Gestação de alto risco e obesidade em um município do Paraná High-risk pregnancy and obesity in a city in Paraná/ High risk pregnancy and obesity in a municipality of Paraná

Letícia Gramazio Soares, Karla Bianca Tomen, Matheus da Cunha Paris, Maicon Henrique Lentsck, Larissa Gramazio Soares, Isabella Schroeder Abreu, Jorge Marcelo Sauka

Abstract


Este trabalho teve como objetivo estimar a prevalência de gestantes obesas de alto risco residentes no município de Guarapuava-PR. Trata-se de estudo descritivo, transversal e quantitativo, realizado na Clínica da Mulher, com 314 gestantes de alto risco, sendo que 115 delas eram obesas. Realizada análise descritiva e analítica pelo Teste Qui-quadrado para associações. Os resultados apontam que a prevalência de gestantes obesas foi de 36,6%; o perfil destas gestantes são mulheres jovens que já estavam com sobrepeso/obesas antes da gestação, possuem uma renda baixa, mas não um baixo nível de escolaridade. Além do sobrepeso/obesidade apresentavam outros problemas de saúde antes da gestação e não costumavam frequentar os serviços de saúde nem praticar atividades físicas ou ter algum cuidado com a alimentação. Os fatores que tiveram associação à obesidade gestacional foram faixa etária, escolaridade, renda e peso antes da gestação. Grande parte das gestantes deu início ao pré-natal no primeiro trimestre da gestação, mas poucas destas mulheres mantinham um acompanhamento na UBS de referência e nem todas tiveram atendimento multiprofissional. Conclui-se que é a prevalência é alta, sendo necessária maior atenção à saúde da mulher em idade fértil, sendo possível evitar várias doenças crônicas relacionadas com o excesso de peso e inclusive prevenir complicações maternas e infantis. 


Keywords


Saúde Materno-Infantil, Gestação de Risco, Obesidade.

References


ADAMO, K. B. et al. The Maternal Obesity Management (MOM) Trial Protocol: a lifestyle intervention during pregnancy to minimize downstream obesity. Contemp clin trials., v. 35, n. 1, p. 87-96, fev./mai. 2013.

ALIYU, M. H. et al. Obesity in older mothers, gestational weight gain, and risk estimates for preterm phenotypes. Maturitas, v. 66, n. 1, p. 88-93, mar./mai. 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde [Internet]. Vigitel Brasil 2011: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2012 [citado 2012 Abr 8]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2011_fatores_risco_doencas_cronicas.pdf

BRASIL. Secretaria de Políticas de Saúde Ministério da Saúde. Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

BRASIL. VIGITEL – Vigilância De Fatores De Risco E Proteção Para Doenças Crônicas Por Inquérito Telefônico. Ministério da Saúde, 2016. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/673-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/doencas-cronicas-nao-transmissiveis/l2-doencas-cronicas-nao-transmissiveis/28387-2016

CARNEIRO, J. R. I. et al. Gestação e obesidade: um problema emergente. Revista HUPE, Rio de Janeiro, v. 13, n. 3, p. 18-25, jul. 2014.

CARVALHAES, M. A. D. B. L. et al. Atividade física em gestantes assistidas na atenção primária à saúde. Rev Saúde Pública, v. 47, n. 5, p. 958-967, dez./abr. 2013.

CIDADE, D. G.; MARGOTTO, P. R.; PERAÇOLI, J. C. Obesidade e sobrepeso pré-gestacionais: prevalência e principais complicações maternas. Com. ciências saúde, v. 22, n. 1, p. 169-182, 2011.

FITZSIMONS, K.J.; MODDER, J..Setting maternity care standards for women with obesity in pregnancy. Send to semin fetal neonatal med., v. 15, n. 2, p. 100-107, nov./abr. 2010.

FLENADY, V. et al. Major risk factors for stillbirth in high-income countries: a systematic review and meta-analysis. Lancet, v. 377, n. 9774, p. 1331-1340, abr. 2011.

FONSECA, M. R. C. C. D. et al. Ganho de peso gestacional e peso ao nascer do concepto: estudo transversal na região de Jundiaí, São Paulo, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, n. 5, p. 1401-1407, 2014.

FONSECA, M. R. C. C.; TRALDI, M. C. Sobrepeso e obesidade pré-gestacionais: repercussões sobre a gestação e parto. Revista saúde, v. 8, n. 3-4, p. 26-36, 2014.

GADELHA, P. S. et al. Obesidade e gestação: aspectos obstétricos e perinatais. Femina, v. 37, n. 1, jan. 2009.

GOMES, E.; SOARES, A. L.; CAMPOS, R.. Obesidade e gravidez: conhecer para atuar precocemente? a realidade numa unidade de saúde familiar. Revista portuguesa de endocrinologia, diabetes e metabolismo, v. 8, n. 1, p. 16-20, jan./jun. 2013.

INSTITUTE OF MEDICINE. 2009. Gravidez: publicado o novo protocolo do Institute of Medicine sobre recomendação de ganho de peso durante a gestação. Disponível em: http://www.news.med.br/p/medical-journal/52263/gravidez-publicado-o-protocolo-do-institute-of-medicine-sobre-recomendacao-de-ganho-de-peso-durante-a-gestacao.htm . Acesso em: 18 abr. 2017.

