Estados brasileiros com maior produção científica sobre medicina de família e comunidade apresentam maiores expectativas de vida / Brazilian states with greater scientific production about family practice have greater life expectations

Daniel Madeira Cardoso, Isabel Mendes Lima, Maria Silveira Peres, Luís Filipe Fernandes Cabral, Bruna Chárin da Silva Sarmento, Pauline Martins Leite

Abstract


A Medicina de Família e Comunidade (MFC) presta cuidados primários, personalizados e continuados a indivíduos, famílias e coletividades; contribuindo expressivamente para redução de morbidades e mortalidade. Objetivo: associar a produção científica brasileira sobre MFC e a maior expectativa de vida. Realizou-se um levantamento de dados a partir da base Scopus com o descritor “Family Practice”. Paralelamente, obtiveram-se indicadores do site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Foram aplicados teste de Mann-Whitney e regressão linear simples, com significância fixada em p<0,05. Totalizaram-se 2.649 manuscritos, com destaque para as Regiões Sudeste (n=1.743; 65,7%) e Sul (n=860; 32,4%). Estados com maiores probabilidades de um recém-nascido completar 1 ano de vida tiveram mais publicações em comparação aos demais (p=0,0001). Unidades da federação com maiores expectativas de vida também exibiram maiores concentrações de trabalhos (p=0,0005). Além disso, territórios com maiores probabilidades de um indivíduo de 60 anos chegar a faixa etária de 80 também evidenciaram um maior quantitativo de manuscritos sobre MFC (p=0,0034). Houve relação entre a progressão temporal e o aumento do número de publicações brasileiras sobre MFC (p=0,0001). Percebe-se, portanto, a relevância das pesquisas acerca da temática. Logo, é imperativa a continuidade de investimento em estudos sobre MFC no Brasil.


Keywords


Medicina de Família e Comunidade, Produção Científica, Expectativa de Vida.

References


AFONSO M.P.D. et al. Association between hospitalisation for ambulatory care-sensitive conditions and primary health care physician specialisation: A cross-sectional ecological study in Curitiba (Brazil). BMJ Open. v.7, n.12, p.1-8, 2017.

APS, L.R.M.M. et al. Eventos adversos de vacinas e as consequências da não vacinação: uma análise crítica. Revista de Saúde Pública. v.52, n.40, p.1-13, 2018.

ARAÚJO, D.L. et al. Violência doméstica na gestação: aspectos e complicações para mulher e o feto. Rev Cient Esc Estadual Saúde Pública Goiás “Candido Santiago”. v.6, n.1, p.64-76, 2020.

ARRUDA, P.L.; MELO, R.A.; FERNANDES, F.E.C.V. Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária e indicadores financeiros do SIOPS: uma análise de correlação. J Bras Econ Saúde. v.12, n.2, p.142-8, 2020.

BASU, S. et al. Association of Primary Care Physician Supply With Population Mortality in the United States, 2005-2015. JAMA Intern Med. 2019. doi:10.1001/jamainternmed.2018.7624

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de atenção básica. Saúde da criança: crescimento e desenvolvimento. Brasília (DF); 2012.

CARDOSO, D.M. et al. Análise e caracterização da produção científica sobre a COVID-19 e sua associação com a mortalidade e ocorrência de casos. Revista Transformar. Edição especial “Covid-19”: pesquisas, diálogos transdisciplinares e perspectivas. 2020a.

CARDOSO, D.M. et al. Evolução da vacinologia na última década: uma análise cientométrica a partir de base de dados selecionada. Brazilian Journal of Development. v.6, n.10, p.76597-76610, 2020b.

CARDOSO, D.M. et al. Publicações sobre esquistossomose na Scopus: mapeamento, caracterização e análise da progressão temporal do tema aplicado à medicina e imunologia ao longo da série histórica de 2015 a 2019. In: CASTRO, L.H.A; PEREIRA, T.T. (eds). Ciências da saúde: avanços recentes e necessidades sociais 3. Editora Atena, p.180-200; 2020c.

CARDOSO, D.M.; GOMIDES, T.A.R. Contexto clínico-epidemiológico dos casos de hanseníase notificados em Governador Valadares, Minas Gerais - Brasil, entre 2015 e 2019. Revista Saúde (Santa Maria). v. 46, n. 2: e44459, p.1-12, 2020.

CARDOSO, D.M.; QUARTO, L.C. Produção científica mundial e nacional sobre o sarampo: caracterização do conteúdo indexado à base scopus no período de 2010 a 2019. In: CASTRO, L.H.A; PEREIRA, T.T. (eds). Ciências da saúde: avanços recentes e necessidades sociais 2. Editora Atena, p.154-168; 2020.

CROSS, D.; THOMSON, S.; SINCLAIR, A. Research in Brazil: A report for CAPES by Clarivate Analytics. Clarivate Analytics, Brasil, p. 7-15, dez. 2005. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/diversos/17012018-CAPES-InCitesReport Final.pdf. Acesso em: 18 mai. 2020.

DALLACOSTA, F.M. Estresse e Síndrome de Burnout: quando a saúde do trabalhador pede socorro. Revista Saúde (Santa Maria). v.45, n.2, p.1-8, 2019.

DIAS, B.V.M.C. et al. Relações familiares entre puerperas com gravidez na adolescência atendidas em unidades básicas de saúde em Olinda, Pernambuco. Brazilian Journal of Development. v. 6, n. 8, p. 60583-60596. 2020.

FALK, J.W. Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade: História. Disponível em: http://www.sbmfc.org.br/historia/ Acesso em: 21 set 2020.

