A humanização do parto no Hospital Maternidade Mãe Luzia, em Macapá – AP / The humanization of childbirth at the Maternidade Mãe Luzia Hospital, in Macapá – AP

Carlos Corrêa Cruz, Kátia Paulino dos Santos

Abstract


Sabe-se que com a hospitalização da mulher durante o processo de trabalho de parto, o acolhimento apresenta-se como um dispositivo imprescindível para garantia da dignidade e dos direitos das parturientes, podendo proporcionar melhor relação entre os profissionais de saúde e a mulher quanto ao parto humanizado. O objetivo deste artigo é analisar a operacionalização do Programa de Humanização do Parto, preconizado pelo Ministério da Saúde, para a garantia dos direitos e dignidade das parturientes no Hospital Maternidade Mãe Luzia (HMML), em Macapá/AP. Utilizou-se pesquisa qualitativa, por meio de estudo de caso, que teve como objeto a Maternidade Mãe Luzia. Os dados foram coletados por meio de entrevistas com roteiro semiestruturado e observação in loco. As entrevistas foram realizadas com profissionais de saúde e mulheres grávidas. Almeja-se com este estudo contribuir para o alerta sobre a necessidade de melhoria da estrutura física da maternidade, bem como da qualificação de profissionais de saúde, para que estes possam colocar seu conhecimento a serviço do bem-estar da mãe e do bebê, de forma a minimizar a dor, proporcionar maior conforto e segurança nos procedimentos, esclarecimentos e orientações.


Keywords


Direito da Mulher, parto humanizado, humanização da assistência, política de saúde.

References


AMAPÁ, Secretaria de Estado da Saúde do Amapá. Hospital da Mulher Mãe Luzia: Serviço de Arquivo Médico e Estatística. Macapá: Secretaria de Estado da Saúde do Amapá, 2018.

ARAÚJO, C.L.F. et al. Impacto social da formação permanente de enfermeiras obstetras no Brasil: vivências e experiências inovadoras após o Curso de Qualificação Profissional – EEAN/UFRJ. Disponível em: https://hic.org.br/wp-content/uploads/2019/11/Impacto-Social-da-Forma%C3%A7%C3%A3o-Permanente-de-Enfermeirasos-Obstetras-no-Brasil.pdf. Acessado em: 27/03/20. Rio de Janeiro, p. 58, 2019.

______. Lei do Acompanhante nº 11.108/2005. Disponível em: . Acessado em: 18/04/2019.

______. Constituição da República Federal do Brasil de 1988. Brasília, 1988. Disponível em: . Acessado em: 2604/2019.

______. Ministério da Saúde. Humanização do parto e do nascimento / Ministério da Saúde. Universidade Estadual do Ceará. – Brasília : Ministério da Saúde, 2014. 465 p. : il. – (Cadernos HumanizaSUS ; v. 4). Disponível em: . Acessado em: 09/05/2019.

______. Senado Federal. Debate sobre parto humanizado é marcado por críticas ao alto número de cesarianas. Senado Federal. 2014. Disponível em: . Acessado em: 12/05/2019.

BRÜGGEMANN, O. M.; PARPINELLI, M. A.; DUARTE, M. J. O. Evidências sobre o suporte durante o trabalho de parto/parto: uma revisão da literatura. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 5, 2005. p. 1316-1327.

DATASUS. Leitos hospitalar da SES HOSPITAL DA MULHER. Disponível em: . Acessado em: 27/03/2020.

DIAS, M. A. et al. Trajetória das mulheres na definição pelo parto cesáreo: estudo de caso em duas unidades do sistema de saúde suplementar do estado do Rio de Janeiro. Ciência & Saúde Coletiva,13(5), 1521-1534, 2008. Disponível em: . Acessado em: 12/05/2019

LANSKY, Sônia. Pesquisa Nascer no Brasil: perfil da mortalidade neonatal e avaliação da assistência à gestante e ao recém-nascido. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 30 Sup:S192-S207, 2014. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/csp/v30s1/0102-311X-csp-30-s1-0192.pdf>. Acesso em: 12/05/2019.

PAIM, Jairnilson Silva. A Constituição Cidadã e os 25 anos do Sistema Único de Saúde (SUS). Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 29(10): 1927-1953, out, 2013. Disponível em: < http://www.scielosp.org/pdf/csp/v29n10/a03v29n10.pdf>. Acessado em: 15/05/2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-196

Refbacks

  • There are currently no refbacks.