Uso da TRI para análise de um simulado / Use of TRI for analysis of a simulate

Alan Kardec Messias da Silva, Acelmo de Jesus Brito, Daniel Messias da Silva, Luciana Bertholdi Machado, William Vieira Gonçalves

Abstract


O presente artigo exibe a análise de um simulado da Prova Brasil aplicado nas turmas de 5º ano como uma das ações do projeto Observatório da Educação com Iniciação à Ciência (OBEDUC), vinculado ao Campus da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), localizado em Barra do Bugres – MT. O projeto OBEDUC desenvolvia ações nas escolas parceiras que visavam promover o avanço na qualidade do ensino e reflexos nas melhorias da nota do IDEB dessas escolas. Os simulados eram realizados nos 5º e 9º anos com o objetivo de fazer um diagnóstico dos conhecimentos matemáticos desses discentes e orientar outras ações como a confecção de materiais auxiliares e demais abordagens pedagógicas. A questão norteadora do grupo de trabalho foi como fazer uma devolutiva para as escolas parceiras que não se pautasse apenas na estratificação de quantidades de acertos e erros ao simulado, e desta “curiosidade” surgiu os estudos que possibilitaram fazer a transição da Teoria Clássica do Teste (TCT) para a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Nosso objetivo foi Escolher pela Teoria de Resposta ao Item um modelo matemático logístico que melhor se ajuste aos dados empíricos de nosso simulado e para isso, fizemos uso do pacote estatístico latente train model (ltm) do software R Statistc, que aborda a metodologia psicométrica empregada na Teoria de Resposta ao Item para geração de seus modelos. Como resultado de nosso trabalho foram evidenciadas questões que contrariam o modelo logístico acumulativo pressuposto no simulado, tendo nestas questões pouca ou nenhuma consistência interna em seus padrões de respostas ao compararmos o teste como um todo, indicando haver questões que deveriam ser retiradas das análises ao passo que avançamos o processo de calibração dos dados pelos modelos de 1,2 e 3 parâmetros. As questões oriundas de melhores contribuições para a confecção de um modelo logístico mais confiável tiveram seus ajustes realizados por funções estatísticas do próprio pacote ltm e seus resultados indicaram o Modelo Logístico de 3 parâmetros () sendo o mais ajustado aos dados empíricos obtidos em nosso simulado.

 

 


Keywords


Teoria de Resposta ao Item, Modelos Logísticos, Avaliação em Larga Escala.

References


AKAIKE, H. "A new look at the statistical model identification", IEEE transactions on automatic control, v. 19, n. 6, p. 716–723, 1974.

ANDRADE, D. F., TAVARES, H. R., VALLE, R. da C. Teoria da Resposta ao Item: Conceitos e Aplicações. São Paulo, ABE, 2000. Disponível em: http://egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/livrotri.pdf. Acesso em: 6 jan. 2017.

BARTHOLOMEW D. J., STEELE F., GALBRAITH J. I., MOUSTAKI I. "The Analysis and interpretation of multivariate data for social scientists", Choice Reviews Online, v. 40, n. 01, p. 40- 0338-40–0338, 2002. DOI: 10.5860/choice.40-033.

BIRNBAUM, A. "Some latent train models and their use in inferring an examinee’s ability", Statistical theories of mental test scores, p. 395–479, 1968.

COUTO, G., PRIMI, R. "Teoria de resposta ao item (TRI): Conceitos elementares dos modelos para itens dicotômicos", Boletim de Psicologia, v. 62, n. 134, p. 1–15, 2011. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0006-59432011000100002.

KLEIN, R. "Alguns aspectos da Teoria de Resposta ao Item relativos à estimação das proficiências", Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 2013. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=399538144003. Acesso em: 6 jan. 2017.

LORD, F. "A theory of test scores.", Psychometric Monographs, 1952.

LORD, F. M. "An application of confidence intervals and of maximum likelihood to the estimation of an examinee’s ability", Psychometrika, 1953. Disponível em: http://link.springer.com/article/10.1007/BF02289028. Acesso em: 6 jan. 2017.

LORD, F. M. Applications of item response theory to practical testing problems. Routledge, Lawrence Erlbaum Associates Publishers, 1980. v. 1.

PASQUALI, L. Psicometria: teoria dos testes na psicologia e na educação. 4. ed. Petrópolis, VOZES, 2011.

PASQUALI, L., PRIMI, R. "Fundamentos da Teoria da Resposta ao Item–TRI Basic Theory of Item Response Theory–IRT", Avaliação Psicológica, 2003. Disponível em: http://hostel.ufabc.edu.br/~daniel.miranda/wp-content/uploads/v2n2a02.pdf. Acesso em: 6 jan. 2017.

RASCH, G. Studies in mathematical psychology: I. Probabilistic models for some intelligence and attainment tests. Oxford, Nielsen & Lydiche, 1960. Disponível em: http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=psyh&AN=1962-07791-000&site=ehost-live. Acesso em: 6 jan. 2017.

RIZOPOULOS, D. "ltm: An R package for latent variable modeling and item response theory analyses", Journal of Statistical Software, v. 17, n. 5, p. 1–25, 2006. DOI: 10.18637/jss.v017.i05. Disponível em: http://lmr.zozlak.org/SkalowanieJednoWymiarowe/Rizopoulos_2006_ltm An R Package For Latent Variable Modeling and IRT Analyses.pdf.

SCHWARZ, G. "Estimating the Dimension of a Model", The Annals of Statistics, v. 6, n. 2, p. 461–464, mar. 1978. DOI: 10.1214/aos/1176344136. Disponível em: http://projecteuclid.org/euclid.aos/1176344136. Acesso em: 16 jan. 2017.

THURSTONE, L. L. "Attitudes Can Be Measured", American Journal of Sociology, v. 33, n. 4, p. 529–554, 1928. DOI: 10.1177/014572178801400303.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-353

Refbacks

  • There are currently no refbacks.