Óbitos por moléstias parasitárias negligenciadas no Brasil: doença de Chagas, esquistossomose, leishmaniose e dengue / Deaths due to neglected parasitic diseases in Brazil: Chagas disease, schistosomiasis, leishmaniasis and dengue

Cassiane Borges de Souza, Ana Paula Grala, Marcos Marreiro Villela

Abstract


Objetivo: Realizar um levantamento de dados sobre mortalidade no Brasil em decorrência de: esquistossomose, dengue, doença de Chagas (DC), leishmaniose e confrontá-las com aspectos epidemiológicos e socioeconômicos. Método: Foi elaborado um estudo retrospectivo e descritivo, considerando o período de 2008 a 2017, a partir da consulta e interpretação dos dados disponibilizados no Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) e do DATASUS/TABNET no que tange a mortalidade pelas 04 doenças infectoparasitárias já citadas. Foram também aferidas as variáveis: idade, sexo, grau de instrução, estado e município dos indivíduos, além de dividir o período em dois quinquênios A tabulação e análise estatística foram realizadas em Microsoft Excel® e Minitab versão XVIII®. Resultados: A DC correspondeu por 80,3% do número total de mortes para as quatro moléstias avaliadas. Na região Sudeste a ocorrência de óbitos foi maior para a DC e dengue, enquanto que na região Nordeste, prevaleceram a esquistossomose e as leishmanioses. Conclusão: a DC apresentou o maior número de óbitos, para as quatro moléstias investigadas, e mesmo que a notificação de novos casos venha diminuindo, esta enfermidade ainda causa grande impacto, principalmente, nas populações mais pobres, acima de 40 anos e com baixa escolaridade.

 

 


Keywords


Dengue, Esquistossomose, Leishmaniose, Mortalidade.

References


Werneck GL, Hasselmann MH, Gouvêa, TG. Panorama dos estudos sobre nutrição e doenças negligenciadas no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2011 [citado 2020 jun 14] 16(1):39-62. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/csc/2011.v16n1/39-62/.pdf doi: https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000100009

Nicoletti MA, Silva EL. Controle e tratamento das doenças negligenciadas: visão da situação atual. Revista Saúde [Internet].2013 [citado 2019 nov 03], v.7, n. 3/4. Disponível em: http://revistas.ung.br/index.php/saude/article/view/1525/1324.pdf

Ministério da Saúde (BR). Doenças negligenciadas: estratégias do Ministério da Saúde. [Internet] 2010. [citado 2018 Nov. 5] Brasília, DF. Rev. Saúde Públ. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v44n1/23.pdf

Fundação Oswaldo Cruz. Doenças Negligenciadas [Internet]. 2013 [citado 2018 nov 11] Disponível em: https://agencia.fiocruz.br/doen%C3%A7as-negligenciadas

Araujo IS; Moreira AL; Aguiar R. Doenças negligenciadas, comunicação negligenciada. Apontamentos para uma pauta política e de pesquisa. R. Eletr de comum, Info. Inov. Saúde, [Internet]. 2013 fev [citado 2020 jun 20]; v.6, n.4. Disponível em: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/706/1351 doi: https://doi.org/10.3395/reciis.v6i4.706.pdf

Werneck GL, Hasselmann MH, Gouvêa, Thaise G. Panorama dos estudos sobre nutrição e doenças negligenciadas no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva, [Internet]. 2011 [citado 2018 nov 10] 16(1):39-62. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n1/v16n1a09.pdf doi: https://doi.org/10.1590/S1413-81232011000100009.pdf

Malta DC, Duarte EC, Almeida Márcia F, Dias MAS, Neto OLM, Moura L, et al. Lista de causas de mortes evitáveis por intervenções do Sistema Único de Saúde do Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde [internet]. 2007out-dez [citado 2019 nov 03] 16(4):233-244, Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v16n4/v16n4a02.pdf

Brasil, Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria nº 1.271, de 6 de junho de 2014. Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território nacional, nos termos do anexo, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília (DF), 9 de jun.2014; Seção 1.

Duarte IG; Nagai MH; Mota NVVP; Bittar OJNV; Nishikuni YY. 3º Caderno de Indicadores/Compromisso com a Qualidade Hospitalar (CQH) [Internet]. 2009 [citado 2020 jul 22] Disponível em: http://www.cqh.org.br/portal/pag/doc.php?p_ndoc=127

Ministério da Saúde (BR) Datasus. SIM-Sistema de Informações de Mortalidade [internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2008 [citado 2019 nov 27]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=060701

SILVEIRA, A C. El impacto de la descentralización de los sistemas de salud en la prevención y control de la enfermedad de Chagas: el caso del Brasil. Descentralização e gestão do controle das enfermidades transmissíveis na América Latina. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, p. 203-14, 2006.