LINS, A. P. M. et al . Alimentação saudável, escolaridade e excesso de peso entre mulheres de baixa renda. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, p. 357-366, Feb. 2013 .

LOUROZA, T. F. D.. A importância de uma intervenção multidisciplinar para gestantes no período pré-natal acompanhadas por unidades públicas de saúde. Ix congresso nacional de excelência em gestão, 2013.

MAGALHÃES, E. I. D. S. et al. Prevalência e fatores associados ao ganho de peso gestacional excessivo em unidades de saúde do sudoeste da Bahia. Rev. Bras. Epidemiol., v. 18, n. 4, p. 858-869, out./dez. 2015.

MATTAR, R. et al. Obesidade e gravidez. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., Rio de Janeiro, v. 31, n. 3, p. 107-110, Mar. 2009.

MELO, M. E. Ganho de peso na gestação. Associação brasileira para o estudo da obesidade e da síndrome metabólica – ABESO, mar. 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2018.

NASCIMENTO, I. B. et al. Excesso de peso e dislipidemia e suas intercorrências no período gestacional: uma revisão sistemática. Rev. Bras. Saude Mater. Infant., Recife, v. 16, n. 2, p. 93-101, Jun. 2016.

NAST, M. et al. Ganho de peso excessivo na gestação é fator de risco para o excesso de peso em mulheres. Rev Bras Ginecol Obstet., v. 35, n. 12, p. 536-540, out./nov. 2013.

NUCCI, L. B. et al . Nutritional status of pregnant women: prevalence and associated pregnancy outcomes. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 35, n. 6, p. 502-507, Dec. 2001.

OLIVEIRA, A. P. S. V.; SILVA, M. M.. Fatores que dificultam a perda de peso em mulheres obesas de graus I e II. Revista psícologia e saúde, v. 6, n. 1, p. 74-82, jan./jun. 2014.

PAIVA, L. V. et al. Obesidade materna em gestações de alto risco e complicações infecciosas no puerpério. Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo, v. 58, n. 4, p. 453-458, ago. 2012.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Saúde. Superintendência de Atenção à Saúde. Linha Guia Rede Mãe Paranaense. 6º Ed. [Internet]. Disponível em: http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/LinhaGuiaMaeParanaense_final_2017.pdf Acesso em 29 de julho de 2018.

RODRIGUES, A. P. S.; SILVEIRA, E. A. S. Correlação e associação de renda e escolaridade com condições de saúde e nutrição em obesos graves. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n. 1, p. 165-174, 2015.

ROSA, Q. P. P.; ALVES, M. K.. Prevalência e fatores associados ao excesso de peso em mulheres adultas colaboradoras de uma unidade de alimentação e nutrição. Revista brasileira de obesidade, nutrição e emagrecimento, São Paulo, v. 11, n. 66, p. 428-436, nov./dez. 2017.

ROSA, M. I. D. et al. Prevalência e fatores associados à obesidade em mulheres usuárias de serviços de pronto-atendimento do Sistema Único de Saúde no sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 5, p. 2559-2566, 2011.

SABÓIA, R. S. et al. Obesidade abdominal e fatores associados em adultos atendidos em uma clínica escola. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Fortaleza, v. 29, n. 2, p. 259-267, abr./jun. 2016.

SEABRA, G. et al. Sobrepeso e obesidade pré-gestacionais: prevalência e desfechos associados à gestação. Rev bras ginecol obstet. v. 33, n. 11, p. 348-353, 2011.

SEQUEIRA, J. et al . Evolução ponderal na gravidez, preditores e consequências: estudo retrospetivo. Rev Port Med Geral Fam, Lisboa , v. 29, n. 2, p. 98-104, mar. 2013.

SILVA, D. G.; MACEDO, N. B.. Associação entre ganho de peso gestacional e prognóstico da gestação. Sci med., v. 24, n. 3, p. 229-236, 2014.

SILVA, J. C. et al . Obesidade durante a gravidez: resultados adversos da gestação e do parto. Rev. Bras. Ginecol. Obstet., Rio de Janeiro, v. 36, n. 11, p. 509-513, Nov. 2014.

SILVA, J. C. et al. Obesidade materna e suas consequências na gestação e no parto: uma revisão sistemática. Femina, v. 42, n. 3, p. 135-140, mai./jun. 2014.

SIRIMI, N.; GOULIS, D. G.. Obesity in pregnancy. Hormones (athens), v. 9, n. 4, p. 299-306, out./dez. 2010.

TEICHMANN, L. et al. Fatores de risco associados ao sobrepeso e a obesidade em mulheres de São Leopoldo, RS. Rev Bras Epidemiol, v. 6, n. 3, p. 306-373, 2006.

TOMASI, E. et al. Qualidade da atenção pré-natal na rede básica de saúde do brasil: indicadores e desigualdades sociais. Cad. saúde pública, v. 33, n. 3, 2017.

VIELLAS, E. F. et al. Assistência pré-natal no Brasil. Cad. saúde pública, Rio de janeiro, v. 30, p. 85-100, 2014.

XAVIER, R. B. et al. Reproductive risks and comprehensive care of pregnant women with hypertensive syndromes: a transversal study. Online brazilian journal of nursing, v. 12, n. 4, p. 823-833, dez. 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-036

Refbacks

  • There are currently no refbacks.