Dinâmica do processo de trabalho da equipe de saúde da família na Atenção Básica em João Pessoa - Relato de experiência / Dynamics of the work process of the family health team in Basic Care in João Pessoa - Report of experience

Luisiane de Avila Silva, Thainara Marques Chiamulera, Thais Rodrigues Alcântara, Millena de Carvalho Pereira, Isabelle Lira Amorim Xavier

Abstract


A Unidade de Saúde de Família esta diretamente ligada com a Atenção Primaria, uma vez que todos os seus princípios se baseiam nela. Assim, um USF tem como objetivos principais a prevenção e promoção da saúde. Esse estudo relativo ao processo de trabalho de uma unidade de saúde que foi observado por um grupo de alunas do primeiro período do curso de Medicina. Objetivo: O presente estudo acompanhado de uma dinâmica do processo de trabalho de uma Equipe de Saúde da Família. Método: Um relato de experiência, qualitativo descritivo, com fonte secundária, e observacional. As experiências comparadas nesse estudo baseiam-se a partir de uma visita na USF, na cidade de João Pessoa. Results: Por meio dessa atividade pode-se analisar uma dinâmica de trabalho de uma equipe multiprofissional na unidade de saúde da família. Por meio dessa análise, destacou-se a organização da equipe e a humanização em relação aos profissionais da unidade junto aos pacientes. Conclusão: As práticas vivenciadas na unidade de saúde da família são de extrema pesquisa para os estudantes da área de saúde.


Keywords


Sistema Único de Saúde, Unidade de Saúde, Atenção Primária, Humanização, Estratégia Saúde da Família.

References


BEZERRA, Italla Maria Pinheiro; SORPRESO, Isabel Cristina Esposito. Conceitos de saúde e movimentos de promoção da saúde em busca da reorientação de práticas. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 1-10, 28 abr. 2016. Disponível em:http://ciscacongresso.com.br/wp-content/uploads/2016/04/Portugu%C3%AAs-261-Art.-1.pdf . Acesso em: 31 de jul. 2020.

SIMAS, Keith Bullia da Fonseca et al. A residência de Medicina de Família e Comunidade. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. Rio de Janeiro, v.13, n.40, p. 1-13, jan-dez. 2018. Disponível em: http://docs.bvsalud.org/biblioref/2019/06/981940/1687-10623-1-pb.pdf. Acesso em: 31 de jul. 2020.

Brasil. Lei n° 8142. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intragovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 31 de dezembro de 1990 [citado em 2012 set 05]. Disponível em: http:// www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8142.htm. Acesso em: 31 de jul. 2020.

Brasil. Lei n. 11.350 de 5 de outubro de 2006. Define que as atividades de Agente Comunitário de Saúde e de Agente de Combate às Endemias. Diário Oficial da União 2006; 5 out. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11350.htm . Acesso em: 31 de jul. 2020.

ALMEIDA, Erika Rodrigues de et al. Política Nacional de Atenção Básica no Brasil: uma análise do processo de revisão (2015–2017). Revista Pan-Americana de Saúde Pública, 2018;42: e180. Disponível em: https://doi.org/10.26633/RPSP.2018.180 . Acesso em: 31 de jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, DF, 2012. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf . Acesso em: 31 de jul. 2020.

GOMES, Clarice Brito e Souza; GUTIERREZ, Adriana Coser; SORANZ, Daniel. Política Nacional de Atenção Básica de 2017: análise da composição das equipes e cobertura nacional da Saúde da Família. Ciência e saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 25, n. 4, p. 1327-1338, abr. 2020. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232020000401327&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 31 de jul. 2020.

MACIAZEKI-GOMES, Rita de Cássia et al. O trabalho do agente comunitário de saúde na perspectiva da educação popular em saúde: possibilidades e desafios. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 5, p. 1637-1646, maio de 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016000501637&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 31 de jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Cadernos de Atenção Básica- Programa Saúde da Família. Brasília, DF, 2000. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/implantacao_unidade_saude_familia_cab1.pdf . Acesso em: 31 de jul. 2020.

VERDI, Marta; FINKLER, Mirelle; MATIAS, Maria Claudia Souza. A dimensão ético-estético-política da Humanização do SUS: estudo avaliativo da formação de apoiadores de Santa Catarina (2012-2014). Epidemiologia e Serviços de Saúde. Brasília, v. 24, n. 3, p. 363-372, setembro, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-96222015000300363&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 31 de jul. 2020.