Dias JCP. Globalização, iniqüidade e doença de Chagas. Cad Saúde Pública, [internet], 2007 [citado 2020 jun 20] 23(Supl I): s13-s22. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v23s1/03.pdf doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007001300003

Carneiro M, Antunes CMF. Avaliação de Eficácia do Programa de Controle da Doença de Chagas: Aspectos Metodológicos. Cad Saúde Pública, [Internet].1994, [citado 2020 jun 20] Rio de Janeiro, 10 (supl. 2): 261-272, 1994. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v10s2/v10supl2a04.pdf doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X1994000800004

Villela MM; Souza JMB de; Melo VP; Dias JCP. Avaliação do Programa de Controle da Doença de Chagas em relação à presença de Panstrongylus megistus na região centro-oeste do Estado de Minas Gerais, Brasil. Cad Saúde Pública, [Internet]. Abr, 2009, [citado 2020 jun 20] Rio de Janeiro, 25(4):907-917. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2009000400022&script=sci_abstract&tlng=pt doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2009000400022.

Brasil. Lei no 7.649, de 25 de janeiro de 1988. Estabelece a obrigatoriedade do cadastramento dos doadores de sangue bem como a realização de exames laboratoriais no sangue coletado, visando a prevenir a propagação de doenças, e dá outras providências. Brasília: Presidência da República, 1988. Diário Oficial da União, Brasília (DF), 27 de janeiro de 1988; p. 1609, col. 1

Fundação Oswaldo Cruz. Doenças Negligenciadas [Internet]. 2004 [citado 2018 nov 02] Disponível em: http://www.fiocruz.br/pidc/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?tpl=home

Emerich, TB. Necessidades de saúde e direito à comunicação em tempos de midiatização. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação, Inovação em Saúde, [Internet]out.-dez 2016, [citado 2018 ago 27] 10(4)e-ISSN 1981-6278. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/17001/2/6.pdf

Barreto ML, Teixeira MG, Bastos FI, Ximenes RAA, Barata RB, Rodrigues LC. Sucessos e fracassos no controle de doenças infecciosas no Brasil: o contexto social e ambiental, políticas, intervenções e necessidades de pesquisa. The Lancet [Internet].2011, [citado 2020 jun 20]; (Saúde no Brasil 3):47-60. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/artigo_saude_brasil_3.pdf doi: 10.1016/S0140- 6736(11)60202-X

De Almeida, CAP, Da Silva, RM. Análise da ocorrência dos casos de dengue e sua relação com as condições socioambientais em espaços urbanos: os casos de João Pessoa, Cabedelo e Bayeux, no estado da Paraíba – Brasil. Hygeia - Rev Bras Geog Méd Saúde [Internet]. 2018 mar [citado 2019 nov 03] v. 14, n. 27, p. 56 - 79. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/38370. doi: http://dx.doi.org/10.14393/Hygeia142705.

Mendonça FA, Souza AV, Dutra DA. Saúde pública, urbanização e dengue no Brasil. Sociedade & Natureza [Internet] 2009 dez [citado 2019 nov 06]; 21 (3): 257-269. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sn/v21n3/a03v21n3.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/S1982-45132009000300003

Paixão ES, Costa MCN; Rodrigues LC, Rasella, D, Cardim LL, Brasileiro AC, et al. Trends and factors associated with dengue mortality and fatality in Brazil. Rev Soc Bras Med Trop [Internet]. 2015 july-aug [citado 2020 jul 20] v.48 n.4. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v48n4/1678-9849-rsbmt-48-04-00399.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/0037-8682-0145-2015

Da Mota JC, Campos MR, Schramm JMDA, Costa MDFDS. Estimativa de taxa de mortalidade e taxa de incidência de sequelas cardíacas e digestivas por doença de Chagas no Brasil, 2008. Epidemiol Serv Saúde, Brasília [Internet]. 2014 out-dez [citado 2019 out 27]; 23(4):711-720. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ress/v23n4/2237-9622-ress-23-04-00711.pdf . doi: https://doi.org/10.5123/S1679-49742014000400013

