Cirurgia monocular para exotropias de médio ângulo/Monocular surgery for medium angle exotropias

Gustavo Coelho Caiado, Tobias Botter Fernandes, Valéria Barcelos Daher, Valeriana de Castro Guimarães

Abstract


A exotropia é o desvio divergente dos eixos visuais ao fixar um objeto, podendo ser intermitente ou permanente. Em relação ao ângulo do desvio, pode ser classificada em pequeno ângulo (de 9 a 20 DP), médio ângulo (de 21 a 40 DP) ou grande ângulo (de 41 DP ou mais). Seu tratamento é clínico e cirúrgico, sendo que, basicamente, dois tipos de cirurgia podem ser realizados: retrocesso dos músculos retos laterais ou cirurgia de recuo-ressecção monocular. Este estudo tem como objetivo avaliar o resultado pós-operatório dos pacientes com exotropia constante de médio ângulo submetidos a cirurgia monocular de recuo-ressecção no Hospital Regional de Presidente e avaliar a necessidade de alterações nesta, de acordo com os resultados encontrados. Foi realizado um estudo analítico e retrospectivo de série de casos com análise dos prontuários. Para análise dos dados os pacientes foram divididos em grupos: amblíopes/não amblíopes e jovens/adultos e foram avaliados os resultados cirúrgicos considerando o ângulo de desvio pré-operatório, pós-operatório de 6 meses e da última avaliação do paciente em cada grupo e de forma geral. Obtivemos 87,1% de bons resultados no pós-operatório de 6 meses e 69,2% na última avaliação. Não houve diferença significativa entre os resultados de 6 meses e da última avaliação dos pacientes(p=0,368). Também não houve diferença significativa entre os pacientes jovens e adultos nos resultados de 6 meses ou na última avaliação. Já os pacientes amblíopes tiveram melhor resultado pós-operatório que os não amblíopes na última avaliação (p=0,008). Assim, conclui-se que a programação cirúrgica utilizada apresenta resultados satisfatórios, com estabilidade após 6 meses de pós-operatório, havendo apenas diferença significativa na última avaliação de pacientes amblíopes e não amblíopes.


Keywords


Exotropia, tratamento cirúrgico, médio ângulo, cirurgia monocular

References


Gezer, Acun et al. Factors influencing the outcome of strabismus surgery in patients with exotropia. Journal of American Association for Pediatric Ophthalmology and Strabismus, v. 8, n. 1, p. 56-60, 2004.

Jeoung JW, Lee MJ, Hwang, J-M. Bilateral lateral rectus recession versus unilateral recess-resect procedure for exotropia with a dominant eye. American journal of ophthalmology, v. 141, n. 4, p. 683-688, 2006.

Jung EH, Kim S-J, Suk Y. Factors associated with surgical success in adult patients with exotropia, v. 20, n. 6, p. 511-514, 2016

Keenan JM, Willshaw HE. The outcome of strabismus surgery in childhood exotropia. Eye (Lond). 1994;8(Pt 6):632-7. Comment in Eye (Lond). 1996;10(Pt 1):151.

Oh JY, Hwang JM. Survival analysis of 365 patients with exotropia after surgery. Eye (Lond). 2006;20(11):1268-72.

Portes AV, Franco AMBV, Tavares MF, Souza-Dias CR, Goldchmit Mauro. Resultados da correção cirúrgica da exotropia permanente em pacientes amblíopes e não amblíopes. Arq Bras Oftalmol. 2011, 74(4):267-70

Sallen, Quratul Ain et al. Outcome of unilateral lateral rectus recession and medial rectus resection in primary exotropia. BMC research notes, v. 6, n. 1, p. 257, 2013.

Scott WE, Keech R, Mash AJ. The postoperative results and stability of exodeviations. Arch Ophthalmol. 1981;99(10):1814-8.

Spierer, Oriel et al. Moderate-angle exotropia: a comparison of unilateral and bilateral rectus muscle recession. Ophthalmic Surgery, Lasers and Imaging, v. 41, n. 3, p. 355, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-255

Refbacks

  • There are currently no refbacks.