Atuação do enfermeiro na educação sexual na adolescência no contexto escolar / Nurse's performance in sexual education in adolescence in the school context

Mikael Henrique Jesus Batista, Fernanda Kelly S. Pinto, José Gabriel Souza Silva, Jefferson Espindola Ferreira, Milena Queiroz Veloso, Marilene Alves Rocha, Caroline Pittelkou Schimidt, Iasmin Carvalho Barbosa

Abstract


Este estudo pretende compartilhar conhecimentos sobre uma fase de grande complexidade do desenvolvimento humano, a adolescência. Descreve-se a atuação do profissional da enfermagem ao trabalhar à sexualidade na adolescência no contexto escolar. Justamente nesse contexto que a atuação do enfermeiro do Programa Saúde na Escola (PSE) é suma importância, através de um trabalho de orientação sexual é possível orientar os adolescentes a uma reflexão sobre a vida sexual e risco de uma gravidez precoce. O presente estudo trata-se de uma revisão descritiva construída a partir das publicações sobre a atuação do enfermeiro na educação sexual na adolescência no contexto escolar, artigos publicados principalmente, entre os anos de 2007 e 2020. Conclui-se neste estudo que do enfermeiro do PSE deve destinar alta atenção à saúde sexual, levando-se em conta, orientações básicas sobre sexualidade humana, articulando também outros temas que se relacionam e fazem parte desta fase da adolescência.

 

 


Keywords


Enfermeiro; Vida sexual; Adolescência; Gravidez e Escolar.

References


AGUIAR, C. A importância da Enfermagem na orientação sexual de adolescentes no Ambiente escolar. FACIDER - Revista Científica, 0, fev. 2014.

ALMEIDA, A. C. C. H.; CENTA, M. L. A família e a educação sexual dos filhos: implicações para a enfermagem. Acta Paul. Enferm., São Paulo, v. 22, n. 1, p. 71-76, fev. 2009.

BESERRA, E. P.; ALVES, M. D.; RIGOTTO, M. R. Percepção de adolescentes acerca da saúde ambiental: pesquisa-ação no espaço escolar. On Braz. Journ. Nursin. 2010; 9(1):1-8.

BRASIL. Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 139, n. 8, p. 1-74, 11 an. 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Ensino médio. 2017. disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf. Acesso em: 20 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. DECRETO Nº 6.286, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2007. Institui o Programa Saúde na Escola - PSE, disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6. Acesso em: 20 out.2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Caderno do Gestor do Pse. 2015. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_gestor_pse.pdf. Acesso em: 20 out.. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Instrutivo PSE. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e Aids. Diretrizes para implantação do Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas. Brasília, Ministério da Saúde, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Banco de dados do Sistema Único de Saúde-DATASUS, Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos – SINASC.

BRITO, W. T. S. B.; BATISTA, M. H. J.; YURKO. D. C. O. et al. A relevância da educação sexual no contexto familiar, escolar e da estratégia saúde da família. International Journal of Development Research., 10, (06), 36742-36746.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico, 2010.

CERVO, A. L; BERVIAN, P. A; DA SILVA, R. Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

CRUZ, Elizabete Franco. " A fala da criança sobre sexualidade humana: o dito, o explícito e o oculto ". Educ. Soc. vol.18 no.58 Campinas July 1997. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-73301997000100012. Acesso 20 out.2020

DA SILVA, T. M.; BENTO, H.C.P.; LIMA, A.C.B. Adolescência e sexualidade: uma intervenção educativa em uma escola pública de boa vista-roraima. Revista Compartilhar-Reitoria, v. 3, n. 1, p. 30-33, 2018.

DOMINGOS, A. C. Gravidez na adolescência: enfrentamento na estratégia de saúde da família. Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família, Universidade Federal de Minas Gerais, Uberaba, 2016.

FONSECA, A.D.; GOMES, V.L.O.; TEIXEIRA, K.C. Percepção de adolescentes sobre uma ação educativa em orientação sexual realizada por acadêmicos (as) de enfermagem. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem., abr-jun; 14(2); 330-337. 2010.

FREITAS, T.C..; MIRANDA, A.R.B. Educação sexual na escola: uma experiência do PIBID. In: Congresso nacional de iniciação científica – CONIC-SEMESP, 15. Ribeirão Preto. Anais... Ribeirão Preto, 2015, p. 1-4.

GOMES, A.M. O impacto da gravidez na escolaridade das adolescentes. InterMeio: Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação UFMS, v. 4, n. 7, 2016.

IZIDRO, C.M. Atuação do enfermeiro na prevenção da gravidez precoce. Trabalho de Conclusão de Curso (graduação) - Bacharelado em enfermagem- Faculdade de Educação e Meio Ambiente- FAEMA, 2019.

JARDIM, D.P.; BRÊTAS, J.R.S. Orientação sexual na escola: a concepção dos professores de Jandira-SP. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 59, n. 2, p. 157-162, 2016.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Síntese dos Indicadores de 2012. Brasília: IBGE; 2012.

LAKATOS.; MARCONI, M.A. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Atlas, 1992. Educação & Sociedade, v. 18, n. 58, p. 203-207, 1997.

MINAYO, M.C.S. O desafio do conhecimento. 12ª ed. São Paulo: Editora Hucitec; 2010.

MIRANDA, P. R. M, De.; KALHIL, J. B.; ALVES, J. M. Sexualidade, Gênero e Educação Sexual nas Atas do Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – ENPEC de 2009 a 2015. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 11. Florianópolis. Anais... Florianópolis: ABRAPEC, 2017, p. 1-10

MIZUNUMA, S. Educação Científica no Ensino Fundamental I: a questão da Educação Sexual. 2017. 152p. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciência e Tecnologia) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2017.

OLIVEIRA, E.M.S. et al. A percepção da equipe de enfermagem quanto ao cuidado prestado ás adolescentes no ciclo gravídico-puerperal. Rev. Adolescência & Saúde, Rio de janeiro, v.6, n.2, 2009.

OLIVEIRA RS, et al. Atuação do enfermeiro nas escolas: desafios e perspectivas. RGS. 2018;18(2):10-22.

OPAS. (2018). América Latina e Caribe têm a segunda taxa mais alta de gravidez na adolescência no mundo. Disponível em https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5604:am erica-latina-e-caribe-tem-a-segunda-taxa-mais-alta-de-gravidez-na-adolescenciano-mundo&Itemid=820. Acesso 20 out.2020.

OZELLA, S. Adolescência: uma perspectiva crítica. In: Adolescência e Psicologia: concepções práticas e reflexões críticas. Rio de Janeiro. Conseho Regional de Psicologia. 2002.

SILVA, G.S.; et al. Comportamento sexual de adolescentes escolares. Revista Mineira de Enfermagem, v. 19, n. 1, p. 154-166, 2015.

UNICEF. Situação Mundial da Infância 2011 – Adolescência: Uma fase de oportunidades. 2011. Disponível em: https://crianca.mppr.mp.br/arquivos/File/publi/unicef_sowc/sowc2019_resumo_executivo_port.pdf. Acesso em: Acesso 20 out.2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-327

Refbacks

  • There are currently no refbacks.