COUTINHO, Larissa Rachel Palhares; BARBIERI, Ana Rita; SANTOS, Mara Lisiane de Moraes dos. Acolhimento na Atenção Primária à Saúde: revisão integrativa. Saúde em debate. Rio de Janeiro, v. 39, n. 105, p. 514-524, junho de 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042015000200514&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 31 de jul. 2020.

TETEMANN, Edialy Cancian; TRUGILHO, Silvia Moreira; SOGAME, Luciana Carrupt Machado. Universalidade e Territorialização no SUS: contradições e tensões inerentes. Textos & Contextos (Porto Alegre), Porto Alegre v. 15, n. 2, p. 356 - 369, 2016. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3215/321549303010.pdf . Acesso em: 31 de jul. 2020.

GUEDES, Bianca Dore Soares et al. Aprendizados na Unidade de Saúde da Família - Relato de Experiência. Brazilian Journal Of Health Review. Curitiba, v. 3, n. 4, p. 10027-10037 jul./aug. 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BJHR/article/view/14673/12152. Acesso em: 31 de jul.2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria N° 1.560, de 29 de agosto de 2002, página 42, seção I. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt1560_29_08_2002_rep.html Acesso em: 31 de jul.2020.

NEVES, Julia; MACHADO, Katia. Atenção primária à saúde terá novo modelo de financiamento. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/noticias/reportagem/atencao-primaria-a-saude-tera-novo-modelo-de-financiamento Acesso em: 31 de jul.2020.

GOUVEIA, Eneline; SILVA, Rodrigo de Oliveira; PESSOA, Bruno Henrique Soares. Competência Cultural: uma Resposta Necessária para Superar as Barreiras de Acesso à Saúde para Populações Minorizadas. Rev. bras. educ. med., Brasília, v. 43, n. 1, p. 82-90, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-55022019000500082&script=sci_arttext Acesso em: 31 de jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) – Terceiro Ciclo, Brasília – DF, 2017. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/documentos/Manual_Instrutivo_3_Ciclo_PMAQ.pdf Acesso em: 31 de jul.2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Pela primeira vez, mais de 1.200 gerentes atuarão na Atenção Primária, out. de 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/45881-pela-primeira-vez-mais-de-1-200-gerentes-atuarao-na-atencao-primaria Acesso em: 31 de jul.2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria n° 2.436, de 21 de setembro de 2017, aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), set. de 2017. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html Acesso em: 31 de jul. 2020.

SOUZA, Patrícia Fonseca; MACIEL, Silvana Carneiro; MEDEIROS, Katruccy Tenório. Paradigma Biomédico X Psicossocial: Onde são ancoradas as representações sociais acerca do sofrimento psíquico? Trends Psychol, Ribeirão Preto, vol. 26, n. 2, p. 883-895, jun. de 2018. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v26n2/v26n2a13.pdf Acesso em: 31 de jul. 2020.

VIELLAS, Elaine Fernandes et al. Assistência pré-natal no Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n. 1, p. S85-S100, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2014001300016&script=sci_arttext Acesso em: 31 de jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção Básica, maio de 2020. Disponível em: https://www.saude.gov.br/artigos/770-sistema-nacional-de-saude/40315-atencao-basica Acesso em: 31 de jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Princípios do SUS, maio de 2017. Disponível em: https://www.saude.gov.br/sistema-unico-de-saude/principios-do-sus Acesso em: 31 de jul. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. NASF-AB é extinto pelo Ministério da Saúde e aprofunda desequilíbrio no setor, jul. de 2020. Disponível em: http://crefito4.org.br/site/2020/01/31/nasf-ab-e-extinto-pelo-ministerio-da-saude-e-aprofunda-desequilibrio/ Acesso em: 31 de jul. 2020.

ALVES et al. Rede de referência e contrarreferência para o atendimento de urgências em um município do interior de Minas Gerais – Brasil. Rev Med Minas Gerais, Minas Gerais, v. 25, n. 4, p. 469-475, 2015. Disponível em: http://www.rmmg.org/artigo/detalhes/1859 Acesso em: 31 de jul. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-160

Refbacks

  • There are currently no refbacks.