O teto de vidro e as instituições militares: um estudo de caso no 7º batalhão de Bombeiros Militar de Minas Gerais / The glass ceiling and military institutions: a case study in the 7th battle of Military Firefighters of Minas Gerais

Welberte F. Araújo, Gilmar R. Santos, Dimas R. Sales

Abstract


O presente estudo buscou investigar as práticas sociais e os discursos predominantes, historicamente construídos pelas mulheres que exercem cargos de chefia no 7º Batalhão de Bombeiros Militar, a partir do fenômeno denominado “teto de vidro”. Como opção  metodológica optou-se por um estudo de cunho qualitativo, com a apropriação de instrumentos clássicos de investigação descritiva, buscou-se debruçar sobre o tema gênero e trabalho. Os sujeitos entrevistados foram mulheres, que ocupam cargos de chefia alocadas no serviço operacional e administrativo do 7º BBM. A partir dessas referências, o estudo em tela priorizou a descrição, interpretação e análise das relações de gênero e poder pré-existentes e emergentes no cotidiano do ambiente militar do Corpo de Bombeiros.


Keywords


Teto de vidro, Gênero e Corpo de Bombeiros.

References


ANTUNES, Ricardo. Século XXI: nova era da precarização estrutural do trabalho? In: SEMINÁRIO NACIONAL DE SAÚDE MENTAL E TRABALHO, 2008, São Paulo. Anais eletrônicos. Disponível em: < http://www.fundacentro.gov.br/dominios/CTN/ Acesso em: 27 jul.2017.¬¬

BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991.

BOTELLO, Nelson Arteaga. El trabajo del las mujeres policías. El Cotidiano, México, Universidad Autónoma Metropolitana-Azcapotzalco Distrito Federal, v. 16, n. 101, p. 74-83, mayo./jun. 2000.

BOURDIEU. Pierre. A dominação masculina. (trad). Maria Helena Kühner. 2ªed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

BRASIL. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Mulheres e Trabalho: breve análise do período 2004-2014. Nota Técnica n. 24. Brasília, março de 2016. http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/nota_tecnica/160309_nt_24_mulher_trabalho_ marco_2016.pdf. Acesso em: 25 mar. 2017.

_______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada. Pesquisa Mensal de Emprego (PME): 2011. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalho.erendimento/pme_nova/princ_carac_trab_dom.pdf. Acesso em 11. Jul. 2017.

CALAZANS, M. E. Mulheres no policiamento ostensivo e a perspectiva de uma segurança cidadã. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 18, n. 1, 2003.

________________. Incêndio com amor se apaga. Montes Claros. Unimontes, 2003.

ENGELS, Friedrich. O papel do trabalho na transformação do macaco em homem. 3. ed. São Paulo: Global editora, 1986. 57p.

ETULAIN, Carlos. R. Trabalho e diversidade do trabalho na sociedade moderna. In: SEMINÁRIO DE GESTÃO E NEGÓCIOS DA UNIFAE, 2., 2005, Curitiba. Anais... Curitiba: UNIFAE, 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 jun 2017.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: a vontade do saber. trad. Maria Tereza da Costa Albuquerque.5.ed.Rio de Janeiro,1974.

GOFFMAN,Erving. Manicônios , prisões e conventos. São Paulo: Perspectiva,1974.

HARVEY, David. A condição pós ¬moderna: uma pesquisa sobre as origens de mudança cultural. São Paulo: Loyola, 1993.

KERGOAT, D. Divisão sexual do trabalho e relações sociais de sexo. In: H. Hirata (org.). Dicionário crítico do feminismo. São Paulo: Unesp, 2009.

MARRY, C. As carreiras das mulheres no mundo acadêmico: o exemplo da biologia. In: COSTA, A.

MARX, Karl. O Capital. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil Editora, 1988.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Ciência, técnica e arte: O desafio da pesquisa social.In. Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade/Suely Ferreira Deslandes, Otavio Cruz Neto,Romeu Gomes, Maria Cecília de Souza Minayo(organizadora). 7 ed. Petropóli:Vozes:1994.

NOGUEIRA, C. M. As relações sociais de gênero no trabalho e na reprodução. Disponível em: . Acesso em 10 mai.2017.

O.; SORJ, B.; BRUSCHINI, C.; HIRATA, H. Mercado de trabalho e gênero: comparações

SAFFIOTI, Heleiteth Iara Bongiovani. A mulher na sociedade de classe: mito e realidade. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1979.

SÃO PAULO. Mulher no bombeiro. Disponível em . Acesso em 23/10/2006

SCOTT, Joan. Gênero uma categoria útil de análise histórica. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 15, n. 2, 1995.

SOARES, Bárbara M; MUSUMECI, Leonarda. Mulheres polícias: presença feminina na Polícia Militar do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

STANCKI, Nanci da Luz. Divisão sexual do trabalho e profissões científicas e tecnológicas no Brasil. In: Construindo a igualdade na diversidade: gênero e sexualidade na escola / organização: Nanci Stancki da Luz, Marília Gomes de Carvalho, Lindamir Salete Casagrande.— Curitiba : UTFPR, 2009.286 p.

STEIL, A. V. Organizações, gênero e posição hierárquica: compreendendo o fenômeno do teto de vidro. Revista de Administração, São Paulo, v. 32, n. 3, p. 62-69, jul./set. 1997.

VAZ, D. V. O teto de vidro nas organizações públicas: evidências para o Brasil. Economia e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 3, p. 765-790, 2013.

WILLIAMS, Christine. Still a man’s world. Men who do “woman’s work”. London: University of California Press, 1995.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-541

Refbacks

  • There are currently no refbacks.