Análise do desperdício de alimentos na Escola Estadual Norte Goiano: fatores que auxiliam na redução dessa prática / Analysis of food waste at the Norte Goiano State School: factors that help reduce this practice

Carla Fonseca Alves Campos, Sônia Eduardo de Morais, Gabriela Pereira da Silva, Kamillla Pereira da Silva

Abstract


As perdas e desperdícios de alimentos ocorrem em todas as etapas da cadeia produtiva, como consequência desse cenário, observa-se modificações nos aspectos ambientais, econômicos e sociais. A escola, enquanto local de ensino por excelência, é favorável para aplicação de ações preventivas voltadas à prática do desperdício. Diante desse contexto, objetivou-se no presente trabalho analisar os desperdícios alimentares resultantes das refeições servidas no refeitório da Escola Estadual Norte Goiano. O presente estudo é de caráter quali-quantitativo na modalidade de estudo de caso, com participação de 200 alunos, devidamente matriculados na unidade de Ensino fundamental da Escola Estadual Norte Goiano no município de Araguaína no Tocantins. Observou-se uma perda de 21.864 kg de comida sólida, 19.100 kg de cascas de alimentos orgânicos e 20.243 ml de líquido. O componente com maior quantidade de desperdício foi cuscuz com leite e sopa. Dessa forma, nota-se que alguns hábitos como: planejar as compras e adquirir somente o que vai consumir, observar a validade dos produtos, utilizar ao máximo todas as partes dos alimentos, reciclar as refeições e verificar as informações sobre os impactos sociais e ambientais causadas pelo fabricante ou produtor são ações que podem contemplar a diminuição do desperdício e o desenvolvimento sustentável.

 

 


Keywords


Alimentação, Ambiente escolar, Resíduos orgânicos.

References


Brasil, Ministério da Saúde. (2019, 20 de setembro). Alimentação mais saudável nas escolas. Recuperado de: .

Brasil, Ministério da educação. (2020, 13 de outubro). Alimentação escolar. Recuperado de: https://www.gov.br/mec/pt-br.

Cargill. (2020, 17 de outubro). Alimentação em foco: alimentação escolar, a consciência também se aprende na escola. Recuperado de: https://alimentacaoemfoco.org.br/alimentacao-escolar.

Carvalho, C. C., & Basso, C. (2016). Aproveitamento integral dos alimentos em escola pública no município de Santa Maria-RS. Disciplinarum Scientia Saúde, 17 (1), 63-72.

Embrapa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA. (2020, 21 de outubro). Pesquisa revela que família brasileira desperdiça 128 quilos de comida por ano. Recuperado de: https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/37863018/pesquisa-revela-que-familia-brasileira-desperdica-128-quilos-de-comida-por-ano.

Filho, J. F., & Targino, M. V. P. (2017). Influência da merenda escolar na construção de hábitos alimentares saudáveis e o papel do Nutricionista. Revista Eletrônica Acervo Saúde/Electronic Journal Collection Health ISSN, 2178(1), 2091.

Gil, Y. D. L. A. C., Piccoli, C., & Steffens, C. (2019). Aproveitamento integral de alimentos: avaliação físico-química de bolos à base de abóbora de pescoço (Cucurbita moschata). Revista da Associação Brasileira de Nutrição-RASBRAN, 10(1), 109-116.

Gonçalves, P. (2011). A cultura do supérfluo: lixo e desperdício na sociedade de consumo. Editora Garamond.

Instituto Akatu. (2020, 22 de outubro). Porque jogar fora? Conscientização que contagia. Recuperado de: https://docplayer.com.br/17537696-Consumo-consciente-de-alimentos-conteudo-desenvolvido-pelo-instituto-akatu.html.

Jesus, C., & Pires, I. (2018). “Fechar o ciclo”. A contribuição da economia circular para o combate ao desperdício alimentar. Revista Ecologias Humanas, 4(4), 7-20.

Laurindo, T. R., & Ribeiro, K. A. R. (2014). Aproveitamento integral de alimentos. Interciência & Sociedade, 3(2).

Monteiro, B. de A (2009). Valor nutricional de partes convencionais e não convencionais de frutas e hortaliças (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Faculdade de Ciências Agronômicas, Botucatu.

Morhy, P. E. D., Gonzaga, A. T., de Andrade, A. N., Terán, A. F., de Souza, S. A., de Melo Medeiros, L., & de Almeida, E. T. G. (2020). Relação criança e ambiente: uma experiência de educação ambiental usando um circuito sensitivo. Brazilian Journal of Development, 6(12), 96825-96841.

Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação - UNIC (2017, 20 de julho). Relatório apoiado pela ONU traça origens e causas do desperdício global de alimentos. Recuperado de: https://nacoesunidas.org/relatorio-apoiado-pela-onu-traca-as-origens-e-as-causas-do-desperdicio-global-de-alimentos/.

PINHO, J. S., & LIMA, S. V (2018). Lixo e desperdício: fazendo contas. Relva, 5(1), 111-125.

Ribeiro, J. M. P.; & Rocha, A. (2013). Quantificação do desperdício alimentar num centro escolar. Alimentação Humana, 19(1).

Schneider, V. E., Peresin, D., Trentin, A. C., Bortolin, T. A., & Sambuichi, R. H. R. (2012, 15 de julho). Diagnóstico dos resíduos orgânicos do setor agrossilvopastoril e agroindustriais associadas. Recuperado de em:.

Silva, E. O., Amparo-Santos, L., Soares, M. D. Alimentação escolar e constituição de identidades dos escolares: da merenda para pobres ao direito à alimentação. Cadernos de Saúde Pública, 34 (1), 2018.

Storck, C. R., Nunes, G. L., Oliveira, B. B. D., & Basso, C. (2013). Folhas, talos, cascas e sementes de vegetais: composição nutricional, aproveitamento na alimentação e análise sensorial de preparações. Ciência Rural, 43(3), 537-543.

Torrent, I. F., da Silva, L. E. A., Silva, C., dos Santos, L. C., & Pereira, S. C. L. (2018). Desperdício de Alimentos no Ambiente Escolar. Revista Espacios, 39(48), 5.

Unicef. (2020, 20 de outubro). Relatório Anual. Recuperado de: https://www.renatoroseno.com.br/noticias/relatorio-unicef




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-588

Refbacks

  • There are currently no refbacks.