Análise da prevalência de dor lombar associada à atividades ocupacionais: uma revisão integrativa de literatura/ Analysis of the prevalence of lower back pain associated with occupational activities: an integrative literature review

Luma Lopes da Silva, Alzira Alves Prates Neta, Carolayne Fernandes Prates, Juliane Silva Soares, Thierry Amorim Araújo, Alana Maria Alves Costa, Tarcísio Viana Cardoso, Romeu Costa Moura

Abstract


Introdução: De acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a lombalgia é uma condição multifatorial, que pode estar relacionada ao trabalho, fatores organizacionais, físicos, psicossociais e sociológicos. Objetivos: Analisar a Prevalência de dor lombar associada à atividades ocupacionais por meio de revisão de Literatura. Metodologia: Foi realizada uma revisão integrativa de literatura, descritiva e exploratória. A busca de artigos foi realizada através das bases de dados Scielo e Lilacs, utilizando os seguintes descritores “dor lombar em trabalhadores” “dor lombar” e “trabalhadores”. Foram selecionados 67 artigos nos idiomas Inglês e Português. Porém, após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, apenas 15 artigos foram inclusos na amostra final. Os artigos selecionados foram publicados entre os anos de 2006 e 2018. Resultados/Discussão: Os estudos apontam considerável prevalência de dor lombar em profissionais de todas as áreas analisadas, o que pode gerar consequências para a vida pessoal e profissional. Como fatores de risco podem ser ressaltados: desfavorável ambiente de trabalho e posições estáticas por períodos prolongados. Conclusão: Com base nos estudos analisados, percebe-se que a dor lombar em profissionais é algo muito recorrente. Diante disso, nota-se a necessidade de adoção de medidas preventivas em empresas e instituições. Além disso, é imprescindível a realização de mais pesquisas voltadas ao diagnóstico cinético-funcional e formas de tratamento focalizadas nesse público-alvo. Através dessas medidas, torna-se possível alcançar um prognóstico positivo de prevalência associada a dor lombar em profissionais.


Keywords


Dor, Lombalgia, Ocupação, Epidemiologia.

References


WALKER, B. F. The prevalence of low back pain: a systematic review of the literature from 1966 to 1998. J Spinal Disord, v. 13, n. 3. p. 205-17, june/2000. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10872758>.

HOY D. et al. A systematic review of the global prevalence of low back pain. Arthritis Rheum, v. 64 n. 6, p. 2028-37, june/2012. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22231424>.

FERREIRA M. L. et al. Factors defining careseeking in low back pain: a meta-analysis of population based surveys. Eur J Pain, v. 14, n. 7, p. 747, august/2010. Disponível em:.

KRISMER, M.; VAN TULDER, M. Low back pain (non-specific). Best Pract Res Clin Rheumatol, v. 21, p. 77-91, 2007.

HOOGENDOORN W. E. et al. Revisão sistemática de fatores psicossociais no

trabalho e na vida privada como fatores de risco para dor nas costas. Spine, v. 25, n. 16, p. 2114-25, 2000.

TROUP, J. D. A percepção da dor nas costas e o papel dos testes psicofísicos de capacidade de elevação. Spine, v. 12, n. 7, p. 645-57, 1987.

SHEKELLE, P. G.; MARKOVICH, M., LOUIE R. An epidemiologic study of eisodes of back pain care. Spine, v. 20, n. 15, p. 1668-73, august/1995. Disponível em: .

CAVANAUGH, J. M.; WEINSTEIN, J. N. Low back pain: epidemiology, anatomy and neurophysiology. Textbook of pain, New York, 1994.

TEIXEIRA, M. J. Epidemiologia clínica da dor. Rev. Med., v. 78, n. 1, p. 36-42, janeiro-março/1999.

SOUZA, A. C.; Coluci, M. Z. O.; Alexandre, N. M. C. Sintomas osteomusculares em trabalhadores da Enfermagem: uma revisão integrativa. CiencCuid Saúde v. 8, n. 4, p. 683-90, 2009. Disponível em: < http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/9707>.

YAMADA, K. A. et al. Escala de Confiança de Baixa Atividade (LoBACS): validade preliminar e confiabilidade. Phys Ther, v. 91, n. 11, p. 1592-603, 2011.

MURTEZANI, A. et al. A dor lombar prediz ausência de doença entre trabalhadores de usinas de energia. Indian J Occup Environ Med., v. 14, n. 2, p. 49-53, 2010.