GÉRVAS, J.; OLIVER, L.L.; PÉREZ-FERNANDEZ, M. Medicina de Familia y Comunidad y su papel en evitar los excesos sanitarios (preventivos, diagnósticos, terapéuticos y rehabilitadores). Ciênc. saúde coletiva. v.25, n.4, p.1233-1240, 2020.

HERMES, L. et al. Assistência pré-natal de estratégias de saúde da família e o desfecho hospitalar: ótica dos profissionais. Revista Saúde (Santa Maria). v. 44, n. 1, p. 1-11, 2018

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Tábua completa de mortalidade para o Brasil – 2018. Breve análise da evolução da mortalidade no Brasil. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/3097/tcmb_2018.pdf Acesso em: 21 set 2020.

JACO, B.R.; NORMAN, A.H. A filosofia da Medicina de Família e Comunidade segundo Ian McWhinney e Roger Neighbour. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. v.15, n.42(1991), p.1-9, 2020

JUIZ DE FORA. Secretaria de Saúde. Subsecretaria de Atenção Primária à Saúde. A estratégia de implantação do Plano Diretor da Atenção Primária em Saúde – PDAPS JF. Disponível em: https://www.pjf.mg.gov.br/secretarias/ss/plano_diretor/docs/implantacao.pdf Acesso em: 25 set 2020.

LEITE, D.S.; GOUVEIA, V.A.; SILVA, W.M. Diagnóstico de Saúde dos Trabalhadores em uma Empresa Agropecuária do Vale do São Francisco: Um relato de experiência. Brazilian Journal of Development. v. 6, n. 7, p.43915-43924, 2020.

LIMA, M.O. et al. Doença de chagas: estudo dos indicadores bibliométricos e da mortalidade associada ao agravo no Brasil, 2008-2018. In: CARDOSO, D.M. Ensino, pesquisa e extensão aplicados às ciências médicas. Editora Conhecimento Livre, p.490-511; 2020.

LOURENÇO, R.A.; PEREZ, M. Será a fragilidade e não a idade cronológica o elemento prognóstico essencial no paciente idoso com COVID-19? Geriatr Gerontol Aging. v.14, n.2, p.77-8, 2020.

MAGRI, S. et al. Programa de educação em saúde melhora indicadores de autocuidado em diabetes e hipertensão. Reciis – Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde. v.14, n.2, p.386-400, 2020.

MACIEL, M.S. et al. Ações de saúde desenvolvidas pelo núcleo de apoio à saúde da família – NASF. Revista Saúde (Santa Maria). v. 41, n. 1, p.117-122, 2015

MATTOS, C.W.; DERECH, R.D.A. Cuidados paliativos providos por médicos de família e comunidade na atenção primária à saúde brasileira: um survey nacional. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. v.15, n.42, p.1-10, 2020.

MORAES, E.N. Atenção à saúde do idoso: aspectos conceituais. Disponível em: https://apsredes.org/pdf/Saude-do-Idoso-WEB1.pdf Acesso em: 21 set 2020.

NETO, A.A.F. et al. Interface ensino-serviço na atenção à saúde da pessoa idosa: operacionalizando o arco de Charles Maguerez com a visita domiciliar. Brazilian Journal of Development v. 6, n.5, p.26548-26558. 2020

NETO, PG.C.; LIRA, G.V.; MIRANDA, A.S. Interesse dos Estudantes pela Medicina de Família: Estado da Questão e Agenda de Pesquisa. Revista Brasileira de Educação Médica. v.33, n.2, p.198-204, 2009.

OLIVEIRA, M.A.C.; PEREIRA, I.C. Atributos essenciais da Atenção Primária e a Estratégia Saúde da Família. Rev Bras Enferm. v.66, p.158-64, 2013.

OLIVEIRA, P.I.D.; ANDERSON, M.I.P. Envelhecimento, finitude e morte: narrativas de idosos de uma unidade básica de saúde. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. v.15, n.42(2195), p.1-11, 2020.

SILVA, A.P.S. et al. Descrição de internações hospitalares no SUS decorrentes de complicações de DM e de HAS em Teófilo Otoni - MG (2017 a agosto de 2019). In: CARDOSO, D.M. Ensino, pesquisa e extensão aplicados às ciências médicas. Editora Conhecimento Livre, p.512-527; 2020.

SILVA, T.L. et al. Saúde do trabalhador na Atenção Primária: percepções e práticas de equipes de Saúde da Família. Interface – Comunicação, Saúde, Educação. v.18, n.49, p.273-288, 2013.

SPADETTO, A.L. et al. Acidente de trabalho com politrauma lacerativo por serra fita: relato de caso vivenciado em estágio extracurricular. In: CARDOSO, D.M. Ensino, pesquisa e extensão aplicados às ciências médicas. Editora Conhecimento Livre, p.512-527; 2020.

TINOCO, V.A.; SANTOS, V.F.; BEDIM, J.G.L. Enfrentamento dos profissionais de saúde ao Coronavírus: exposições físicas, psicológicas e emocionais. Revista Transformar. Edição especial “Covid-19”: pesquisas, diálogos transdisciplinares e perspectivas. 2020.

TREVISOL, D.M. et al. Referências médicas evitáveis em unidade de saúde de Porto Alegre – um estudo exploratório. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. v.15, n.42(2129), p.1-12, 2020.

VARGAS, B.N. et al. Diagnóstico comunitário de 5 equipes de saúde da família docenteassistenciais de Petrópolis – RJ. Brazilian Journal of Development. v. 6, n. 6, p. 40237-40239, 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-504

Refbacks

  • There are currently no refbacks.