Juventudes, periferia, projeto de vida e futuro: Notas de pesquisa / Youth, periphery, life project and future: Research notes

Rosane Castilho

Abstract


O presente trabalho buscou identificar, tendo por base os postulados da Psicologia Social e da Sociologia da Juventude, os aspectos que impactam na construção do projeto de vida de jovens estudantes secundaristas das periferias de três diferentes países e cotejá-los com as representações de futuro, tendo por base as narrativas dos sujeitos investigados. O trabalho de campo, no âmbito do estágio pós-doutoral, cuja amostra foi composta por 314 jovens secundaristas de Portugal, Espanha e Brasil, envolveu a aplicação de um questionário contendo 28 questões relativas a dados gerais, características da família, situação socioeconômica, trajetória escolar, projeto de vida e expectativas pessoais quanto ao futuro. Em seu viés qualitativo, trabalhou-se com os jovens a partir da metodologia denominada Roda de Conversa, com a utilização de imagens produzidas por um jovem designer, tendo por motivo algumas ‘cenas do cotidiano’ de jovens brasileiros moradores da periferia das cidades metropolitanas. Quanto aos resultados, identificou-se a predominância de ‘dúvida’, ‘receio’ e insegurança quanto ao desconhecido’ no que tange ao projeto de vida e ao futuro. Apesar disto, os jovens informam a esperança de ‘vencer na vida pela profissão’ e o entusiasmo diante da possibilidade de ‘formar uma família’ e da ‘superação’ dos obstáculos.

Keywords


Juventudes, Projeto de Vida, Futuro, Periferia.

References


ALCAÑIZ, Mercedes; QUEROL, Vicent; MARTI, Ana. Las mujeres jóvenes em España. (Nuevas) precariedades y (viejas) desigualdades. Ex aequo (on line) n.32, pp. 117-137, 2015. Disponível em:http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?pid=S0874-55602015000200009&script=sci_abstract&tlng=es. Acesso em: 28/ 06/2016.

BALANDIER, Georges. El desorden. La teoría del caos y las ciências sociales. Barcelona: Editorial Gedisa, 2003.

BENDIT, René. Jovens imigrantes na Europa: aprender a lidar com transições incertas. IN: PAIS, José Machado; BENDIT, René; FERREIRA, Vítor Sérgio (Orgs.). Jovens e Rumos. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2011.

BREALEY, Tatiana Beirute. Entre el sacrificio y el disfrute: percepción sobre el futuro de jóvenes urbanos costarricenses. Última DÉCADA, Viña Del Mar, n. 43, pp.135-160, 2015.

CASTILHO, Rosane. Juventud y Autoridad: consideraciones sobre el sujeto de la autoridad para la juventud contemporánea. Buenos Aires: Teseo, 2011.

______________. Juventude: pesquisa e produção de conhecimento. 2 ed. Goiânia: Espaço Acadêmico, 2017.

CASTRO, Lúcia Rabello & DIB, Sandra Korman. O trabalho é projeto de vida para os jovens? Cadernos de Psicologia Social e do Trabalho, 2010. Vol. 13, n. 01, pp. 1-15, 2010.

CORICA, Augustina. Las expectativas sobre el futuro educativo y laboral de jóvenes de la escuela secundaria: entre lo posible e lo deseable. Última Década, Valparaíso, n.36, pp.71-95, 2012.

DAYRELL, Juarez (Org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. 1. ed., 3. Reimpressão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

DOMINGUES, Alvaro. Geografia e Políticas Urbanas. In: CONGRESSO PORTUGUÊS DE SOCIOLOGIA, III. 1996, Lisboa. Atas, pp. 122-136.

FREITAS, Maria Virgínia. Jovens e Escola: aproximações e distanciamentos. IN: NOVAES, Regina et al. (Orgs.). Agenda juventude Brasil: leituras sobre uma década de mudanças. Rio de Janeiro: UNIRIO, 2016.

FEIXA, Carlos; LECCARDI, Carmen. O conceito de geração nas teorias sobre juventude. Revista Sociedade e Estado, Brasília, vol.25, n.2, pp.185-204, 2010.

