Áreas de risco de erosões do tipo movimento de massa do solo em Lagoa Dourada, Minas Gerais – Brasil / Erosion risk and soil mass movement areas in Lagoa Dourada, Minas Gerais – Brazil

Victor Henrique Resende Lima, Junior Cesar Avanzi, Marx Leandro Naves Silva

Abstract


A identificação de áreas de risco de erosão do tipo movimentos de massa de solo em centros urbanos é de suma importância para a prevenção de desastres socioambientais. Neste estudo foram utilizados dados de declividade estruturados em quadrículas no formato GeoTiif do portal TOPODATA, visando a identificação das áreas de risco localizadas no perímetro urbano do município Lagoa Dourada, Minas Gerais - Brasil. Para realizar o processamento das imagens, conversão para arquivos vetoriais e geração de mapas utilizou-se o software QGIS, SIG de código aberto. Os locais com declividades entre 20 e 30% e aqueles acima de 30% foram consideradas, respectivamente, como de risco “Forte” e “Muito Forte” de erosão do tipo movimento de massa de solo. Observou-se que a maioria das áreas de riscos estão localizadas nos arredores do perímetro urbano do município, ocorrendo em quantidades expressivas em Cambissolos, mesmo este apresentando menor abrangência em área quando comparado aos Latossolos. O alto índice pluviométrico no início de 2020, provocaram movimentos de massa de solo expressivos no município, sendo que a maioria destes deslocamentos estiveram nas áreas classificadas como sendo de risco, o que demostrou que os intervalos de declividade utilizados foram adequados e podem auxiliar na prevenção de desastres socioambientais e no planejamento urbano.


Keywords


SRTM, Declividade, Desastres Socioambientais, TOPODATA.

References


AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (ANA). Mapa interativo da precipitação média anual e tempo de retorno. 2020. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2020.

ANDRADE, E. de L.; CALHEIROS, S. Q. C.; CONCEIÇÃO, D. N. Áreas críticas à ocupação urbana sujeitas a deslizamento de terra na bacia hidrográfica do riacho Reginaldo, Maceió - AL. Revista Contexto Geográfico, Maceió, v. 3, n. 5, jul. 2018, p. 1-11. Disponível em: < http://www.seer.ufal.br/index.php/contextogeografico/article/view/6742/4820>. Acesso em: 23 mar. 2020.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Nacional. Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID). 2013. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2020.

BRAZ, J. S.; GASPAR JUNIOR, L. A. Identificação da susceptibilidade aos processos erosivos por meio da análise geotécnica em um talude artificial de corte no bairro do Rosário, Areado-MG. Os Desafios da Geografia Física na Fronteira do Conhecimento, v. 1. p. 4605-4617. 2017. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2020.

CARVALHAIS, R. M. et al. Deslizamento de encostas devido a ocupações irregulares. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 5, n. 7, p. 9765-9772, jul. 2019. Disponível em: < https://doi.org/10.34117/bjdv5n7-150>. Acesso em: 24 mar. 2020.

CASTRIGNANO, B. M.; CASALVARA, H. F. A.; OLIVEIRA, D. Estudo preliminar sobre deslizamento de terra em Iretama - PR. Revista de Geografia, Meio Ambiente e Ensino. Campo Mourão, v. 8, n. 3, p. 69 - 77, 2017. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2020.

CATALANI, T. G. T. et al. Aplicação de Geotecnologias na Geração do Divisor de Bacias Hidrográficas: Uma Ferramenta para a Política de Recursos Hídricos. Anuário do Instituto de Geociências, v. 41, n. 3, p. 153-166, 2018. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2020.

CENTRO NACIONAL DE MONITORAMENTO E ALERTAS DE DESASTRES NATURAIS (CEMADEN). Ameaças Naturais: Movimento de Massa. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2020.

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE DESASTRES (CEPED). Atlas Brasileiro de Desastres Naturais: 1991 a 2012. 2ª ed. Florianópolis. SC. 2013. p. 126. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2020.

COSTA JÚNIOR, H.; CABRAL, S. C. Tecnologias no mapeamento de áreas de risco de deslizamento em Teófilo Otoni. Research, Society and Development. v. 8, n. 12, p. 1-31, 2019. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2020.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 5ª ed. Brasília. DF. 2018. p. 356. Disponível em: < https://www.embrapa.br/solos/sibcs>. Acesso em: 24 mar. 2020.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Solos e aptidão agrícola das terras da área de proteção ambiental de Cafuringa, Distrito Federal. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento 45. 1ª ed. Palatina. DF. 2002. p. 54. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2020.

