Um Corpo Circundante: Um mergulho Fenomenológico e Existencial no que é ser gay e cadeirante / A Surrounding Body: A Phenomenological and Existential dive into what it is to be gay and wheelchair accessible

Marcelo Loureiro Ucelli, Mery Helen Buzatto Nogueira, Hiran Pinel

Abstract


O objetivo deste estudo é evidenciar as concepções e práticas da sexualidade da pessoa com deficiência física, tendo em vista, um corpo que destoa dos padrões estéticos socialmente construídos. A análise se desenvolve a partir da relação entre os conflitos pessoais desses indivíduos e as contribuições teóricas no campo dos conceitos sobre deficiência e sexualidade. Os interesses de estudos e pesquisa que movem nossos trabalhos são entorno dos processos de compreensão do Ser no mundo, pois, somos seres de relação, cuja realidade é estruturalmente nós.  Como parte das produções em andamento, se destaca o trabalho publicado em 2018 no livro Educação, Comunicação, Cultura e Diferença: Ser gay, deficiente e cadeirante; um estudo fenomenológico que considera tempo e espaço numa possível e imaginada educação especial não escolar.  Este trabalho aponta para como a sexualidade é um campo ainda pouco explorado pelas ciências, o que contribui para o reforço dos estereótipos e das opressões sofridas por esses sujeitos e, também, como as ideias do senso comum sobre a deficiência criam entraves para o desenvolvimento das suas identidades e vivências sexuais. Assim, este estudo/pesquisa pretende compreender “o que” e “como é” ser gay com deficiência física e investigar saídas para um existir mais digno dentro e fora da escola. Para a tal realização, será adotado o método de pesquisa fenomenológico, pois, a fenomenologia, ao mesmo tempo em que é um método, torna-se um modo de ser, uma maneira de se obter da realidade, um espaço de abertura onde o ser se dá. A partir dos conceitos freireanos de ser mais e humanização Freire (2005, 2013) e ser sendo junto ao outro no mundo de Pinel (2015), a coleta dos dados se deu a partir da utilização da história oral e de vida com o uso de narrativas, escuta e observação tendo como questão: “O que é” e “como é” ser gay com deficiência física na escola e fora dela? Os procedimentos metodológicos acontecerão a partir de um mergulho existencial nas experiências do (s) sujeito (s) da pesquisa e um distanciamento reflexivo Forghieri (2014). O fenômeno que faz parte deste estudo é um jovem que frequenta o ensino superior numa faculdade privada na grande Vitória. Ressaltamos que a questão do mundo das pessoas com deficiências tem sido uma temática de estudos e pesquisas na academia, bem como grandes organizações interessadas em levantamentos estatísticos.


Keywords


deficiência física, sexualidade, fenomenologia.

References


ABREU, Fabrício Santos Dias de. Experiências linguísticas e sexuais não hegemônicas: um estudo das narrativas de surdos homossexuais. 2015. XIII 171 f. Dissertação (Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

AUGRAS, M. O ser da compreensão: Fenomenologia da situação de Psicodiagnóstico. 7. Ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

CARVALHO, Alana Nagai Lins de; SILVA, Joilson Pereira da. Sexualidade das pessoas com deficiência: uma revisão sistemática. Arq. bras. psicol., Rio de Janeiro , v. 70, n. 3, p. 289-304, 2018 . Disponível em . Acesso em 23 dez. 2020.

MAIA, Ana Cláudia Bortolozzi. Inclusão e sexualidade: Na voz de pessoas com deficiência física. Curitiba, PR: Juruá, 2011.

MAIA, Ana Cláudia Bortolozzi. Vivência da sexualidade a partir do relato de pessoas com deficiência intelectual. Rev. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 21, n.1 p. 77-88, jan./mar. 2016. Disponível em < http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/PsicolEstud/article/view/29480>. Acesso em 20 dez. 2020.

FERNANDES, Hedlamar, PINEL, Hiran; UCELLI, Marcelo Loureiro. Educação, Comunicação, Cultura e Diferença. Org. VIDAL, H. UCELLU, M. 2018. Pedregulho. VITÓRIA – ES. Ser Gay, deficiente e cadeirante: um estudo fenomenológico que considera tempo e espaço numa possível e imaginada educação especial não escolar (p. 121 a 142).

FORGHIERI, Yolanda Cintrão. Psicologia Fenomenológica: fundamentos, método e pesquisa. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

FRANKL, Viktor E. Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração. Traduzido por Walter O. Schlupp e Carlos C. Aveline. 25. ed. – São Leopoldo: Sinodal; Petrópolis: Vozes, 2008.

PINEL, Hiran; SANT’ANA, Alex Sandro; COLODETE, Paulo. Pedagogia Hospitalar numa perspectiva inclusiva: um enfoque fenomenológico existencial. Terezina, Piauí: Edufpi, 2015.

PINEL, Hiran. Apenas dois rapazes & uma educação social; cinema, existencialismo e inclusão. Vitória: Livro experimental, 2004 (com 2ª edição em 2005).

PINEL, Hiran. Método fenomenológico puro e mesclado; aplicando o método fenomenológico à educação especial escolar e não-escolar & pedagogia hospitalar. Texto didático e experimental. Vitória: Do Autor/enviado via e-mail, 2017. Não publicado.

RIBEIRO, Jorge Ponciano. Gestalt-terapia: refazendo um caminho. 8ª Ed. Rev. – São Paulo: Summus, 2012.

SILVESTRE, Jouber. Os entre-lugares: um olhar sobre sujeitos surdos-homossexuais. 2014. 160 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014. Disponível em < https://rumosnovos-ghc.blogs.sapo.pt/homossexuais-com-deficiencia-55950>. Acesso em 23 dez. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-471

Refbacks

  • There are currently no refbacks.