Financiamento do 13º. salário – faltaram recursos em caixa? / Financing of the 13th. salary – lack of cash resources?

Evandir Megliorini, Ary Silveira Bueno

Abstract


Ao longo do ano civil, as empresas, em obediência ao princípio contábil da competência, apropriam como custos, despesas administrativas e comerciais, o décimo terceiro salário devido aos funcionários, mais os encargos correspondentes, como as contribuições sociais e o FGTS. Como o décimo terceiro salário mais os encargos são pagos em determinadas épocas, normalmente nos últimos dois meses do ano, tem-se, como regra, que estes custos e despesas não representam desembolsos nos demais meses, devendo, portanto, sobrar, no caixa das empresas nestes meses. Uma boa gestão do caixa indica que tais valores incorporados aos custos e despesas,na formação dos preços de produtos, mercadorias e serviços, devem ser acumulados em um fundo de reserva desde o início do ano, para que se tenham recursos suficientes para quitação de tais obrigações nas datas oportunas. Entretanto, parcela importante de empresas não procede desta forma, necessitando captar recursos, utilizar as vendas do último trimestre do ano, eventuais antecipações de recebíveis etc., para saldar estes compromissos. Tem-se, então, para estas empresas, um custo financeiro relativo a esses recursos não incluído na formação do preço de venda dos produtos, mercadorias e serviços, consequentemente, afetando negativamente o lucro das mesmas. Assim, o objetivo do presente artigo é discutir a constituição de reservas relativas a estes custos e despesas, ou seja, o décimo terceiro salário, as contribuições sociais e ao FGTS. Para desenvolver o trabalho, foi empreendido um estudo exploratório sob a forma de pesquisa bibliográfica.


Keywords


décimo terceiro salário; contribuições sociais e FGTS; fundo de reserva

References


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 05 out. 2016.

BRASIL. Decreto-Lei nº 4.542/1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del5452.htm. Acesso em: 05 out. 2016.

BRASIL. Lei nº 4.090/62. Institui a Gratificação de Natal para os Trabalhadores. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L4090.htm. Acesso em: 05 out. 2016.

BRASIL Lei nº 4.749/1965. Dispõe sobre o Pagamento da Gratificação Prevista na Lei n º 4.090, de 13 de julho de 1962. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L4749.htm. Acesso em: 05 out. 2016.

BRASIL. Decreto nº 57.155/1965. Expede nova regulamentação da Lei nº 4.090, de 13 de julho de 1962, que institui a gratificação de Natal para os trabalhadores, com as alterações introduzidas pela Lei nº 4.749, de 12 de agôsto de 1965. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1950-1969/d57155.htm. Acesso em: 01 Out. 2016.

BRASIL. Decreto-lei nº 1.535/1977. Altera o Capítulo IV do Título II da Consolidação das Leis do Trabalho, relativo a Férias, e dá outras providências. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del1535.htm. Acesso em: 01 out. 2016.

BRASIL. Decreto nº 3.000/1999. Regulamenta a tributação, fiscalização, arrecadação e administração do Imposto sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3000.htm. Acesso em: 01 out. 2016.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia Científica. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. Resolução CFC nº 1.282. Atualiza e consolida dispositivos da Resolução CFC nº 750/93, que dispõe sobre os Princípios Fundamentais de Contabilidade. Disponível em:http://www.normaslegais.com.br/legislacao/respcaocfc1282_2010.htm. Acesso em: 10 out. 2016.

FIEP – Federação das Indústrias do Paraná. Linhas de Financiamento do 13º Salário - Capital de Giro. Publicado em 27 de novembro de 2015. Disponível em:http://www.fiepr.org.br/para-empresas/credito/linhas-de-financiamento-do-13-salario---capital-de-giro-2-31008-304240.shtml. Acesso em: 13 out. 2016.

FIESP (2015).Projeto “Rumos da Indústria Paulista”. Movimento do final do ano e Pagamento do 13º Salário. Outubro 2015. Disponível em:http://az545403.vo.msecnd.net/uploads/2015/11/rumos-final-do-ano-e-13o-2015.pdf. Acesso em: 11 out. 2016.

LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 1991.

MEGLIORINI, Evandir. Custos. Análise e Gestão. São Paulo: Prentice Hall, 2012.

NORONHA, Eduardo G.; DE NEGRI, Fernanda; ARTUR, Karen. Custos do trabalho, direitos sociais e competitividade industrial. In: DE NEGRI, J. A.; DE NEGRI, F.;

COELHO, D. (Org.). Tecnologia, exportação e emprego. Brasília, DF: Instituto Econômico de Pesquisa Aplicada, Brasília, 2006. Cap. 7. Disponível em:http://www.en.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/livros/Cap_7.pdf. Acesso em: 06 set. 2016.

PORTAL BRASIL. Custos com empregado vão além do salário. 2012. Disponível em:http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2012/02/custos-com-empregado-vao-alem-do-salario. Acesso em: 27 set. 2016.

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL – SRF. Instrução Normativa RFB nº 971/2009. Dispõe sobre normas gerais de tributação previdenciária e de arrecadação das contribuições sociais destinadas à Previdência Social e as destinadas a outras entidades ou fundos, administradas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB). Disponível em:http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?idAto=15937&. Acesso em: 10 out. 2016.

ROCHA, Wellington. Custo da mão-de-obra e encargos sociais. Caderno de Estudos da FEA/USP, nº 6, outubro de 1992. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-92511992000300003&script=sci_arttext. Acesso em: 06 set. 2016.

SEBRAE-SP. Dicas para pequenas empresas se prepararem para o pagamento do 13º salário. Publicado em 27 Agosto 2014. Disponível em:http://www.sebraesp.com.br/index.php/42-noticias/empreendedorismo/13453-dicas-para-pequenas-empresas-se-prepararem-para-o-pagamento-do-13-salario. Acesso em: 11 out. 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv4n5-236

Refbacks

  • There are currently no refbacks.