Extração e visualização de pigmentos fotossintéticos de plantas de jardins por meio de experimento de cromatografia: uma estratégia didática para o ensino de botânica / Extraction and visualization of photo synthetic pigments from garden plants through chromatography experiment: a didactic strategy for teaching botanics

Maria Francisca da Silva Melo, Rosenilda Nascimento Cardoso, Janaina Costa e Silva, Núbia Dias Correia Dantas, Gleyciane Torres Fernandes

Abstract


 Com enfoque no desenvolvimento de metodologias ativas, o presente trabalho traz uma proposta de procedimento de ensino em que o aluno é posto a manipular e observar o objeto de estudo, e de forma dinâmica discutir e verificar o índice de aproveitamento obtido durante a atividade, tornando o conteúdo algo mais real e concreto para o educando e ainda, secundária, a metodologia conteudista falada baseada na oralidade do professor em sala de aula. A disciplina de biologia traz consigo uma elevada quantidade de termos próprios, os quais, segundo diversos autores, colaboram direto ou indiretamente para tornar a assimilação das informações mais complexa e cansativa, o que conseqüentemente contribui para que haja menos interesse em seu estudo por parte dos educando. Sendo a promoção do contato direto entre o aluno e objeto de estudo a forma mais eficiente de despertar o interesse pelo conteúdo, o objetivo do presente trabalho foi promover tal contato, levando para a sala de aula e propondo a manipulação do objeto que estava sendo estudado (pigmentos fotossintéticos) pelos educando, afim de que estes se percebessem ativos na construção do seu próprio conhecimento e ainda tornar essa construção mais dinâmica a utilização do jogo. A metodologia consistiu na utilização de uma experiência de cromatografia para visualizar alguns tipos de clorofilas presentes em plantas comuns ao cotidiano dos alunos, e aplicação de um jogo da memória como recurso de revisão e fixação de informações. As atividades fizeram parte de uma ação do PIBID por acadêmicos do curso de Licenciatura em ciências biológicas a qual foi realizada em uma turma do ensino fundamental segunda fase no Colégio Estadual Osvaldo Franco, no município de Araguatins, localizada no extremo norte do estado do Tocantins. As atividades desenvolvidas mostraram-se eficientes no que tange a facilitar e efetivar a compreensão do conteúdo por parte dos alunos.


Keywords


Experiência, biologia, ensino médio, prática.

References


AUGUSTO, T. G. S.; CALDEIRA, A. M. A. Dificuldades para a implantação de práticas interdisciplinares em escolas estaduais, apontadas por professores da área de ciências da natureza. Investigações em Ensino de Ciências, S.l., V12(1), pp.139-154, 2007. Disponível em: < https://www.if.ufrgs.br/cref/ ojs/index.php/ienci/article/view/481> Acesso em: 27 ago. 2017.

CARMO, S.; SCHIMIN, E. S. O ensino da biologia através da experimentação. 2008. Disponível em: < https://xa.yimg.com/kq/groups/24355615/2078375956/name/1085-4.pdf >. Acesso em 27 ago. 2017.

FIGUEIREDO. J. A. O ensino de botânica em uma abordagem ciência, tecnologia e sociedade: propostas de atividades didáticas para o estudo das flores nos cursos de ciências biológicas. 2009. 90 f. Dissertação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009. Disponível em: < http://www1.pucminas.br/imagedb/documento/ DOC_DSC_NOME_ARQUI20151022122200.pdf> Acesso em: 27 ago 2017.

GUBA, E. G.; LINCOLN, Y. S. Fourth generation evaluation. Newbury Park, London, New Delhi: Sage, 1989.

HOFFMAN, J. Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade. Porto Alegre: Mediação, 2001.

KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. 4. ed. São Paulo: EDUSP, 2004. v. 1. 197 p.

LIMA, K. S. Compreendendo as concepções de avaliação de professores de física através da teoria dos construtos pessoais. Recife, 2008. 163 p. Dissertação (Ensino das Ciências). Departamento de Educação, UFRPE, 2008.

NARDI, R.; CORTELLA, B. S. C. Formação de professores de Física: das intenções legais ao discurso dos formadores. In: XVI Simpósio Nacional de Ensino de Física, 2005, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos. São Paulo - SP: Sociedade Brasileira de Física, 2005. v. 1. p. 175-175, 2005.

NEVES, Lisandra Olinda Roberto. O lúdico nas interfaces das relações educativas. Leitura e Linguagem: Discursos de Letramentos, p. 319-330, 2010. Disponível em: Acesso em: 14 set. 2017.

PUGGIAN, C.; FILHO, Z. B. M.; LOPES C. V. N. B. Ensino de reações químicas em laboratório: articulando teoria e prática na formação e ação docente. Investigações em Ensino de Ciências, S.l., V17(3), pp. 697-708, 2012. Disponível em: < https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/183> Acesso em: 27 ago. 2017.

REGINALDO, C. C.; SHEID, N. J.; GÜLLICH, R. I. C. O Ensino de Ciências e a Experimentação. In: IX Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul (IX ANPED SUL). Caxias do Sul, RS. Anais. Disponível em: < http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/2782/286 > Acesso em: 28 ago. 2017.

ROSITO, B. A. O ensino de Ciência e a experimentação. In: MORAES, R. (org.). Construtivismo e ensino de ciências: reflexões epistemológicas e metodológicas. Porto Alegre, RS, Brasil.

EDIPUCRS, 2008, p. 321. Disponível em: Acesso em: 27 ago. 2017. Acesso em: 27 ago. 2017.

SALES, E. S.; MONTEIRO, I. G. S.; LIMA, K. S. Formação de professor, diretrizes da Educação brasileira para o ensino de Química e Avaliação: saberes docentes essenciais à formação docente. In: VII Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade, 2013, São Cristóvão - SE. Anais do Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade, 2013.

SANTOS, W. H. L.; JOSÉ CLAUDIO DEL PINO, C. D.; SÁ-SILVA, J. R. , PINHEIRO, R. S. A ideia do lúdico como opção metodológica no ensino de ciências e biologia: o que dizem os tcc dos egressos do curso de ciências biológicas licenciatura da universidade federal do rio grande do sul?. Pesquisa em foco, v. 21, n. 2, 2017. Disponível em: Acesso em: 17 set. 2017.

SOUZA, I. A.; RESENDE, T. R. P. S. Jogos como Recurso Didático Pedagógico para o Ensino de Biologia. Scientia Cum Industria, S.l., v. 4, n. 4, p.181 — 183, 2016. Disponível em: < http://ww w.ucs.br/etc/revistas/index.php/scientiacumindustria/article/view/4888> Acesso em: 27 ago. 2017.

TEIXEIRA, R. L. P.; SHITSUKA, R.; SILVA., P. C. D. Estudo de caso: Utilização de metodologias ativas em práticas de ciência da corrosão. Anais do XLIV Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia (COBENGE 2016). Brasília: ABENGE, S.l., v. 1, p. 1-11, 2016. Disponível em: Acesso em: 27 ago. 2017.

VASCONCELOS, P. H.M.; ARAÚJO, A.F.S.; MATOSS, W. L. Contextualização no ensino do equilíbrio químico: uma proposta metodológica. Conexões – Ciências e Tecnologia. Fortaleza/CE, v. 10, n. 4, p. 71 - 78, 2016. Disponível em: < http://www.conexoes.ifce.edu.br/index.php/conexoes /article/view/979> Acesso em: 27 ago. 2017.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-415

Refbacks

  • There are currently no refbacks.