Promoção da saúde na terceira idade numa unidade básica de saúde/Promotion of health in the third age in a basic health unit

Maiara Oliveira de Carvalho Barreto Paiva, Aline Cruz Esmeraldo Áfio, Aline de Oliveira Prazer, Emanuel Ferreira de Araújo, Nahyanne Ramos Alves Xerez, Elisete Ferreira de Oliveira Alves, Regina Célia Silveira, Maria Erica da Silva Correia do Nascimento

Abstract


A promoção da saúde na terceira idade é um tema de grande promoção para políticas de saúde pública, até o ano de 2025, o Brasil será o sexto país no mundo, em número de idosos. O estudo teve o objetivo de conhecer a percepção dos idosos sobre ações de promoção da saúde na terceira idade e compreender os fatores que contribuem para a adesão das ações de promoção da saúde em idosos. Estudo transversal, do tipo descritivo desenvolvido em Unidade Básica de Saúde, no Município de Maracanaú-Ce. Participaram da pesquisa 30 idosos de ambos os sexos com idade entre 60 a 88 anos. Inicialmente foram coletados os dados sócios demográficos e em seguida atendeu-se entrevista. Esta foi dividida nas seguintes categorias: promoção da saúde na visão da população idosa e o que fazer para promovê-la, dificuldades na promoção da sua saúde dos idosos os resultados coletados que há predomínio de idosos com baixo grau de escolaridade, porém estes por sua vez têm de vida cada vez mais elevada, e boa parte convivem com renda mensal capaz de cumprir-los em condições necessário para manterem hábitos de vidas saudáveis. Conclui-se que tal informação expressa à necessidade que o profissional enfermeiro deve-se manter um olhar expressivo para a população idosa que convive com doenças crônicas e informações de atividades educativas que sejam possíveis de inserir e promover uma troca de saberes com a população. Já para à proporção que ainda não possui doenças, este profissional deve atuar na prevenção primária, evitando uma possível morbidade ao passar dos anos. porém estes por sua vez têm expectativa de vida cada vez mais elevada, e boa parte convivem com renda mensal capaz de cumprir as condições em necessidades para manterem hábitos de vidas saudáveis. Conclui-se que tal informação expressa à necessidade que o profissional enfermeiro deve-se manter um olhar expressivo para a população idosa que convive com doenças crônicas e informações de atividades educativas que sejam possíveis de inserir e promover uma troca de saberes com a população. Já para à proporção que ainda não possui doenças, este profissional deve atuar na prevenção primária, evitando uma possível morbidade ao passar dos anos. porém estes por sua vez têm expectativa de vida cada vez mais elevada, e boa parte convivem com renda mensal capaz de cumprir as condições em necessidades para manterem hábitos de vidas saudáveis. Conclui-se que tal informação expressa à necessidade que o profissional enfermeiro deve-se manter um olhar expressivo para a população idosa que convive com doenças crônicas e informações de atividades educativas que sejam possíveis de inserir e promover uma troca de saberes com a população. Já para à proporção que ainda não possui doenças, este profissional deve atuar na prevenção primária, evitando uma possível morbidade ao passar dos anos. Conclui-se que tal informação expressa à necessidade que o profissional enfermeiro deve-se manter um olhar expressivo para a população idosa que convive com doenças crônicas e informações de atividades educativas que sejam possíveis de inserir e promover uma troca de saberes com a população. Já para à proporção que ainda não possui doenças, este profissional deve atuar na prevenção primária, evitando uma possível morbidade ao passar dos anos. Conclui-se que tal informação expressa à necessidade que o profissional enfermeiro deve-se manter um olhar expressivo para a população idosa que convive com doenças crônicas e informações de atividades educativas que sejam possíveis de inserir e promover uma troca de saberes com a população. Já para à proporção que ainda não possui doenças, este profissional deve atuar na prevenção primária, evitando uma possível morbidade ao passar dos anos.


Keywords


Assistência Integral à Saúde do Idoso, promoção da saúde, Atenção Primária de Saúde.

