Tratamento empírico com desoxicolato de Anfotericina B, em caso suspeito de Leishmaniose Visceral: um relato de caso / Empirical treatment with amphotericin B deoxycholate for a suspected case of Visceral Leishmaniasis: A case report

Luana Paula de Faria Ribeiro, Lívia Vilaça Cota Pereira, Marcela de Castro Bastos Rodrigues, Marayra Inês França Coury, Marcilene Rezende Silva, Roberta Passaglia Bolina

Abstract


A Leishmaniose Visceral (LV) é uma parasitose com sintomatologia grave, que pode ser fatal, causada por protozoários do gênero Leishmania. Nesse relato, apresentamos um caso suspeito de LV de uma paciente residente em área endêmica para a doença. O quadro de hepatoesplenomegalia, anemia, dor abdominal e plaquetopenia gerou suspeita de LV, apesar de os exames laboratoriais apresentarem resultados negativos. A paciente foi tratada empiricamente com anfotericina B desoxicolato e obteve regressão dos sintomas.

 

 


Keywords


Leishmaniose Visceral, Anfotericina B desoxicolato, Tratamento Empírico.

References


Michalick MS, Ribeiro RR, Silva SM. Leishmaniose Visceral Americana. In: Guedes R, editor. Parasitologia Humana. 13th ed. São Paulo: Atheneu; 2016. p. 69-91.

World Health Organization (WHO). Leishmaniasis [Internet]. [Accessed 2020 April 28]. Available from: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs375/en/.

Conti RV, Junior VL. Abordagem terapêutica da Leishmaniose Visceral no Brasil-revisão para clínicos. Revista de Medicina e Saúde de Brasília. 2015 Sep 13;4.

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde [Internet]. Sistema de Informação de Agravos de Notificação. Casos confirmados de Leishmaniose Visceral, Brasil, Grandes Regiões e Unidades Federadas. 1990 a 2016. [Accessed 2020 April 28]. Availabre from: http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/14/LV-Casos.pdf.

Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Leishmaniose Visceral Humana [Internet]. Belo Horizonte: Prefeitura de Belo Horizonte; [updated 2020 Fab 19; cited 2020 June 5]. Available from: https://prefeitura.pbh.gov.br/saude/informacoes/vigilancia/vigilancia-epidemiologica/doencas-transmissiveis/leishmaniose.

Pastorino, A. C., Jacob, C., Oselka, G. W., & Carneiro-Sampaio, M. Leishmaniose visceral: aspectos clínicos e laboratoriais. J. Pediatr. 2002;78(2):120-127.

Gontijo CM, Melo MN. Leishmaniose visceral no Brasil: quadro atual, desafios e perspectivas. Revista Brasileira de epidemiologia. 2004;7:338-49.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Portal Anvisa. Informações técnicas anfotericina B injetável [Internet]. 2018. [Accessed 2020 July 20]. Available from: http://portal.anvisa.gov.br/informacoes-tecnicas13/-/asset_publisher/WvKKx2fhdjM2/content/anfotericina-b-injetavel/33868?inheritRedirect=true.

BulasMed. Bulas de Medicamentos [Internet]. Glucantime. 2014. [Accessed 2020 July 20]. Available from: https://www.bulas.med.br/p/bulas-de-medicamentos/bula/2792/glucantime.htm

Ministério da Saúde. Leishmaniose Visceral (LV): tratamento [Internet]. 2008. [Accessed 2020 July 20]. Available from: https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/leishmaniose-visceral/11335-tratamento.

Falci DR, Pasqualotto AC. Anfotericina B: uma revisão sobre suas diferentes formulações, efeitos adversos e toxicidade. Clinical & Biomedical Research. 2015 Jul 15;35(2).




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-125

Refbacks

  • There are currently no refbacks.