Dos Santos, VRC, Meis JD.; Savino W, Andrade JAA, Vieira JRDS.; Coura JR; et al. Acute Chagas disease in the state of Pará, Amazon region: is it increasing? Mem Inst Oswaldo Cruz [Internet]. 2018 [citado 2020 jul 21]; 113:e170298. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/mioc/v113n5/0074-0276-mioc-0074-02760170298.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/0074-02760170298

Esper HR, De Freitas VLT; Assy JGPL, Shimoda EY, Barreta OCP; Lopes MH, et al. Fatal evolution of acute Chagas disease in a child from Northern Brazil: factors that determine poor prognosis. Rev Inst Med Trop São Paulo [Internet]. 2019 [citado 2020 jul 21]; 61:e27. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rimtsp/v61/1678-9946-rimtsp-61-S1678-9946201961027.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/s1678-9946201961027

Matos R. Migração e urbanização no Brasil. Geografias artigos científicos, Belo Horizonte [Internet]. 2012 jan-jun [citado 2019 nov 03]; 08(1) 07-23 de. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/geografias/article/view/13326/10558

Júnior VBDS, Da Silva MTA, Da Cruz DF. Interface entre as Doenças Infecciosas e Parasitárias e a Estratégia Saúde da Família no Brasil. Rev Bras Ciênc Saúde [Internet]. 2018 [citado 2019 nov 03]; 22(4):325-332. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/7442/cc0ed03fe42d4925b8680be7b50caf91b64b.pdf. doi: 10.4034/RBCS.2018.22.04.05

Araújo AC, Rodrigues SC, Rezende ADFS, Villela MM, Borsuk S. Soroprevalência de infecção humana por Trypanosoma cruzi em uma área rural do sul do Brasil. Rev Patol Trop [Internet]. 2015 out.-dez [citado 2020 jul 22]; 44(4), 423-431. Disponível em: http://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/09/912345/39230-164296-1-pb.pdf. doi: https://doi.org/10.5216/rpt.v44i4.39230.

Stauffert D, da Silveira MF, Mesenburg MA Manta AB, da Silva AD, de Oliveira B GLB, et al. Prevalence of Trypanosoma cruzi/HIV coinfection in southern Brazil. The Braz J Infect Dis [Internet]. 2017 [citado 2020 jul 22]; 21(2), 180-184. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1413867016305529. doi: https://doi.org/10.1016/j.bjid.2016.10.006

Rosenthal LDA, Petrarca CR, Mesenburg MA, Villela MM. Trypanosoma cruzi seroprevalence and associated risk factors in cancer patients from Southern Brazil. Rev Soc Bras Med Trop [Internet]. 2016 nov-dez [citado 2020 jul 22]; 49(6), 768-771. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v49n6/0037-8682-rsbmt-49-06-00768.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/0037-8682-0202-2016

Silva MBA; Barreto AVMS; Oliveira YV; Bezerra SDC; Bispo BAJ. Perfil epidemiológico de pacientes suspeitos de esquistossomose e patologias associadas em um hospital pernambucano. Rev Enf [Internet]. 2015 jan-jun [citado 2020 jul 22];1(1):43 – 46. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/redcps.com.br/pdf/v1n1a07.pdf. doi: 10.5935/2446-5682.20150007

Pinto LF, De Freitas MPS, De Figueiredo AWS. Sistemas Nacionais de Informação e levantamentos populacionais: algumas contribuições do Ministério da Saúde e do IBGE para a análise das capitais brasileiras nos últimos 30 anos. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2018 Jun [citado 2020 jul 22]; 23(6):1859-1870. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v23n6/1413-8123-csc-23-06-1859.pdf. doi: 10.1590/1413-81232018236.05072018

Lima-Costa MF, Peixoto SV, Giatti L. Tendências da mortalidade entre idosos brasileiros (1980 - 2000). Epidemiol Serv Saúde, Brasília [Internet]. 2004 dez [citado 2020 jul 22]; v. 13, n. 4, p. 217-228. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v13n4/v13n4a04.pdf. doi: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742004000400004

Santo AH. Tendência da mortalidade relacionada à doença de Chagas, Estado de São Paulo, Brasil, 1985 a 2006: estudo usando causas múltiplas de morte. Rev Panam Salud P [Internet]. 2009 [citado 2020 jul 22]; 26(4):299–309. Disponível em: https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/9766/v26n4a03.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Matos CS. Doença de Chagas em Bambuí: estado atual e vigilância [tese]. Belo Horizonte (MG): Centro de Pesquisas René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz,, 2014. Disponível em: http://www.cpqrr.fiocruz.br/texto-completo/T_77.pdf