GROPPO, Luis Antonio. Teorias pós-críticas da juventude: juvenilização, tribalismo e socialização ativa. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, Manizales, vol.13, n. 2, p.567_579, 2015.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto: Editora Puc- Rio, 2015.

KRAWCZYK, Nora. Uma Roda de Conversa sobre os desafios do ensino médio IN: DAYRELL, Juarez, CARRANO, Paulo e MAIA, Carla Linhares (orgs.). Juventude e Ensino Médio. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2014.

LEÃO, Geraldo; DAYRELL, Juarez Tarcísio; REIS, Juliana Batista. Juventude, projetos de vida e ensino médio. Educação Social, Campinas, v,32, n.117, pp. 1067-1084, 2011.

MALFITANO, Ana Paula Serrata. Juventudes e contemporaneidade: entre a autonomia e a tutela. Etnográfica, Porto, vol.15, n.3, p. 523 – 542, 2011.

MANNHEIM, Karl. Sociologia da cultura. São Paulo: Perspectiva, 2011.

MARCUS, George. Etnografia en/del sistema mundo. El surgimento de la etnografia multilocal. Revista Alteridades, Distrito Federal, México, vol.11, núm.22, pp 111-127, jul./dec. 2001.

PAIS, José Machado. Buscas de si: expressividades e identidades juvenis. IN: ALMEIDA, Maria Isabel Mendes e EUGENIO, Fernanda (Orgs.). Culturas Jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

_________________. Sociologia da vida quotidiana. 6.ed. Lisboa: IMPRENSA DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 2015.

PARENTE, Cristina et al. Efeitos da escolaridade nos padrões de inserção profissional juvenil em Portugal. Sociologia, problemas e práticas, Lisboa, n.65, pp.69-93, 2011.

POVEDA, David et al. La segregación étnica en la educación secundaria de la ciudad de Madrid: um mapa y una lectura crítica. EMIGR Working Papers, n.91, 2007.

RIBEIRO, Elaine. Políticas de Juventude no Brasil: conhecimento e percepção. IN: NOVAES, Regina et al. (Orgs.). Agenda juventude Brasil: leituras sobre uma década de mudanças. Rio de Janeiro: UNIRIO, 2016.

RUIZ, Marcos J. Estrada. Afiliación juvenil y desafiliación institucional: El entramado complejo de la deserción en la educación media. Revista mexicana de investigación educativa, vol.19, n.61, pp.431-453, 2014.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado. São Paulo: EDUSP, 2007.

_____________. Espaço e método. São Paulo: EDUSP, 2008.

_____________. A urbanização desigual. São Paulo: EDUSP, 2010.

_____________. Pobreza urbana. São Paulo: EDUSP, 2013.

SCHUTZ, Alfred; LUCKMANN, Thomas. Las estructuras del mundo de la vida. 1. ed. 3. Reimpressão. Buenos aires: Armorrortu, 2009.

SEABRA, Vinícius. Juventudes, pobreza e urbanidade: uma análise da construção histórico-social das juventudes no Centro-Oeste brasileiro. Goiânia: Editora Publicar, 2017.

SOFIATI, Flavio. Jovens em movimento: o processo de formação da pastoral da juventude no Brasil. São Carlos: Dissertação de Mestrado, 2004.

SOUZA, Alessandra, et al (2016). Rodas de conversa. Participação e controle social de políticas públicas de juventude. Goiânia: Editora América, 2016 e TEIXEIRA, Carmem Lúcia. Rodas de conversa. Diálogo na construção de direitos. Goiânia: Editora América, 2016.

VIGOTSKI, Lev Seminovich. El significado histórico de la crisis de la psicologia. Una investigación metodológica. IN:_____. Obras escogidas. Tomo 01. Madrid: Visor, 1991.

WELLER, Wivian. A atualidade do conceito de gerações de Karl Mannheim. Revista Sociedade e Estado, Brasília, vol. 25, n.2, mai./ago, pp. 205-224, 2010.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-371

Refbacks

  • There are currently no refbacks.