Do governo à autoridade: uma breve genealogia a partir de Arendt e Foucault / From government to authority: a brief genealogy from Arendt and Foucault

Fernando Bagiotto Botton

Abstract


Se quisermos compreender os desdobramentos que a noção autoridade promoveu nas esferas do político, devemos levar em consideração algumas transformações históricas que a própria noção recebeu na modernidade. Para tal, pretendemos realizar brevíssimas conexões entre as noções de autoridade de Hannah Arendt e a noção de governo em Foucault, seja em sua modalidade mais arcaica de “artes de governar” quanto na moderna noção de governamentalidade. Desta forma poderemos compreender os desdobramentos políticos que instituem um conceito de autoridade cada vez mais voltado para uma gestão de populações (no plural) e dos corpos (no singular) conectando os sentidos da disciplina à governamentalidade. Isso é parte integrante do que Adendt compreendeu por um esfacelamento da autoridade no período moderno, em que o autoritarismo acabava tomando frente às demandas cada vez mais crescentes por um líder populista, um condutor de rebanhos, ao contrário da livre plenária dentre cidadãos independentes. Articuladas, tais tecnologias ético-políticas de governo trouxeram novas vias de compreensão do governo e da autoridade na contemporaneidade, seja pela via do liberalismo/neoliberalismo, seja pela via do populismo.


Keywords


governo, autoridade, política

References


ARENDT, Hanah. Entre o Passado e o Futuro. São Paulo: Editora Perspectiva, 1988.

DUARTE, André. Vidas em Risco: Crítica do presente em Heidegger, Arendt e Foucault. Rio de Janeiro: Forense Universitária: 2010.

FOUCAULT, Michel. Omnes et Singulatim: Por uma Crítica da "Razão Política" In: Novos Estudos CEBRAP, Nº 26, março de 1990, 77-99.

__________ Segurança, território, população: curso dado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008

HALL, Calvin; LINZEY, Gardner. Teorias da personalidade. São Paulo: EPU, 1984.

LA MOTHE LE VAYER, François de. L'Economique du Prince. Paris: Courbé, 1653

ROSE, Nikolas. Inventando nossos selfs: Psicologia, poder e subjetividade. Petrópolis: Vozes, 2011.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-134

Refbacks

  • There are currently no refbacks.