC. Avaliação de streptococcusmutans e velocidade do fluxo salivar em pacientes com câncer cabeça e pescoço submetidos à quiomioterapia e radioterapia. Pesquisa Brasileira em odontopediatria e clínica integrada. João Pessoa, 2008.

Castro EVFL, Ciesielski FIN, Jardim ECG, Jardim EGJ, Sousa FRN, Ramos MMB, et al. Efeitos da radioterapia sobre as condições bucais de pacientes oncológicos. RPG, Rev. pós-grad. Vol.18 n.2 São Paulo, 2011. Holmes S. The Management of xerostomia in older adults. Reviews in clinical gerontology 1999; 9: 317-26.

Costa JL, Ramalho LMP, Rolim AEH. Repercussões da radioterapia na região orofacial e seu tratamento. Colégio Brasileiro de Radiologia e diagnóstico por Imagem. Radiol Brasil., Nov/Dez;44(6):388–395, 2011.

Jensen SB, Vissink A, Limesand KH, Reyland ME. Salivary Gland Hypofunction and Xerostomia in Head and Neck Radiation Patients. J Natl Cancer Inst Monogr. 2019; 2019(53): lgz016

Centurion BS, Garcias AS, Santos PS, Rubira IF. Avaliação Clínica e Tratamento das Complicações Bucais Pós- quimioterapia e radioterapia. Relato de caso clínico. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent. Vol.66 n.2. São Paulo, 2012.

Leite MLMS. A Xerostomia como Sequela do Tratamento Radioterápico e suas Implicões nas Funções Estomatognaticas. Campinas, 2002.

Feio M, Sapeta P. Xerostomia em cuidados paliativos. Acta MedPort 2005; 18: 459 – 466.

Jaguar GC, Estudo Prospectivo do uso Betanecol na Fisiologia de glândulas salivares em pacientes irradiados em região de cabeça e pescoço, São Paulo, 2010




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-291

Refbacks

  • There are currently no refbacks.