Rassi AJ, Rassi A, Marin-Neto JA. Chagas disease. The Lancet [Internet]. 2010 [citado 2020 jul 22]; 375:1388-1402. Disponível em: https://www.thelancet.com/action/showPdf?pii=S0140-6736%2810%2960061-X. doi: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(10)60061-X

Ferreira IDLM, Silva TPT. Mortalidade por esquistossomose no Brasil: 1980-2003. Rev Pat Trop [Internet]. 2007 jan.-abr [citado 2020 jul 22]; v. 36 (1): 67-74.Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/iptsp/article/view/1817/1736. doi:https://doi.org/10.5216/rpt.v36i1.1817

Resendes APDC, Souza-Santos R, Barbosa CS. Internação hospitalar e mortalidade por esquistossomose mansônica no Estado de Pernambuco, Brasil, 1992/2000. Cad Saúde Pública, Rio de Janeiro [Internet]. 2005 set-out, [citado 2020 jul 22] 21(5):1392-14. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v21n5/11.pdf doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000500011

Amâncio FF. Dengue em Minas Gerais: epidemiologia, análise de tendências e fatores associados ao óbito. 2014. [Tese] Belo Horizonte (MG): Universidade Federal de Minas Gerais, 2014. Disponível em: http://hdl.handle.net/1843/BUBD-9XCHKT

De Souza CSA. Análise temporal, espacial e fatores associados à mortalidade por leishmaniose tegumentar no Brasil [dissertação]. Belo Horizonte (MG): Instituto René Rachou, Fundação Oswaldo Cruz, 2018. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/34167.

De Oliveira JM, Fernandes AC, Dorval MEC, Alves TP, Fernandes TD, Oshiro ET, et al. Mortalidade por leishmaniose visceral: aspectos clínicos e laboratoriais. Rev Soc Bras Med Trop [Internet]. 2010 mar-abr [citado 2019 nov 02]; v.43 n.2. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v43n2/16.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/S0037-86822010000200016

Bittencourt SA, Camacho LA, Leal, C. Mdo. Hospital information systems and their application in public health. Cad. Saude Publica, [Internet]. 2006, [citado 2020 jul 22];v. 22, n. 1, p. 19-30. Disponível em: https://europepmc.org/article/med/16470279 doi:10.1590 / s0102-311x200600010000

Ballassiano M, Seabra AA, Lemos AH. Escolaridade, salários e empregabilidade: tem razão a teoria do capital humano? Rev Adm Contemp. [Internet]. 2005 out-dez [citado 2020 jul 22]; v. 9, n. 4. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rac/v9n4/v9n4a03.pdf doi: https://doi.org/10.1590/S1415-65552005000400003

Dos Santos CV, Bedin Cl, Wilhelms TS, Villela M. Assessment of the Housing Improvement Program for Chagas Disease Control in the Northwestern municipalities of Rio Grande do Sul, Brazil. Rev Soc Bras Med Trop [Internet]. 2016 sept-oct [citado 2020 jul 22]; v.49 n.5. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v49n5/0037-8682-rsbmt-49-05-00572.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/0037-8682-0386-2016

Teixeira MDG, Barreto ML, Costa MDCNC, Ferreira LDA, Vasconcelos PFC, Cairncross S. Dynamics of dengue virus circulation: a silent epidemicin a complex urban area. Trop Med Int Health [Internet]. 2002 sept [citado 2020 jul 22]; v. 7 n. 9 pp 757–762. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1046/j.1365-3156.2002.00930.x doi: https://doi.org/10.1046/j.1365-3156.2002.00930.x

Wong LP, Abubakar S, Chinna K. Community Knowledge, Health Beliefs, Practices and Experiences Related to Dengue Fever and Its Association with IgG Seropositivity. PLOS Neglect Trop D [Internet]. 2014 may [citado 2020 jul 22]; v. 8, ssue 5 e 2789. Disponível em: https://journals.plos.org/plosntds/article?id=10.1371/journal.pntd.0002789. doi: 10.1371 / journal.pntd.0002789

Gomes R, Do Nascimento EF, De Araújo FC. Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Cad. Saúde Pública [Internet] 200 mar [citado 2019 nov 02], 23(3):565-574. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v23n3/15.pdf. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2007000300015




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-524

Refbacks

  • There are currently no refbacks.