Uma Inteligência Artificial Ensinando sobre Inteligência Artificial: Relato de Experiência / An Artificial Intelligence Teaching on Artificial Intelligence: Experience Report

Luciano Frontino de Medeiros, Armando Kolbe Junior, Alvino Moser

Abstract


O presente artigo refere-se a um relato de experiência sobre o uso do assistente cognitivo THOTH (sigla para Training by Highly Ontology-oriented Tutoring Host – Aprendizagem por Servidor de Tutoria com Alta Orientação a Ontologias). THOTH consiste num sistema capaz de perfazer a tutoria de conteúdo relativo a uma área de conhecimento específica. O desenvolvimento teve como premissas teóricas a aprendizagem adaptativa, a teoria da postura intencional de Daniel Dennett, tendo menções à taxonomia de objetivos de Bloom e elementos de microaprendizagem. O conhecimento é armazenado em uma ontologia composta de objetos com alta granularidade, no formato de triplas objeto-atributo-valor, tornando possível a recuperação de conteúdo via linguagem natural em uma interface ergonômica, simulando um chatterbot. Além do conhecimento propriamente dito, THOTH permite ao aluno a autogestão do aprendizado, gráficos de acompanhamento e apresentação de exercícios com feedback orientado aos objetos. O contexto de aplicação se deu em um curso superior de tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, na disciplina de Inteligência Artificial Aplicada. A metodologia do estudo contemplou uma pesquisa de percepção da ferramenta com questões em escala Likert, após o uso inicial de THOTH pelos alunos. Os resultados foram ordenados de forma qualitativa em duas categorias: intencionalidade e interatividade. De forma preliminar, houve uma boa aceitação da ferramenta por parte dos alunos, sendo constatado um melhor desempenho nos aspectos da interatividade da ferramenta e indicando pontos de melhoria para os de intencionalidade. De forma geral, THOTH demonstrou potencial para utilização em processos de tutoria de conteúdo, sendo relevante de menção um aluno com necessidades educacionais especiais, apresentando quadro de paraplegia; manifestando-se positivamente quanto ao uso da ferramenta.


Keywords


assistentes cognitivos, sistemas tutoriais inteligentes, ontologias, aprendizagem adaptativa, intencionalidade.

References


BHATTACHARYYA, P. A survey on question answering system. 2013. Disponível em: .

BRITTO, R.; USMAN, M. Bloom’s taxonomy in software engineering education: a systematic mapping study. [S.l.]: IEEE, 2015. p. 1–8. Disponível em: .

BRUSILOVSKY, P. Adaptive hypermedia. User modeling and user-adapted interaction, 2001. v. 11, n. 1–2, p. 87–110.

DENNETT, D. C. Brainstorms: escritos filosóficos sobre a mente e a psicologia. São Paulo: UNESP, 2006.

HUG, T.; FRIESEN, N. Outline of a microlearning agenda. Elearning papers, 2009. v. 16, n. September, p. 1–13. Disponível em: .

______; MARTIN, L.; BRUCK, P. A. Microlearning : emerging concepts , practices and technologies after e-learning. 1st. ed. Innsbruck: Innsbruck University Press, 2006.

MAULDIN, M. Chatterbots, tinymuds, and the turing test: entering the loebner prize competition. Aaai, 1994. p. 16–21. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2014.

PALAZZO, J. et al. Adaptweb: a teaching-learning environment adaptable in web. 2003. p. 175–197. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2017.

PREECE, J.; ROGERS, Y.; SHARP, H. Interaction design: beyond human-computer interaction. [S.l.]: John Wiley & Sons, 2011.

SOUZA, M. I. F.; AMARAL, S. F. Do. Educational microcontent for mobile learning virtual environments. Creative education, 2014. v. 5, n. 9, p. 672–681. Disponível em: .




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-322

Refbacks

  • There are currently no refbacks.