A saúde mental da mulher frente ao mercado de trabalho em uma instituição de ensino no século XXI / Women's mental health in front of the labor market in a teaching institution in the 21st century

Adailson Soares dos Reis, Adrielly de Oliveira Machado Castro, Carlos Henrique Rodrigues Castro, Flávia Mariah Costa de Carvalho, Jessica Dias Ribeiro, Márcia Jamilie Silva e Silva, Ronisson Vargens Ribeiro, Nathália Menezes Dias

Abstract


INTRODUÇÃO: A mulher do século XXI é diferente, não só em seu comportamento, como também em relação aos conhecimentos e à formação que possui (SILVA; CARVALHO; SILVA, 2017). O presente estudo baseia-se no contexto socioeconômico em relação aos meios de produção, como as mulheres estão inseridas dentro deste contexto e o quanto isso afeta sua saúde mental. Tem como objetivo identificar os fatores que afetam a saúde mental da mulher associados ao mercado de trabalho, dentro de uma instituição de ensino, promovendo o autocuidado baseado nas Necessidades Humanas Básicas. MATERIAL E MÉTODOS: Estudo do tipo exploratório-bibliográfico com abordagem quanti-qualitativa. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Foi possível alcançar os objetivos propostos, e assim identificar os fatores que afetam a saúde mental das funcionárias associados ao mercado de trabalho. CONCLUSÃO: É imprescindível que as instituições fiquem atentas à saúde das funcionárias, promovendo uma assistência e um olhar holístico para cada uma das vivências de suas colaboradoras, tornando o ambiente de trabalho mais acolhedor, promovendo também uma boa interação e respeito com os demais colegas. Portanto, tornou- se evidente que levar terapias alternativas para o ambiente de trabalho realizando-as de forma dinâmica com as trabalhadoras trouxe resultados positivos no que se refere a promover o autocuidado e bem estar pessoal e no ambiente de trabalho. Por este motivo, sugere-se as instituições das diversas áreas do mercado de trabalho que procurem realizar momentos assim com os trabalhadores e trabalhadoras no intuíto de manter e cuidar do bem estar físico, mental e emocional de seus funcionários.


Keywords


Saúde da Mulher, Autocuidado, Saúde Mental, Saúde dos Trabalhadores.

References


ARAÚJO, T.M. et al. Prevalência de transtornos mentais comuns em mulheres e sua relação com as características sociodemográficas e o trabalho doméstico. 2005. Disponível em: . Acesso em: 05 de novembro de 2019.

ÁVILA, R. C.; PORTES, É. A. A tríplice jornada de mulheres pobres na universidade pública: trabalho doméstico, trabalho remunerado e estudos. Estudos Feministas, Florianópolis, 20(3): 384, setembro-dezembro/2012 p. 809-832. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php? script=sci_arttext&pid=S0104-026X2012000300011 Acesso em 05 de Setembro, 2016.

BARBOSA, M.A. et al. Crenças populares e recursos alternativos como práticas de saúde. 2004. Disponível em: . Acesso em: 05 de novembro de 2019.

CINTRA, S.; COSAC, C. As melhores empresas para as mulheres trabalharem. O que elas dizem sobre o ambiente onde trabalham. Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder. Florianópolis, 25 a 28 de agosto de 2008.disponivel em: http://www.fazendogenero.ufsc.br/8/sts/ST25/Cintra- Cosac_25.pdf. Acesso em 09 out, 2019.

Gouveia, A.O; Silva, L. A. T; Santos, V. R .C; Paes, C. L. A; Medeiros, T. S. P; Cordovil, A. B. C; Silva, N. F. C. P; Silva, C.M. Oficina saúde da mulher, um olhar sobre os direitos e recursos ofertados pelo sistema único de saúde (sus) na perspectiva do empoderamento feminino: um relato de experiência. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 10, p. 76747-76759, oct. 2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE, Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher, Princípios e Diretrizes, Série C. Projetos, Programas e Relatórios. Brasília-DF, 2004.

SANTOS, L.S; DINIZ, G.R.S. Saúde mental de mulheres donas de casa: um olhar feminista- fenomenológico-existencial. 2018. Disponível em: . Acesso em 05 de novembro de 2019.

SCOGNAMILLO-SZABÓ, M.V.R; BECHARA, G.H. Acupuntura: bases científicas e aplicações. 2001. Disponível em: . Acesso em: 05 de novembro de 2019.

SENICATO, C.; AZEVEDO, R.; BARROS, M. Transtorno mental comum em mulheres adultas: identificando os segmentos mais vulneráveis. Ciênc. saúde coletiva vol.23 no.8 Rio de Janeiro ago. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413- 81232018000802543&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt#B8. Acesso em: 10 de out, 2019.

SILVA, C. R. R.; CARVALHO, P. M.; SILVA, E. L. Liderança feminina: a imagem da mulher atual no mercado corporativo das organizações brasileiras. Educação, Gestão e Sociedade: revista da Faculdade Eça de Queirós, ISSN 2179-9636, Ano 7, número 25, fevereiro de 2017. Disponível em: www.faceq.edu.br/regs. Acesso em: 08 de out de 2019.

TORRES, F. Acumulo de funções pode afetar a saúde mental feminina. Disponivel em: http://www.saude.al.gov.br/2017/03/06/acumulo-de-funcoes-pode-afetar-a-saude-mental-feminina/. Acesso em 09 de out, 2019

TRIGO, T.R. et al. Síndrome de burnout ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos. 2007. Disponível em: . Acesso em: 05 de novembro de 2019.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-096

Refbacks

  • There are currently no refbacks.