SOUZA, M. T., SILVA, M. D., CARVALHO, R. Revisão integrativa: O que é e como fazer. Einstein, v. 8, n. 1, p. 102-106, São Paulo, 2010. Disponível em: .

GUIMARÃES, B. M. et al. Análise da carga de trabalho de analistas de sistemas e dos distúrbios osteomusculares. Fisioter. mov., v.24, n.1, Curitiba, Janeiro-Março/2011. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/fm/v24n1/v24n1a13>.

SILVA, J. F. C.; SOUZA, M. C. Avaliação da dor em trabalhadores da indústria

têxtil. Rev. Dor, v. 17, n.4, São Paulo, Outubro-Dezembro/2016. Disponível em: .

LONGEN, W. C. et al. Avaliação da incapacidade e qualidade de vida de trabalhadores da produção de indústrias cerâmicas. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, 2018. Disponível em: < http://www.rbmt.org.br/details/288/pt-BR/avaliacao-da-incapacidade-e-qualidade-de-vida-de-trabalhadores-da-producao-de-industrias-ceramicas>.

MAGNAGO, T. S. B.S. Condições de trabalho, características sociodemográficas e distúrbios musculoesqueléticos em trabalhadores de enfermagem. Acta paul. enferm., v.23, n.2, São Paulo, Março-Abril/2010. Disponível em: .

SILVA, L. G.; SILVA, M. C. Condições de trabalho e saúde de professores pré-escolares da rede pública de ensino de Pelotas, RS, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: .

SILVA, M. R.; FERRETTI, F; LUTINSKI, J. A. Dor lombar, flexibilidade muscular e relação como nível de atividade física de trabalhadores rurais. Saúde debate, v.41, n.112, Rio de Janeiro Janeiro-Março/2017. Disponível em: < https://www.scielosp.org/pdf/sdeb/2017.v41n112/183-194/pt>.

ANDRUSAITIS, S. F.; OLIVEIRA, R. P.; FILHO, T. E. P. B. Estudo da prevalência e fatores de risco para lombalgia em caminhoneiros do estado de São Paulo, Brasil. Clínicas. v. 61, n.6, São Paulo, 2006. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1807-59322006000600003&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>.

CARMO, I. C. et al. Fatores associados à sintomatologia dolorosa e qualidade de vida em odontólogos da cidade de Teresina – PI. Rev. bras. epidemiol., v.14, n.1, São Paulo, Março/2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbepid/v14n1/13.pdf>.

ARAÚJO, S. P., CARVALHO, L. N., MARTINS, E. S. Lower back pain and level of disability amongst construction workers. Fisioter. mov. v.29, n.4, Curitiba, Outubro-Dezembro/2016. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/fm/v29n4/1980-5918-fm-29-04-00751.pdf>.

HAEFFNER, R. Prevalência de lombalgia e fatores associados em trabalhadores de uma empresa agropecuária do sul do Brasil. Rev Bras Med Trab., v. 13, n. 1, p.35-42, 2015. Disponível em: < http://files.bvs.br/upload/S/1679-4435/2015/v13n1/a5335.pdf>.

REIJANI, N.; BENETTI, F. A. Principais queixas osteomusculares em músicos da região do ABC paulista: um estudo de prevalência. ABCS Health Sci., v. 41, n. 1, p. 40-45, 2016.

DORE, B. F.; GUERRA, R. O. Sintomatologia dolorosa e fatores associados em bailarinos profissionais. Rev Bras Med Esporte, v.13, n.2, Niterói, Março-Abril/2007. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922007000200002>.

SIQUEIRA, G. R.; CAHÚ, F. G. M.; VIEIRA, R. A. G. Ocorrência de lombalgia em fisioterapeutas da cidade de Recife, Pernambuco. Rev. bras. fisioter., v.12, n.3, São Carlos, Maio-Junho, 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbfis/v12n3/a10v12n3>.

PATARO, S. M. S.; FERNANDES, R. C. P. Trabalho físico pesado e lombalgia: a realidade na limpeza urbana. Rev. bras. Epidemiol., v.17, n.1, São Paulo, Janeiro-Março/2014. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-790X2014000100017&script=sci_arttext&tlng=pt>.

OLIVEIRA, A. H. A. et al. Sintomas Osteomusculares em Cirurgiões-Dentistas: Um Estudo Piloto, J Health Sci, v. 20, n. 2, p. 106-11, 2018. Disponível em: < https://revista.pgsskroton.com/index.php/JHealthSci/article/view/6083/4177>.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-004

Refbacks

  • There are currently no refbacks.