Morfologia de confluência fluvial de ângulo agudo em área de controle geológico, Guarapuava, Paraná / Morphology of an acute-angle river confluence in a geological control area, Guarapuava, Paraná

Alessandro Kominecki, Leandro Redin Vestena

Abstract


Os canais fluviais no planalto basáltico do Paraná são deveras influenciados pela natureza geológica onde as morfologias e as dinâmicas de transporte de água e sedimentos são muitas vezes estabelecidas pelos controles geológicos e composições litológicas. Os estudos de confluências fluviais com essas especificidades são escassos na literatura, com predominância de investigações voltadas a áreas de confluências fluviais de composição de leito essencialmente aluvial. O presente estudo teve por objetivo entender a morfologia de confluência fluvial com ângulo de junção agudo, sob uma área de controle geológico, assentada no planalto basáltico do Paraná, mais especificadamente, na junção do tributário Rio do Cachorro no rio das Pedras um importante rio em razão de ser o principal manancial de abastecimento público de água no município de Guarapuava. Os procedimentos metodológicos consistiram: 1) na medição da vazão, largura, topografia de leito em seções fluviais em nível de margens plenas e da declividade do talvegue em segmentos fluvial a montante e jusante do rio principal e a montante no rio tributário após a junção fluvial. E 2) no mapeamento da morfologia e de áreas próximas da confluência usando imagens áreas obtidas com o auxílio de um veículo aéreo não tripulado. Os lineamentos que atravessam a área de confluência investigada, produzem mergulho de bloco tectônico e dois comportamentos distintos nos segmentos dos canais da junção. O rio principal com curso fluvial de morfologia retilínea, leito rochoso e dinâmica de entalhamento no leito, e o tributário com preenchimento sedimentar gerado pelo mergulho do bloco tectônico e denudação das vertentes. Ambos os trechos, montante, jusante e tributário da confluência, tem sua dinâmica hidrogeomorfológica afetada pelo ângulo de junção agudo e pelo mergulho do bloco tectônico. A morfologia da confluência de ângulo agudo do rio do Cachorro no rio das Pedras é determinada pelo controle geológico, em detrimentos das forças hidráulicas.


Keywords


Geomorfologia fluvial, junção fluvial, Leito fluvial rochoso.

References


Best, J. L. The morphology of river channel confluences. Progress in Physical Geography, v. 10, n. 2, p. 157–174, 1986.

Best, J. L. Sediment transport and bed morphology at river channel confluences. Sedimentology, v. 35, n. 3, p. 481- 498, 1988.

Best, J. L.; Reid, I. Separation zone at open-channel junctions. Journal of Hydraulic Engineering, v. 110, n. 11, p. 1588-1594, 1984.

Cheng, D.; Song, J.; Wang, W.; Zhang, G. Influences of riverbed morphology on patterns and magnitudes of hyporheic water exchange within a natural river confluence. J. Hydrology, v. 574, n. April, p. 75–84, 2019. Elsevier.

Creelle, S.; Schindfessel, L.; De Mulder, T. Modelling of the tributary momentum contribution to predict confluence head losses. Journal of Hydraulic Research, v. 55, n. 2, p. 175-189, 2017. Taylor and Francis Ltd.

Dingman, S.L.; Sharma, K.P. Statistical development and validation of discharge equations for natural channels. J. Hydrology, v. 199, n. 1-2, p. 13-35, 1997.

Gutierrez, R. R.; Abad, J. D.; Choi, M.; Montoro, H. Characterization of confluences in free meandering rivers of the Amazon basin. Geomorphology, v. 220, p. 1-14, 2014. Elsevier B.V.

Hackney, C.; Carling, P. The occurrence of obtuse junction angles and changes in channel width below tributaries along the Mekong River, south-east Asia. Earth Surface Processes and Landforms, v. 36, n. 12, p. 1563-1576, 2011.

Herrero, H. S.; Díaz Lozada, J. M.; García, C. M.; et al. The influence of tributary flow density differences on the hydrodynamic behavior of a confluent meander bend and implications for flow mixing. Geomorphology, v. 304, p. 99-112, 2018.

Jung, K.; Marpu, P. R.; Ouarda, T. B. M. J. Improved classification of drainage networks using junction angles and secondary tributary lengths. Geomorphology, v. 239, p. 41-47, 2015. Elsevier B.V.

Lima, A. G. de. Controle geológico e hidráulico na morfologia do perfil longitudinal em rio sobre rochas vulcânicas básicas da Formação Serra Geral no Estado do Paraná. Florianópolis, 2009. 220p. Tese (Doutorado em Geografia) - Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina.

Luz, L. D.; Szupiany, R. N.; Parolin, M.; Silva, A.; Stevaux, J. C. Obtuse-angle vs. confluent sharp meander bends: insights from the Paraguay-Cuiabá confluence in the tropical Pantanal wetlands, Brazil. Geomorphology, v. 348, p. 1-14, 2020. Elsevier B.V.

Mazgareanu, I.; Biron, P. M.; Buffin-Bélanger, T. A fuzzy GIS model to determine confluence morphological sensitivity to tributary inputs at the watershed scale. Geomorphology, v. 357, 2020.

Nardy, A. J. R. Geologia e Petrologia do Vulcanismo Mesozóico da Região Central da Bacia do Paraná. Rio Claro, 1995. 316p. Tese (Doutorado em Geociências) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista.

Penna, N.; De Marchis, M.; Canelas, O. B.; et al. Effect of the junction angle on turbulent flow at a hydraulic confluence. Water (Switzerland), v. 10, n. 4, p. 1-23, 2018.

Radecki-Pawlik, A. Bankfull discharge in mountain streams: Theory and practice. Earth Surface Processes and Landforms, v. 27, n. 2, p. 115-123, 2002.

Roy, A.G. River channel confluences. In: River Confluences, Tributaries and the Fluvial Network, 1st ed.; John Wiley & Sons Ltd.: West Sussex, UK, 2008; p. 13-16. ISBN 9780470026724.

Sambrook Smith, G. H.; Nicholas, A. P.; Best, J. L.; et al. The sedimentology of river confluences. Sedimentology, v. 66, n. 2, p. 391-407, 2019.

Stevaux, J. C.; Latrubesse, E. M. Geomorfologia Fluvial. São Paulo: Oficina de Textos, 1. ed., v. 3, 2017, 336 p.

Woodyer, K. D. Bankfull frequency in rivers. Journal of Hydrology, v.6, p. 114-142, 1968.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-543

Refbacks

  • There are currently no refbacks.