Prática interdisciplinar em língua de acolhimento para imigrantes haitianos na Região Administrativa do Varjão – DF/ Interdisciplinary in a host language practice for Haitian immigrants in the Administrative Region of Varjão – DF

Umberto Euzebio

Abstract


Este trabalho surge a partir da análise de uma atividade de extensão desenvolvida na região administrativa do Varjão – DF com imigrantes haitianos. Para esta atividade interdisciplinar foi adotada a língua de acolhimento como prática para o desenvolvimento humano integral para o aprendizado da língua portuguesa e inserção à língua e à cultura brasileira. O projeto construído em forma de oficinas, fundamentado nos oito eixos propostos pelos pró-reitores de extensão universitária. Cada prática foi contemplada de forma integrada pelas áreas temáticas de comunicação, cultura, direitos humanos e cidadania, educação, meio ambiente, saúde, tecnologia e trabalho. Além atendimento aos imigrantes haitianos o projeto teve como objetivo atuar na sensibilização, formação e aproximação do estudante universitário a essa realidade para um desenvolvimento ético, crítico, cultural de cidadania. Foi utilizada a metodologia participativa de escuta sensível com observação contínua para verificação da atuação dos universitários e a resposta dos haitianos quanto ao aprendizado da língua portuguesa e a integração com a realidade brasileira. Ao final da análise foi concluído que essa prática estimula a criatividade, o trabalho em equipe e a sensibilização para a questão do imigrante pelos universitários. Quanto aos haitianos foi verificado que essa prática promove a socialização, aprendizado da língua e melhora a integração à cultura brasileira.


Keywords


língua não materna, interdisciplinaridade, ensino de português, extensão, formação de professor.

References


ALMEIDA FILHO, José Carlos Paes de; CUNHA, Maria Jandyra Cavalcanti. Projetos iniciais: em português para falantes de outras línguas. Brasília: EdUnB, Campinas: Pontes, 2007. 127 p.

ANÇÃ, Maria Helena Serra Ferreira. Língua portuguesa em novos públicos. Saber (e) Educar, n. 13, p. 71-87, 2008. Disponível em: http://repositorio.esepf.pt/bitstream/20.500.11796/924/2/SeE_13LinguaPortuguesa.pdf Acesso em: 10 jan. 2021.

AVALIAÇÃO Nacional da Extensão Universitária. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. [Brasília]: MEC/SESU; [Curitiba]: UFPR; [Ilhéus – BA] UESC, 2001. 98 p. (Coleção Extensão Universitária, v. 3).

BARBIER, René. A pesquisa-ação. Tradução de Lucie Didio. Brasília: Líber Livro, 2007. 159 p. (série pesquisa, v. 3)

BARBOSA, Joaquim Gonçalves; HESS, Remi. O diário de pesquisa: o estudante universitário e seu processo formativo. Brasília: Liber Livro, 2010. 103 p.

BARBOSA, Lúcia Maria de Assunção; SÃO BERNARDO, Mirelle Amaral de. Língua de acolhimento. In: CAVALCANTI, Leonardo et al. Dicionário crítico de migrações internacionais. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2017. p. 434-437.

BRASIL. Refúgio em números. 4 ed. [Brasília]: Ministério da Justiça e Segurança Pública, 2019. Disponível em: https://www.justica.gov.br/seus-direitos/refugio-em- numeros/. Acesso em: 28 dez. 2020.

CABETE. Marta Alexandra Calado Santos da Silva. O processo de ensino-aprendizagem do português enquanto língua de acolhimento. 2010. Dissertação (Mestrado em língua e cultura portuguesa). Faculdade de Letras. Universidade de Lisboa. 2010 Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/4090/1/ulfl081236_tm.pdf. Acesso em: 20 jan.

CASTRO, Kássia Batista de; LIMA, Larissa Ane de Sousa (Org.). Atlas do Distrito Federal. Brasília: CODEPLAN, 2020. 150 p.

CAVALCANTI, L; OLIVEIRA, T.; MACEDO, M., Imigração e Refúgio no Brasil. Relatório Anual 2020. Série Migrações. Observatório das Migrações Internacionais; Ministério da Justiça e Segurança Pública/ Conselho Nacional de Imigração e Coordenação Geral de Imigração Laboral. Brasília, DF: OBMigra, 2020

CODEPLAN – Companhia de Planejamento do Distrito Federal. Nota metodológica. Estimativas do volume populacional por RA segundo o estudo “Projeções Populacionais 2010-2020” e a Pesquisa Distrital por Amostra Domicílios - PDAD 2018. Brasília: CODEPLAN, 2020. 34 p.

