Diagnóstico quali-quantitativo da arborização da praça Jaci Barata “Zagury”, Macapá, Amapá, Brasil / Qualitative and quantitative diagnosis of the afforestation of Jaci Barata “Zagury” square, Macapá, Amapá, Brazil

Francisca Isabela Oliveira Ribeiro, Anthoinny Vittória dos Santos Silva, Leonardo Oliveira de Queiroz, Samyrams Brito da Silva, William Kalhy Silva Xavier, Elvis Silva Lima, Patrick de Castro Cantuária, Alana Carine Sobrinho Soares

Abstract


A arborização urbana tem um importante papel na qualidade de vida nas cidades. No entanto, o planejamento, a implementação e a manutenção da arborização, quando são realizados de forma inadequada ou insuficiente, aumentam os riscos de problemas fitossanitários e risco de queda das árvores. Sendo assim, este trabalho teve como objetivo, a avaliação do estado fitossanitário das árvores e das palmeiras e realizar um diagnóstico qualitativo e quantitativo das espécies, bem como o risco de queda dos indivíduos arbóreos e palmeiras da praça Jaci Barata, localizada na cidade de Macapá - AP. Para isso, foi realizado inventário da praça em todos os indivíduos arbóreos e palmeiras da praça com altura ≥ 1,3m e diâmetro a 1,30 > 5cm, bem como análise fitossanitária e análise de risco de queda visuais onde foram avaliados diversos aspectos desde a copa, tronco, até a base do tronco e análise fúngica através do isolamento foliar de árvores com sintomas de doenças. Os resultados apresentaram 79 indivíduos, pertencentes a 6 famílias botânicas, com dominância da família Fabaceae com 39,3% e das espécies Licania tomentosa e Clitoria fairchildiana com 25,3% cada. A avaliação do estado fitossanitário das árvores e palmeiras foi de 36% ótimo, 21% bom, 15% regular e 18% péssimo. Além disso, foram encontrados 4 gêneros fúngicos, sendo eles Curvularia sp.; Colletotrichum sp.; Nigrospora sp. e Fusarium sp. A espécie que apresentou maior risco de queda foi a Cassia javanica. Com isso, concluiu-se que é importante aumentar a diversidade de espécies, bem como, realizar a supressão e o monitoramento de alguns indivíduos. Além disso, o risco de uma infestação por fungos é baixo.


Keywords


Diversidade, Fitossanidade, Risco de Queda.

References


AZEVEDO, G.B.; FERREIRA, G.F.P.; SOUSA, G.T.O.; NOVAES, Q.S. Fungos associados a árvores e arbustos em vias públicas de vitória da conquista, ba. Enciclopédia biosfera: Centro Cientifico Conhecer-Goiânia, vol. 7, n.12, 2011.

BARNETT, H.L.; UNTER, B.B. Illustrated genera of imperfect fungi. 4 Ed. Burgess Publishing Company, Minneapolis, Minnesota, 1998. 218 p.

BRITO, L. de; OLIVEIRA, de L. W.; HOSSOMI, S. T. A análise da fitossanidade da espécie licania tomentosa, benth (chrysobalanaceae) (oiti) presente na arborização viária no município de rancharia – sp. Cidades Verdes, v.03, n.06, 2015, pp. 103-109.

BRUN, F. G.; MUNIZ, K.M.B. Doenças em árvores e plantas ornamentais urbanas. Departamento de Defesa Fitossanitário. Departamento de Ciências Florestais, Centro de Pesquisas Florestais. Santa Maria, 2006.

CASTRO, H. S.; DIAS, T. C. A. C.; AMANAJÁS, V. V. A. As geotecnologias como ferramenta para o diagnóstico da arborização urbana: o caso de Macapá, Amapá.Revista Ra’e Ga – Curitiba, v. 38, p. 146 -168, 2016.

COSTA-LEONARDO, A. M. Cupins-praga: morfologia, biologia e controle. Rio Claro: EDIFURB, 2002. 128 p.

ELLIS, M.B. More Dematiaceous Hyphomycetes. Commonwealth Mycological Institute Kew, Surrey, England. 1976. 507p.

FERREIRA, J. T. P; FERREIRA, E. P; SILVA, da M. B.; PETRAUSKAS, F. J. S. B.; TEOTONIO, F. B.Inventário e diagnóstico da arborização urbana do município de Piranhas – AL. AGRARIAN ACADEMY, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.3, n.06; p.25, 2016.

GOMES, E. M. C.; RODRIGUES, D. M. S. de; SANTOS, J. T.; BARBOSA, E. J. de. Análise quali-quantitativa da arborização de uma praça urbana do Norte do Brasil. Nativa, Sinop, v.4, n.3, p.179-186, mai./jun.2016.

