Descrição do processo de adaptação de consultas presenciais para teleconsultas no ambulatório de cuidado farmacêutico da farmácia escola da Universidade Federal da Paraíba / Description of the adaptation process of face-to-face consultations for teleconsultations in the pharmaceutical care ambulatory of the pharmacy school of the Federal University of Paraíba

Radimila dos Santos Almeida, Alicia Maria Rocha do Amaral, Camila Gurgel Dantas de Paula, Cínthia Caldas Rios, Wallace Entringer Bottacin, Aline de Fátima Bonetti, Thais Teles de Souza, Walleri Christini Torelli Reis

Abstract


A teleconsulta se baseia na prestação de serviços de saúde por meio de tecnologias da informação e da comunicação, onde o profissional de saúde e o paciente não estão juntos fisicamente. Envolve a transmissão de dados e informação de saúde através de textos, sons, imagens ou outros que sejam necessários para a prevenção, diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes. Devido a pandemia do coronavírus (COVID-19), atualmente intitulado de SARS-CoV-2, que tem causado uma infecção respiratória com sintomas semelhantes a um resfriado comum, a teleconsulta surgiu como uma alternativa de manter o atendimento individualizado em serviços de saúde, sem contudo, expor os pacientes a risco. Os prováveis efeitos adversos da pandemia em pessoas com doença mental e na saúde mental da população em geral podem ser exacerbados pelo medo, auto isolamento e distanciamento físico. No serviço de cuidado farmacêutico, foram utilizados novos meios de comunicação, que beneficiam o acesso a comunicação da comunidade, o acompanhamento e rastreamento de novos pacientes está ocorrendo através de teleconsultas via plataformas digitais de telechamadas - videochamadas (Skype, Whatsapp, google meet, zoom). Também para adequação do serviço foi realizada a criação de Google forms para rastreamento e acompanhamento através das escalas padronizadas BECK e PHQ-9. Vale destacar que a experiência do serviço de cuidado farmacêutico serve como estímulo para que os profissionais de saúde e serviços, durante a fase do “novo normal”, e até mesmo posteriormente, compreendam e utilizem as tecnologias em saúde a fim de aperfeiçoar os serviços, tornando-os mais acessíveis e inclusivos. Na saúde mental isso é particularmente importante quando consideramos a possibilidade de reclusão social e agravamento em períodos de crise.

Keywords


Teleconsulta, covid-19, saúde mental.

References


AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic anxd Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-5). 5th ed. Arlington, VA: American Psychiatric Publishing, 2013.

DUNNEL, D. et al. Suicide risk and prevention during the COVID-19 pandemic. Lancet Psychiatry, v. 7, n. 6, p. 468–471, 2020.

HOLMES, E. A. et al. Multidisciplinary research priorities for the COVID-19 pandemic: a call for action for mental health science. Lancet Psychiatry, v. 7, n. 1, p. 547–560, 2020.

JAKOVLJEVIC, M. COVID-19 Crisis as a Collective Hero’s Journey to Better Public and Global Mental Health. Psychiatria Danubina, v. 32, n. 1, p. 3–5, 2020.

KOGA, R. DE C. R.; KOGA, J. R. DA S. Telemedicina e sua relação com comunicação, tecnologia e convergência. Revista Arquivos Científicos (IMMES), v. 3, n. 1, p. 111–116, 2020.

LUZ, P. L. Telemedicina e a Relação Médico-Paciente. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 113, n. 1, p. 100–102, 2019.

SANTOS, I. S.; et. al., A. Sensibilidade e especificidade do Patient Health Questionnaire-9 (PHQ-9) entre adultos da população geral. Caderno de Saúde Pública, v. 29, n. 8, p. 1533-1543, 2013.

TAVARES, G. P.; et. al., Drogas, Violência e Aspectos Emocionais em Apenados. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 25, n. 1, 2012.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-401

Refbacks

  • There are currently no refbacks.