References


ACIOLE, Batista LH. Promoção da saúde e prevenção de incapacidades funcionais dos idosos na estratégia de saúde da família: a contribuição da fisioterapia. Saúde debate vol.37 no.96 Rio de Janeiro Jan./Mar. 2013. Disponível:< http://dx.doi.org/10.1590/S0103-11042013000100003>. Acesso: 24 de março de 2018

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n° 510, de 07 de Abril de 2016. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União, 2017. Disponível em: . Acesso: 15 de junho de 2018.

BRASIL. Ministério da saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de ações Programáticas Estratégicas. Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa: Direitos da Pessoa Idosa/ Ministério da Saúde, Secretária de Atenção à Saúde, Departamento de ações Programáticas Estratégicas. - 4. Ed.-Brasília - DF: Ministério da Saúde, 2017 (Caderneta da Pessoa Idosa; n. 42). Disponível em :< http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/27/CADERNETA-PESSOA-IDOSA-2017-Capa-miolo.pdf>. Acesso: 27 de abril de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência dag República. Informe Nacional sobre a Implementação na América Latina e Caricamarbe da Declaração de Brasília sobre envelhecimento. Brasília, 2012.

CONASS, Conselho Nacional de secretários de saúde. Promoção da saúde. Disponível:< http://www.conass.org.br/promocao-da-saude/>. Acesso: 27 de abril de 2018.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Dados básicos da cidade de Maracanaú, 2017. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ce/maracanau>. Acesso em: 24 de Março 2018.

MOTTA, MARIANA DELLI COLLI et al. Educação em saúde junto a idosos com hipertensão e diabetes: estudo descritivo. Revista Uningá Review, v. 18, n. 2, 2018.

MORAES, Gustavo Vaz de Oliveira et al. A percepção dos idosos sobre o saber biomédico no cuidado à velhice e às" coisas da idade". Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 26, p. 309-329, 2016.

POLARO, Montenegro LC. Fundamentos e práticas do cuidar em Enfermagem Gerontologia. Rev Bras Enferm. 2017 jul-ago;70(4):699-700. Disponível em:DOI:. Acesso: 21 de abril de 2018

POPIM, Lais Soares, Elisabete Manieri et al. Saúde do Idoso: Percepções Relacionadas ao Atendimento. Esc. Anna Nery Revista de Enfermagem 18(2) Abr-Jun 2014. Disponível em :http://www.scielo.br/pdf/ean/v18n2/1414-8145-ean-18-02-0330.pdf

SANTOS, Nayane Formiga dos; SILVA, et al. As Políticas Públicas Voltadas ao Idoso: Melhoria da Qualidade de Vida ou Reprivatização da Velhice. Rev. Fsa, Teresina, v. 10, n. 2, art. 20, pp. 358-371, Abr./Jun. 2013 ISSN Impresso: 1806-6356 ISSN Eletrônico: 2317-2983 disponível:< http://dx.doi.org/10.12819/2013.10.2.20>

SANTOS, Simone de Carvalho, TONHOM, Silvia Franco da Rocha; KOMATSU, Ricardo Shoiti. Saúde do Idoso: Reflexões Acerca da Integralidade do Cuidado.Rev. Bras.Promoç. Saúde, Fortaleza, 29(Supl): 118-127, dez., 2016. Disponível em : .

SILVA, Alexandre Moreira de Melo, et al. Uso de Serviços de Saúde por Idosos Brasileiros com e sem Limitação Funcional. Rev. Saúde Pública vol.51 supl.1 São Paulo 2017 Pub. Junho 01, 2017. Disponível em: . Acesso em: 24 de Março de 2018

SOARES VELLO, Lais; ORNELLAS PEREIRA, Maria Alice; POPIM, Regina Célia. Mental health of the elderly: perceptions related to aging. Investigacion y educacion en enfermeria, v. 32, n. 1, p. 60-68, 2014.

TAVARES, Dias Munari, et al. Qualidade de idosos e participação em atividades educativas grupais. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 25, n. 4, p 601-606, jul., 2012. Disponível em:< http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002012005000019>




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-010

Refbacks

  • There are currently no refbacks.