A diversidade humana sobre a análise da teoria social / Human diversity on the analysis of social theory

William Silvano de Camargo, Thaisy de Paula Dias, Olirdes Maria Galvão, Inês Terezinha Pastório, Izaque Pereira de Souza

Abstract


O presente artigo é descobramento do trabalho apresentado na IX Semana Academica e II Seminário Estadual de Serviço Social  das Faculdades Itecne de Cascavel/PR no ano de 2016[1] e tem como principal objetivo apresentar a diversidade como elemento que se encontra atrelado ao Serviço Social, uma vez que seus enfrentamentos podem ser compreendidos como expressão da “questão social”[2]. Ao considerarmos que os movimentos sociais, como espaço e expressão da diversidade tem promovido a discussão sob a perspectiva da equidade e da não-exploração dos sujeitos, tais discussões partem do pressuposto de que a diversidade existente na nossa sociedade, nas formas de lidar com as diferente etnias, classes sociais, crenças, e gênero representam, para a pratica profissional do Assistente Social, um desafio no que diz respeito à sua intervenção. Para atingirmos este objetivo nos valemos da revisão bibliográfica como metodologia e como método, do materialismo histórico dialético, pautando nossa discussão a partir de Marx e Gramsci. Pretendemos com este diálogo, destacar que o que vem sendo proposto pelos movimentos sociais - suas lutas e reivindicações – devem se configurar mais do que uma preocupação na atuação profissional; precisam ser compreendidos como um avanço das conquistas na garantia dos direitos sociais e fortalecimento da identidade profissional sem porem desconsiderar que embora tenhamos avançado, ainda há muito a caminhar.


[1] Os anais do evento se encontram no endereço: http://itecne.com.br/social/index.php?menu=10. Vol. I - Ano 2016 ISSN 2446-5518, da Faculdade Itecne Cascavel-PR.

[2] Utilizaremos a expressão “questão social” pelo fato de a utilizarmos, neste contexto, como categoria do Serviço Social.


Keywords


Atuação Profissional. Movimentos Sociais. Diversidade. Serviço Social.

References


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm Acesso em: 21 de Julho de 2016.

BRASIL. Histórico da luta de LGBT no Brasil. Disponível em:

Acesso em: 21 de Julho de 2016.

BRASIL. Movimento dos Trabalhadores Desempregados. Disponível em:

Acesso em: 21 de Julho de 2016.

BRASIL. Movimento dos Trabalhadores Sem Teto. Disponível em:

Acesso em: 21 de Julho de 2016.

DOMINGUES, Petrônio. Movimento Negro Brasileiro: alguns apontamentos. Artigo publicado em março de 2007. Doutor em História pela Universidade de São Paulo. Professor da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). E-mail: petronio@usp.br.

FACCHINI, Regina. Sopa de Letrinhas? Movimento homossexual e produção de identidades coletivas nos anos 90. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

FRANÇA, P.I. S. de. ; LUCENA, C.A. O Materialismo Histórico-Dialético e a precarização do trabalho na educação superior brasileira. Estudos do Trabalho Ano III – Número 5, 2009. Disponível em: www.estudosdotrabalho.org. Acesso julho de 2016.

GOHN, Maria da Glória. Teorias dos Movimentos Sociais; Paradigmas Clássicos e contemporâneos. Ed. Loyola. São Paulo, Brasil. 1997.

LUCENA, Danielle Cabral de. A proteção conferida pelo Art. 68, ADCT, às comunidades remanescentes de quilombos. 2014. Disponível em: http://www.conteudojuridico.com.br/artigo,a-protecao-conferida-pelo-art-68-adct-as- comunidades-remanescentes-de-quilombos,51732.html.

MONTAÑO, Carlos. Estado, classe e movimento social. – 2ed. – São Paulo: Cortez, 2011. – (Biblioteca básica de serviço social; v. 5.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Educação Ambiental. 2008. PARANÁ. SEED – Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Educação Ambiental. Disponível em: Acesso em: 21 de Julho de 2016.

PINTO, Célia Regina Jardim. FEMINISMO, HISTÓRIA E PODER. Artigo, Rev. Sociol. Política, Curitiba, v. 18, n. 36 Recebido em 13 de julho de 2009. p. 15-23, jun. 2010 Aprovado em 10 de dezembro de 2009. Ev. Sociol. Polít. Curitiba, v. 18, n. 36. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rsocp/v18n36/03.pdf.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-404

Refbacks

  • There are currently no refbacks.