Comparação de cultivares de soja no Sudoeste Goiano em resposta à aplicação de diferentes doses de Cloreto de Potássio / Comparison of soybean cultivars in Southwest Goiás in response to the application of different doses of Potassium Chloride

Rogério Machado Pereira, Heitor Bento Resende da Silva, Helbister Muller Santos de Oliveira, Diego Oliveira Ribeiro, Ricardo Gomes Tomáz, Glicélia Pereira Silva, Andrisley Joaquim da Silva

Abstract


O trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento das cultivares de soja Brasmax Foco IPRO e Monsoy M8372 IPRO, evidenciando as características agronômicas e o potencial produtivo submetidas a diferentes doses de cloreto de potássio. O estudo foi conduzido entre os dias 16 de novembro de 2019 a 19 de março de 2020, na Fazenda Experimental Luís Eduardo de Oliveira Salles (FELEOS), localizada no município de Mineiros (GO), Brasil. Foi realizado a semeadura de 16 sementes de soja por metro linear. No momento do plantio realizou se a aplicação de duas toneladas de calcário por hectare e 600 kg de superfosfato simples por hectare. As parcelas consistiram em cinco doses de Cloreto de Potássio (100, 150, 200, 250, 300 kg h-1) aplicadas em cobertura na cultura após 20 dias da data do plantio. Foi avaliado as seguintes variáveis: altura de plantas, diâmetro do caule; número de vagens total; número de vagens de um grão; número de vagens de dois grãos, número de vagens de três grãos; número de vagens de quatro grãos; número total de grãos por planta e peso de mil grãos. O delineamento experimental foi em blocos inteiramente casualizados, seguindo o esquema de parcela subdividida. As variáveis obtidas foram submetidas a Análise de variância e posteriormente comparadas pelo teste Scott-Knott a 5% pelo software SOFTWARE Rbio - BIOMETRIA NO R (BHERING, L.L.). Concluiu-se que A cultivar Foco obteve o melhor resultado comparativo, alcançando um maior rendimento. Em relação as doses de potássio, a dose usual deveria ser de 150 kg KCL ha-1 referente a dose tradicional usada na região e que proporcionou um melhor valor custo benefício.

Keywords


Cultivares, Potássio, Produtividade.

References


BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA. Projeções do Agronegócio: Brasil 2013/2014 a 2023/2024. Brasília: MAPA/ACS, 2014. 100 p.

BENITES, V.M.; CARVALHO, M.C.S.; RESENDE, A.V.; POLIDORO, J.C.; BERNADI, A.C.C.; OLIVEIRA, F.A. Potássio, cálcio e magnésio. In: PROCHNOW, L.I.; CASARIN, V.; STIPP, S.R. (Eds.). Boas práticas para uso eficiente de fertilizantes: nutrientes. Piracicaba, SP: IPNI, 2010. Cap. 3, p. 137-191.

COLUSSI, Joana et al. O agronegócio da soja: Uma análise da rentabilidade do cultivo da soja no Brasil. Revista Espacios, Caracas, Venezuela, v. 37, n. 16, p.23-23, 30 abr. 2016. Disponível em: https://www.revistaespacios.com/a16v37n16/16371623.html. Acesso em: 01 abr. 2020

CONAB – COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Acompanhamento da safra brasileira grãos, v. 7 - Safra 2019/20 - n. 8 - Oitavo levantamento, Brasília, p. 1-31 maio 2020

FERREIRA, E.V.O.; ANGHINONI, I.; ANDRIGHETTE, M.H.; MARTINS, A.P.; CARVALHO, P.C.F. Ciclagem e balanço de potássio e produtividade de soja na integração lavoura pecuária sob semeadura direta. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 35, n. 1, p. 164- 169, 2011.

FOLONI, J. S. S.; ROSOLEM, C. A. Produtividade e acúmulo de potássio na soja em função da antecipação da adubação potássica no sistema plantio direto. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 32, p. 1549-1561, 2008. https://doi.org/10.1590/S0100-06832008000400019 Acesso em: 25 maio. 2020.

LANA, R. M. Q.; HAMAWAKI, O. T.; LIMA, L. M. L.; ZANÃO JÚNIOR, L. A. Resposta da soja a doses e modos de aplicação de potássio em solo de cerrado. Bioscience Journal, v. 8, p. 17-23, 2002.

MALAVOLTA, E. Manual de nutrição mineral de plantas. Piracicaba: Agronômica Ceres, 2006.

MASCARENHAS, H.A.A.; TANAKA, R.T.; CARMELLO, Q.A.C.; GALLO, P.B.; AMBROSANO, G.M.B. Calcário e potássio para a cultura de soja. Scientia Agricola, São Paulo, 57(3):445-449, 2000.

MASCARENHAS, H.A.A.; Tanaka, R.T.; Wutke, E.B.; Braga, N.R. e Miranda, M. A.C. (2004) - Potássio para a soja. Informações Agronômicas, n. 105, p. 1-2.

OLIVEIRA JUNIOR, A.; CASTRO, C.de.; OLIVEIRA, F.A.de.; JORDÃO, L.T. Adubação potássica da soja: cuidados no balanço de nutrientes. (Informações Agronômicas n.143). Piracicaba, SP: IPNI, 2013. 10p.

PEREIRA, C.S.; FREITAS, A.A.; CHAPLA, M.V.; LANGE, A. Doses de potássio com a presença de enxofre na cultura da soja. Global Science and Technology, Rio Verde, 9(1):22- 32, 2016.

SEDYAMA, T. (2016) – Produtividade da soja. Ed. 1, Mecenas, Londrina. 310 p.

SEDIYAMA, T. Produtividade da soja. Londrina: Mecenas. 2016. 309p.

SEDIYAMA, T. Melhoramento genético da soja. Londrina: Mecenas. 2015. 252p.

SFREDO, G.J. (2008) - Soja no Brasil: calagem, adubação e nutrição mineral. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Soja. Documentos 305, Londrina.

VILELA, L.; SOUSA, D. M. G. de.; SILVA, J. E. Adubação potássica. In.: SOUSA, D.M.G.; LOBATO, E. (Eds.). Cerrado: correção do solo e adubação. 2. ed. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2004. Cap. 7, p. 169-183.

PRADO, R. M.; Nutrição de plantas. São Paulo: UNESP, 2008.

MARCANDALLI, L. H.; LEAL, A. J. F.; LAZARINI, E.; OLIVEIRA, W. A. S. Resposta da cultura da soja a adubação potássica na região dos chapadões. 2008.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-279

Refbacks

  • There are currently no refbacks.