GRISE, M. M.; BIONDI, D.; ARAKI, H. Índices espaciais da Floresta Urbana de Curitiba – PR. REVSBAU, Curitiba – PR, v.13, n.4, p. 01-14, 2018.

KURIHARA, D. L.; IMAÑA-ENCINAS, J.; PAULA de, J. E. Levantamento da arborização do campus da Universidade de Brasilia. Cerne, Lavras, v. 11, n. 2, p. 127-136, abr./jun. 2005.

LUCINI, F.; PUTZKE, J. Fungos fitopatogênicos em handroanthus chrysotrichus (ipê amarelo – bignoniaceae) cultivadas nos municípios de Santa Cruz do Sul e Venâncio Aires. Caderno de Pesquisa, série Biologia, volume 27, número 1 49 - RS Pg 49-55. 2015.

MACAPÁ. Plano de arborização urbana do município de Macapá – João Gualberto da Silva (Decreto 1678/2016). 2016.

MANUAL DE ARBORIZAÇÃO. Companhia Energética de Minas Gerais. Manual de arborização. Belo Horizonte: Cemig / Fundação Biodiversitas, 2011. 112 p.

MANUAL DE ARBORIZAÇÃO. Manual para elaboração do plano municipal de arborização urbana. 2ª edição. Curitiba – PR. 2018.

MARTINS, L. F. V.; ANDRADE, H. H. B.; ANGELIS, B. L. D. de. Relação entre podas e aspectos fitossanitários em árvores urbanas na cidade de Luiziana, Paraná. REVSBAU, Piracicaba – SP, v.5, n.4, p.141-155, 2010.

MENDES, F. H.; POLIZEL, J. L; SILVA FILHO, D. F. Arborização urbana, rural e paisagismo. IEF, 2012.

MICROSOFT CORPORATION. Excel. Disponível em: . Acesso em: 16 de dezembro de 2020.

OLIVEIRA, M. V. et al. Análise da arborização no bairro centro de Santarém, Pará. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 6, p. 35045-35049, 2020.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing. Vienna, 2014. Disponível em: . Acesso em: 16 de dezembro de 2020.

RIBEIRO, F. A. B. S. Arborização Urbana em Uberlândia: percepção da população. Revista da Católica, n. 1, p. 224-237. Uberlândia, 2009.

SANTOS, F. S.; LIMA de, D. P. FERREIRA, R. M. Levantamento de espécies arbóreas em via urbana do município de Foz do Iguaçu-Paraná. Macapá, v. 6, n. 3, p. 52-54, 2016.

SANTOS, K. P.C.; CUNHA, A.C.; COSTA, A.C.L.; SOUZA, E.B. Índices de tendências climáticas associados à “ilha de calor” em Macapá-AP (1968-2010). Revista Brasileira de Ciências Ambientais,n. 23, p. 1-16, 2012.

SEITZ, R. A. Manual: A Poda de Árvores Urbanas. Piracicaba, 2005.

SILVA, da E. M.; SILVA da, A M.; MELO, P. H. de; BORGES, S. S.; LIMA, S. C do. Estudo da arborização urbana do bairro Mansour, na cidade de Uberlândia-MG. Caminhos de Geografia 3(5), Fev/ 2002.

SILVA, E.A.P.C.; SILVA, P.P.C.; MOUEA, P.V.; CAMINHA, I.O. Os espaços de lazer na cidade: significados de lugar. Licere, v.15, n.2. Belo Horizonte, 2012.

SILVA FILHO, D.F.da. Cadastramento informatizado, sistematização e análise da arborização das vias públicas da área urbana do município de Jaboticabal, SP. 2002, 81f. Dissertação (Mestrado em Agronomia – Produção Vegetal) – Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2002.

SILVA, R.B.L. Diversidade, uso e manejo de Quintais Agroflorestais no Distrito do Carvão, Mazagão-AP, Brasil. 2010. 284 f. Tese (Doutorado em Ciências: Desenvolvimento Socioambiental) - Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Universidade Federal do Pará. Belém, 2010.

SILVA JUNIOR, et al. Levantamento de espécies arbóreas em vias públicas do município de Valença –Bahia. Braz. J. of Develop, Curitiba, v.6, n. 12. p.93958-93974 dec. 2020.

STRANGHETTI, V. SILVA DA, Z. A. Diagnóstico da arborização das vias públicas do município de Uchôa – SP. REVSBAU, Piracicaba – SP, v.5, n.2, p.124-138, 2010.

TOLEDO, S. R. G.; ROMAGNANO, L. F. T. D. Distribuição e ocorrência de cupim-subterrâneo Coptoterm esgestroi em árvores urbanas no município de São Paulo, Pacaembu. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOLOGIA, 16., 2006, Londrina. Resumos... Londrina: UEL, 2006. 1 CD-ROM.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-618

Refbacks

  • There are currently no refbacks.