Principais intercorrências durante sessões de hemodiálise em pacientes com comorbidades / Main complications during hemodialysis sessions in pacients with comorbidities

Kerolaine Alexsandra Soares Santos, Willdran Bezerra Souza, Carla Sousa Silva, Andreia do Amaral Alves, Gabriela Noronha Fortes, Marcos Fraga Fortes, Patrícia Mineiro Oliveira, Antonia Regiane Pereira Duarte Valente

Abstract


Este trabalho buscou detectar as principais complicações intradialíticas em pacientes com doença renal crônica portadores de comorbidades, bem como as principais ações de enfermagem para prevenir e reverter esses eventos. Metodologia: estudo observacional, longitudinal-prospectivo, quantitativo, descritivo e analítico, realizado no setor de hemodiálise de um Hospital público no Oeste do Pará. Foram assistidas 12 sessões de hemodiálise, com amostra de 12 pacientes que atenderam aos critérios de inclusão e observou-se as principais ações de enfermagem executadas por 12 profissionais para prevenir e manejar as complicações intradialíticas. O trabalho obteve aprovação do comitê de ética e pesquisa com parecer número: 3.841.830. Resultados: Para manejar episódios de hipotensão 100% dos profissionais adotam medidas, na ocorrência de cãibras a infusão de volume é a iniciativa de primeira escolha dos profissionais (75%), febre e calafrios (100%) dos profissionais verificam a temperatura, verificação glicêmica somente quando o paciente refere queixa foi um problema evidenciado, todavia, quando ocorre, 100% dos profissionais realizam estabilização. Quando há coagulação do circuito extracorpóreo 83, 3% dos participantes da equipe de enfermagem afirmaram suspender a hemodiálise com ou sem o retorno do sangue para o paciente. Conclusão: Recomenda-se o aprimoramento das estratégias de prevenção e manejo clínico de complicações intradialíticas.


Keywords


Cuidados de enfermagem, Diálise extracorpórea, Eventos adversos

References


BUCHARLES, S.G.E.B. et al. Hipertensão em pacientes em diálise: diagnóstico, mecanismos e tratamento. Jornal Brasileiro de Nefrologia. Curitiba (PR). v.41, n.3, p.400-411, 2019.

DOI: 10.1590/2175-8239-JBN-2018-0155. Acesso em: 25 de mar. 2020.

CAPLIN, B; KUMAR, S; DAVENPORT, A. Patients’ perspective of haemodialysis-associated symptoms. Nephrol Dial Transplant. v. 26, n. 8, p. 2656-2663, 2011. Disponível em: DOI:10.1093/ndt/gfq763. Acesso em: 22 de fev. 2020.

CARDINAL, S. Comorbidades em doentes renais crônicos que realizam tratamento hemodialítico em Uruguaiana- RS. Anais do 10º Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão – SIEPE. v.10, n.3, 2018. Disponível em: https://periodicos.unipampa.edu.br/index.php/SIEPE/article/view/87215.

JUNIOR, M.A.N. et al. Acesso vascular para hemodiálise: o que há de novo? Jornal Vascular Brasileiro. São Paulo (SP). v.12, n. 3, p. 221-225, 2013. Disponível em:

http://dx.doi.org/ 10.1590/jvb.2013.044. Acesso em: 22 de mar. 2020.

NASCIMENTO, C.D; MARQUES, I.R. Intervenções de enfermagem nas complicações mais frequentes durante a sessão de hemodiálise: revisão da literatura. Revista Brasileira de Enfermagem. v.58, n. 6, p. 719-722, 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672005000600017. Acesso em: 22 de mar. de 2020.

OLIVEIRA, C.S. et al. Perfil dos pacientes renais crônicos em tratamento hemodialítico. Revista Baiana de Enfermagem. Salvador (BA). v. 29, n.1, p.42-49, 2015. Disponível em: http://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/viewFile/12633/9541. Acesso em: 20 de abr. de 2020.

OLIVEIRA, M. et al. Um novo método espectrofotométrico para detectar níveis residuais de peróxido após o reprocessamento de filtros de hemodiálise. Journal Einstein. São Paulo (SP). v.9, n.1, p. 70-74, 2011. DOI:10.1590/S1679-45082011GS1945. Acesso em: 25 de mar. 2020.

RIEGEL F, SERTÓRIO FC, SIQUEIRA DS. Nursing interventions in relation to hemodialysis complications. Revista de Enfermagem da UFPI. 2018; 7(1): 63-70.

SILVA, L; MENDONÇA, A.T; CARVALHO, L.A. As características da dor em portadores de insuficiência renal crônica em programa de hemodiálise. Revista da Universidade Vale do Rio Verde. Belo Horizonte (MG). v.10, n.1, p.590-599, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrv.2013.111.590599. Acesso em: 25 de mar. 2020.

SANTANA, S.S; FONTENELLE, T; MAGALHÃES, L.M. Assistência de enfermagem prestada aos pacientes em tratamento hemodialítico nas unidades de nefrologia. Revista Científica do ITPAC. Araguaína (TO). v.6, n.3, p. 1-11, 2013. Disponível em: https://assets.unitpac.com.br/arquivos/Revista/63/5.pdf. Acesso em: 26 de março de 2020.

SOUSA, M.N.A. et al. Comorbidades de pacientes renais crônicos e complicações associadas ao tratamento hemodialítico. Revista Científica da Federação Internacional de Educação Física- FIEP. v.85, n.1, 2015. Disponível em: http://www.fiepbulletin.net. Acesso em: 21 de fev. 2020.

TEIXEIRA, F.I.R. et al. Sobrevida de pacientes em hemodiálise em um hospital universitário. Jornal Brasileiro de Nefrologia. São Luiz (MA). v. 37, n.1, p.64-71, 2014. DOI:10.5935/0101-2800.20150010. Acesso em: 22 de fev. 2020.

TERRA, F.S. et al. As principais complicações apresentadas pelos pacientes renais crônicos durante as sessões de hemodiálise. Revista Brasileira de Clínica Médica. v. 8, n. 3, p. 187-192, 2011. Disponível em: http://www.sbcm.org.br/revistas/RBCM/RBCM-2010-03.pdf#page=2. Acesso em: 22 de fev. 2020.

VIDES, M.C; MARTINS, M.R.I. Avaliação da dor óssea em pacientes renais crônicos em hemodiálise. Revista Dor. São Paulo (SP). v.18, n.3, p.245-249, 2017. DOI 10.5935/1806-0013.20170109. Acesso em: 22 de mar. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-162

Refbacks

  • There are currently no refbacks.