FERRÃO, G. V. et al. Aplicação de métodos quantitativos de mapeamento de deslizamento de terra nas encostas de Vitória - ES. In: Congresso Brasileiro de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica, 18., 2016, Belo Horizonte. Anais, Belo Horizonte: COBRAMSEG, 2016. p. 1-8. Disponível em: < https://www.researchgate.net/profile/Rogerio_Goncalves_Sarmento_Junior/publication/309910146_Aplicacao_de_metodos_quantitativos_de_mapeamento_de_deslizamento_de_terra_nas_encostas_de_Vitoria-ES/links/58261f0908ae5c0137eb9ebc/Aplicacao-de-metodos-quantitativos-de-mapeamento-de-deslizamento-de-terra-nas-encostas-de-Vitoria-ES.pdf>. Acesso em: 24 mar. 2020.

FERREIRA, V.M. et al. Influência antrópica e atributos de solo: inter-relações em ambientes de voçorocas na mesorregião campos das vertentes, MG. GEOGRAFIA, Rio Claro, v. 36, n. 1, p. 209-219, jan./abr. 2011. Disponível em: < https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/ageteo/article/view/4915>. Acesso em: 13 abr. 2020.

FREIRE, L. M.; LIMA, J. S. de; SILVA, J. N. da. Riscos geológicos em áreas urbanas: implicações socioambientais em duas cidades paraenses. Revista Geoamazônia. v. 6, n. 11. p. 273-292. 2018. Disponível em: < http://www.geoamazonia.net/index.php/revista/article/view/175>. Acesso em: 23 mar. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA (INCRA). Manual de Obtenção de Terras e Perícia Judicial. Brasília. DF. 2007. p. 137. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Cidade e Estados. Portal Cidades@. 2020. Disponível em: . Acesso em: 21 dez. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Divisão de Sensoriamento Remoto. Banco de dados Geomorfométricos do Brasil. 2020 Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos - Índice de Precipitação Padronizado (SPI). 2020 Disponível em: < http://clima1.cptec.inpe.br/spi/pt>. Acesso em: 10 abr. 2020.

MACHADO, R. R.; ZACARIAS, G. M. Análise de risco de deslizamento. Revista Ordem Pública e Defesa Social, v. 9, n. 1, p. 79-92, jan./jun., 2016. Disponível em: < https://rop.emnuvens.com.br/rop/article/view/111>. Acesso em: 24 mar. 2020.

MARTINS, F. B. et al. Classificação climática de Köppen e de Thornthwaite para Minas Gerais: cenário atual e projeções futuras. Revista Brasileira de Climatologia, Dossiê climatologia de Minas Gerais, p. 129-156. 2018. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2020.

MEIRELLES, M. S. P.; CÂMARA, G.; ALMEIDA, C. M. de. Geomática: Modelos e Aplicações Ambientais. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2007. 593 p.

OLIVEIRA, F. P. de. et al. Avaliação de perdas de solo em estradas florestais não pavimentadas no Vale do Rio Doce, Minas Gerais. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 38, n. 87, p. 331-339, set. 2010. Disponível em < https://www.ipef.br/publicacoes/scientia/nr87/cap01.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2020.

QGIS. A liderança do SIG de código aberto. 2020. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2020.

ROCHA, W. W. Resistência ao cisalhamento e estabilidade de taludes de voçorocas em solos da região de Lavras, MG. 2003. 101p. Tese (Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2003.

ROSS, J. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais antropizados. Revista Do Departamento De Geografia, v. 8, p. 63-74, 1994. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2020.

SILVA. A. M. da. et al. Perdas de solo, água, nutrientes e carbono orgânico em Cambissolo e Latossolo sob chuva natural. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.40, n.12, p.1223-1230, dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2020.

SISEMA. Infraestrutura de Dados Espaciais do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Belo Horizonte: IDE-SISEMA, 2020. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2020.

SBROGLIA, R. M. et al. Mapeamento de áreas suscetíveis à ocorrência de deslizamentos na microbacia do Ribeirão Baú, Ilhota/SC, com o uso de modelagem matemática. Revista Brasileira de Cartografia, Rio de Janeiro, v. 68, n. 2, p. 339-354, fev. 2016. Disponível em:. Acesso em: 23 mar. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-244

Refbacks

  • There are currently no refbacks.