Sentimentos das mulheres diagnosticadas com câncer de mama / Feelings of women diagnosed with breast cancer

Regina Célia Silveira, Alice Maria Correia Pequeno, Emanuel Ferreira de Araújo, Nahyanne Ramos Alves Xerez, Raimunda Rejane Viana da Silva, Kelly Karine portela Rios, Maiara Oliveira de Carvalho Barreto Paiva, Elisete Ferreira de Oliveira Alves

Abstract


INTRODUÇÃO: O Câncer de Mama (CM) é um tumor maligno que se desenvolve na mama como consequência de alterações genéticas num conjunto de células, que passam a se dividir descontroladamente. OBJETIVO descrever os sentimentos vivenciados pelas pacientes após descoberta do câncer de mama, em um centro de referência em Fortaleza-CE, no ano de 2018. METODOLOGIA: Pesquisa de campo, exploratória, de abordagem qualitativa. Foram selecionadas para esse estudo, 23 mulheres que receberam o diagnóstico de câncer de mama foi utilizado critério de inclusão e exclusão. Os participantes foram identificados pela letra PCT1, PCT2. A coleta de dados foi feita através de entrevista. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Mostra os sentimentos vividos pelas mulheres com CM em seu convívio social. A demonstração de superação as fases demanda de apoio psicossocial e familiar. CONCLUSÃO: A vida das mulheres com CM sofre muitas mudanças diante do diagnóstico e tratamento com o estigma da letalidade da doença.

 

 


References


- Rodrigues JD; Cruz MS; Paixão NA. Uma análise da prevenção do câncer de mama no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 20(10);3163-3176, 2015.

DOI: 10.1590/1413-812320152010.20822014.

- Tomazelli, JG et al. Avaliação das ações de detecção precoce do câncer de mama no Brasil por meio de indicadores de processo: estudo descritivo com dados do Sismama, 2010-2011. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 26(1) p. 61-70, Mar. 2017. Disponível em: .

- Inca. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativas 2018: Incidência de Câncer no Brasil, Coordenação de Prevenção e Vigilância. Rio de Janeiro: INCA, 2018. Disponível em: .

- Inca. Controle do câncer de mama: documento de consenso. Rev bras cancerol.; 50,(7). 2, p.77-90, 2004. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/rbc/n_50/v02/pdf/NORMAS.pdf. .

- Paredes CG et al. Impacto da reconstrução mamária na qualidade de vida de pacientes mastectomizadas atendidas no Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Walter Cantídio. Rev Bras Cir Plást. 28(1); 100-4, 2013. Disponível em:

.

- Carvalho, SMF et al. prevalência de depressão maior em pacientes com câncer de mama. Rev. bras. crescimento desenvolv. hum., São Paulo, v. 25, n. 1, p. 68- 74, 2015. Disponível em:

.

- Silva MS, Castro EK, Chem C. Qualidade de vida e auto-imagem de pacientes com câncer de cabeça e pescoço. Univ. Psychol.; 11(1),p. 13-23, jan-mar. 2012. Disponível em: http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/revPsycho/article/viewFile/514/1515.

- Gil, AC. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

- Minayo, MCS. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2013.

- Visentin, A. Avaliação da qualidade de vida e sobrevida de pacientes com câncer avançado na terapêutica paliativa. 2016. Disponível em: http://hdl.handle.net/1884/45483.

- Oshiro, ML et al. Câncer de mama avançado como evento sentinela para avaliação do programa de detecção precoce do câncer de mama no centro-oeste do Brasil. Revista Brasileira de Cancerologia, v. 60, n. 1, p. 15-23, 2014. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/rbc/n_60/v01/pdf/04-artigo-cancer-de-mama-avancado-como- evento-sentinela-para-avaliacao-do-programa-de-deteccao-precoce-do-cancer-de-mama- no-centro-oeste-do-brasil.pdf.

- Costa, ID et al. Utilização de um core set da cif para a descrição da atividade e participação de mulheres submetidas ao tratamento cirúrgico para o câncer de mama. Revista Interdisciplinar Ciências Médicas, v. 2, n. 1, p. 4-14, 2018. Disponível em: http://revista.fcmmg.br/ojs/index.php/ricm/article/view/53/27.

- Barros, KNM et al. TERAPIAS UTILIZADAS EM PACIENTES DIAGNOSTICADAS COM CÂNCER DE MAMA EM UMA CIDADE DO SUL DE

MINAS GERAIS DOI: http://dx. doi. org/10.5892/ruvrd. v14i1. 2766. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 14, n. 1, p. 867-873, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v14i1.2766.

- Almeida, TG et al. Vivência da mulher jovem com câncer de mama e mastectomizada. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v. 19, n. 3, p. 432-438, 2015.

- Perlini, NMOG et al. A FAMÍLIA FRENTE AO ADOECIMENTO POR CÂNCER DE MAMA THE FAMILY BEFORE TO ILLNESS FROM BREAST CANCER LA FAMILIA FRENTE A LA ENFERMEDAD DE CÁNCER DE MAMA. 2016.

Disponível em https://www.researchgate.net/profile/Nara_Girardon- Perlini/publication/314389070_A_familia_frente_ao_adoecimento_por_cancer_de_ma ma/links/596bc6d4aca2728ca6861a71/A-familia-frente-ao-adoecimento-por-cancer-de- mama.pdf.

- Alvares, RB et al. Sentimentos despertados nas mulheres frente ao diagnóstico de câncer de mama. Journal of Nursing and Health, v. 7, n. 3, 2018. Disponível em: TTP://DX.DOI.ORG/10.15210/JONAH.V7I3.12639.

- Cezar, K; Nascimento, APC. Qualidade de vida de pacientes pós-mastectomizadas em reabilitação oncológica. Journal of Health Sciences, v. 16, n. 1, 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17921/2447-8938.2014v16n1p%25p.

- Neris, RR; Anjos, ACY. Experiência dos cônjuges de mulheres com câncer de mama: uma revisão integrativa da literatura. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 48, n. 5, p. 922-931, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0080-

- Salci, MA; Marcon, SS. Enfrentamento do câncer em família. Texto & Contexto Enfermagem, v. 20, 2011. Disponível em: http://www.redalyc.org/html/714/71421163023/.

- Caetano, EA; Gradim, CVC; Santos, LES. Câncer de mama: reações e enfrentamento ao receber o diagnóstico. Rev enferm UERJ, v. 17, n. 2, p. 257-61, 2009.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-596

Refbacks

  • There are currently no refbacks.