Pesca artesanal, políticas públicas e a pandemia de COVID-19: desafios para as comunidades costeiras de Sergipe / Artisan fisheries, public policies and the COVID-19 pandemic: challenges for Sergipe's coastal communities

Ticiano Rodrigo Almeida Oliveira, Jailton De Jesus Costa, Gênisson Lima de Almeida

Abstract


A pesca artesanal na costa de Sergipe, Nordeste do Brasil, é uma atividade caracterizada pela baixa tecnologia empregada e pelas relações tradicionais, possuindo alta importância econômica. Com a crise oriunda da Covid-19, estas comunidades foram atingidas, afetando sua produção e comercialização. O objetivo deste estudo é analisar os impactos da COVID-19 na pesca artesanal no litoral norte deste estado, discutindo políticas públicas de comercialização do pescado e sua não aplicabilidade, que causa retrocesso econômico na região. O estudo é de natureza qualiquantitativa, sendo descritivo quanto aos objetivos. Para tal, realizou-se pesquisa bibliográfica e documental, além de questionários pré-estabelecidos junto a pescadores artesanais. Como resultado, percebe-se que a crise da COVID-19 expõe comunidades pescadoras em maior situação de fragilidade, e para combatê-la, estas usam estratégias locais de economia solidária. Conclui-se que as políticas públicas devem atuar com mais ênfase no setor, garantindo saúde, segurança alimentar e geração de renda, amenizando a crise e recuperando economias locais.


Keywords


Pesca artesanal, políticas públicas, Sergipe, Covid-19.

References


AROUCHA, E.P.T.L. Agricultura Familiar na Alimentação Escolar: Entre as Oportunidades e os Desafios. Dissertação de Mestrado em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental. Universidade do Estado da Bahia - Campus VIII. 2012.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PISCICULTURA – PEIXE BR. Anuário Brasileiro da Piscicultura PEIXE BR 2020. São Paulo, 2020.

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL BRASIL – ACEB. 1º Anuário Brasileiro da Pesca e Aquicultura. 2014

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Resolução 4801/2020. Disponível em: . Acessado em 28/04/2020.

BRASIL. Decreto de Lei nº. 10.316/2020. Disponível em: . Acessado em 28/04/2020.

BRASIL. Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. 2007.

BRASIL. Lei Federal nº. 10.969/2003. Disponível em: . Acessado em 28/04/2020.

BRASIL. Lei Federal nº. 11.947/2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L11947.htm. Acessado em 28/04/2020.

BRASIL. Medida Provisória nº. 908/2019. Disponível em: . Acessado em 28/04/2020.

BRASIL. Ministério da Pesca e Aquicultura/SINPESQ. Registro Geral da Atividade Pesqueira. 2016. Disponível em: https://sistemasweb.agricultura.gov.br/rgp/web/sargp/index.php/atividade_pesca_profissional/atividade/create. Acesso em 28/06/2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Boletim – Corona Vírus. Disponível em:. Acesso em 25/01/2021.

BRASIL. Política de Desenvolvimento Sustentável da Pesca e Aquicultura. Lei Federal nº. 11959. Disponível em: . Acessado em 28/04/2020.

CPP – Conselho Pastoral dos Pescadores, Assessoria de Comunicação. Pescadores e pescadoras artesanais: arte e sustento em terras e águas brasileiras. 2015. Disponível em: . Acesso em: 10/07/2020.

FAO – Food and Agriculture Organization, United Nations. The State of World Fisheries and Aquaculture 2018 - Meeting the sustainable development goals. Rome. Licence: CC BY-NC-SA 3.0 IGO. 2018.

FERRARI, A.; CUNHA, A. M. A pandemia de COVID-19 e o isolamento social: saúde versus economia. 2020. Disponível em: . Acesso em: 27/04/2020.

FERREIRA JUNIOR, R. R.; SANTA RITA, L. P. Impactos da COVID-19 na Economia: limites, desafios e políticas. Cadernos de Prospecção – Salvador, v. 13, n. 2, Edição Especial, p. 459-476, abril, 2020.

FNDE. Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação. Programa Nacional de Educação Escolar. Disponível em:. Acessado em 28/04/2020.

FREITAS, A. R. R.; NAPIMOGA, M.; DONALISIO, M. R. Análise da gravidade da pandemia de COVID-19. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, vol. 29, n. 2, e 2020119, 2020.

FUNDAÇÃO PALMARES. Tabela de Cadastro de Comunidades Quilombolas. Disponível em: . Acesso em 20/08/2020.

IBAMA – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Relatório Comunidades Atingidas pelo Petróleo em 2019. Disponível em: . Acessado em 28/04/2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010. Disponível em: . Acessado em 27/04/2020.

LOPES, I. G.; OLIVEIRA, R. G. de; RAMOS, F. M. Perfil do consumo de peixes pela população brasileira. Biota Amazônica. Macapá, v. 6, n. 2, p. 62-65, 2016.

MORENO, L. T. A Atividade Artesanal Pesqueira Versus a Aquicultura Empresarial: as disputas que envolvem a pesca brasileira. CAMPO-TERRITÓRIO: Revista de Geografia Agrária, v. 14, n. 32, p. 178-207, abr., 2019.

OMS. Organização Mundial de Saúde. Boletim de enfermidade por Coronavírus. Disponível em: . Acessado em 25/01/2021.

ONU. Organizações das Nações Unidas. “Um novo normal: ONU estabelece roteiro para estimular economias e salvar empregos após COVID-19”. 2020. Disponível em: . Acesso em: 27/04/2020.

ONU. Organizações das Nações Unidas. The Millennium Development Goals Report. 2015. Disponível em: . Acessado em 27/04/2020.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia de Pesquisa. São Paulo: McGraw-Hill Interamericana do Brasil Ltda., 2006.

SANTOS, S. L. O; GIORDANO, F; BEGOSSI, A. Understanding sustainable consumption of seafood in São Vicente Island, São Paulo, Brazil. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v.7, n.1, p.7554-7570. jan. 2021

SEAP. Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca da Presidência da República. Disponível em: . Acessado em 28/04/2020.

WEIL, D. Health and economic growth. In: AGHION, P.; DURLAUF, S. N. (ed.). Handbook of economic growth. Amsterdam: Elsevier. v. 2B, p. 623-682. 2014.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-290

Refbacks

  • There are currently no refbacks.