CORSINO, Carla Alessandra. Formação de professores numa perspectiva plurilíngue para o acolhimento linguístico de estudantes migrantes / refugiados. Caleidoscópio, v. 18, n. 2, p. 415-434, maio/ago., 2020. DOI: 10.4013/cld.2020.182.09

EUZEBIO, Umberto; REBOUÇAS, Eduardo Melo; LOPES, Lorena Poliana Silva. Língua de acolhimento: demandas e perspectivas subjacentes ao conceito e à prática pedagógica no contexto brasileiro. In: GUIMARÃES, Décio Nascimento; ANDRÉ, Bianka Pires.

Educação e diversidade: diálogo intercultural. Campos dos Goytacazes: Brasil Multicultural, 2018. p. 58-87.

EXTENSÃO Universitária: organização e sistematização. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras; organização: Edison José Corrêa. Coordenação Nacional do FORPEX. Belo Horizonte: Coopmed, 2007. 112 p. (Coleção Extensão Universitária, v. 6).

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 18. ed. 5. reimp. Campinas: Papirus, 2016. 143 p. (Coleção Magistério: formação e trabalho pedagógico)

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes; TAVARES, Dirce Encarnacion; GODOY, Hermínia Prado. Interdisciplinaridade na pesquisa científica. Campinas: Papirus, 2015. 128 p.

GROSSO, Maria José dos Reis. Língua de acolhimento, língua de integração. Horizontes de Linguística Aplicada, v. 9, n.2, p. 61-77, 2010. DOI: 10.26512/rhla.v9i2.886

IMDH. Instituto Migrações e Direitos Humanos. Relatório de atividades 2019. Brasília: IMDH, 2020. Disponível em: https://www.migrante.org.br/wp-content/uploads/2020/07/ Relatório-narrativo-final-versão-final.pdf. Acesso em: 07 jan. 2021.

INDISSOCIABILIDADE ensino-pesquisa-extensão e a flexibilização curricular: uma visão da extensão. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. Porto Alegre: UFRGS; Brasília: MEC/SESu, 2006, 100 p. (Coleção Extensão Universitária, v. 4).

MOITA LOPES, Luiz Paulo da. A transdisciplinaridade é possível em linguística aplicada? In: SIGNORINI, Inês; CAVALCANTI, Marilda C. (Org.) Linguística aplicada e transdisciplinaridade. 2. reimp. Campinas: Mercado de Letras, 2007. p. 101-114.

MORAN, José. Autonomia e colaboração em um mundo digital. Revista Educatrix, n. 7,

p. 52-57, 2014. Disponível em: https://homol.moderna.com.br/educatrix/ed7/educatrix7.html?pag=16. Acesso em: 21 jan. 2021.

NEVES, Maria Helena de Moura. Que gramática estudar na escola? 4. ed. 2. reimp. São Paulo: Contexto, 2014. 174 p.

ONU NEWS. Divisão de população das nações unidas. [New York]: United Nations Publications, 2021. Disponível em: https://news.un.org/pt/tags/divisao-de-populacao-das- nacoes-unidas. Acesso em: 20 jan. 2021.

PEREIRA, Giselda Fernanda. O português como língua de acolhimento e interação: a busca pela autonomia por pessoas em situação de refúgio no Brasil. Cadernos de Pós- Graduação em Letras, v. 17, n. 1, p. 118-134, 2017. DOI 10.5935/cadernosletras.v17n1p118-134

SISTEMA de Dados e Informações da Extensão: base operacional de acordo com o Plano Nacional de Extensão. Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. Reimp. Rio de Janeiro: NAPE, UERJ, 2001. 84 p. (Coleção Extensão Universitária – Avaliação Nacional da Extensão).

SILVA, Filipe Rezende; FERNANDES, Duval. Desafios enfrentados pelos imigrantes no processo de integração à sociedade brasileira. Cadernos de Debates Refúgio, Migrações e Cidadania, Brasília, v. 13, n. 13, p. 83-102, 2018.

SILVA, Leda Maria Messias da; LIMA, Sarah Somensi. Imigração Haitiana no Brasil: os Motivos da Onda Migratória, as Propostas para a Inclusão dos Imigrantes e a sua Proteção à Dignidade Humana. Direito, Estado e Sociedade, n. 48, p. 167-195, jan/jun, 2016. DOI: https://doi.org/10.17808/des.48.541.

SACHS, Ignacy. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. 1. ed. São Paulo: Nobel/ FUNDAP, 1993. 103 p.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-076

Refbacks

  • There are currently no refbacks.