A problemática da sucessão geracional na agricultura familiar do Sudoeste Paranaense / The problem of generational succession in family agriculture in the Southwest Paranaense

Manoel Adir Kischener, Everton Marcos Batistela, Serinei Cezar Grigolo, Airton Carlos Batistela

Abstract


A presente proposta, de cunho interdisciplinar, busca discutir a problemática da sucessão geracional no âmbito da agricultura familiar na região do Sudoeste paranaense. Para tanto, partimos da contextualização histórica da região, buscando compreender – desde o início de sua ocupação na década de 1920, passando pelas políticas de colonização da década de 1940, até o conflito fundiário da década de 1950 – como isso desfecha na implantação da Getsop (Grupo Executivo para as Terras do Sudoeste) em 1962, que consolida uma ocupação fundiária marcada por minifúndios e agricultura familiar, predominantemente. A partir disso, centramos a análise nas transformações mais recentes da região Sudoeste do Paraná, especialmente nos últimos 15 anos, que, com base em análises comparativas entre os Censos agropecuários de 2006 e de 2017, permitem compreender a emergência da problemática da sucessão geracional na agricultura familiar da região. Esta é uma região de grande atividade agrícola de base familiar e sua constituição geográfica e histórica se deu, de forma mais acentuada, depois da Revolta dos Posseiros em 1957. Por outro lado, é região de acentuada transformação na prática da agricultura, com elevada adesão ao modelo tecnológico, em que pese, ainda manter grande base familiar. A análise dos dados e da observação in loco permitem concluir que essa problemática está conjugada à um conjunto de outras transformações que operam simultaneamente no âmbito do meio rural sudoestino; como, a especialização produtiva na agricultura e sua “seletividade” econômica no âmbito da agricultura familiar, a industrialização e o crescimento urbano regional, o envelhecimento das populações do campo e a migração dos jovens em direção aos centros urbanos. A partir dessa perspectiva, estabelecemos análise de pesquisa com 50 famílias sudoestinas, onde se busca questionar e compreender as múltiplas significações da problemática da sucessão geracional. A análise aponta para a existência de múltiplos fatores que influenciam o desfecho de uma propriedade ter sucessor ou não, desde a atividade predominante com sua margem de renda, quantidade de terra, percepção dos pais e filhos sobre a situação; bem como a estruturação da comunidade à qual a família pertence, no sentido de propiciar um senso de laços comunitários que atuam de forma significativa na permanência ou não dos jovens no campo. A História, enquanto ciência, aqui junto a Sociologia principalmente, também possui condições de trazer a lume interpretações a respeito das transformações recentes, sem ser meramente presentista. Mas na busca do sentido do entendimento das dinâmicas regionais, em situação que, como modelo de exploração agrícola, tem se espraiado para outras partes do país, na crescente modernização de sua agricultura, que além de levar rios de riquezas aos recantos onde adentra, principalmente com a soja, também, segundo evidências empíricas, produz desertos culturais. Por fim, sendo complexa a questão da sucessão na agricultura e, estar ligada a uma série de aspectos, os fatores históricos podem contribuir para o entendimento do presente e, mesmo vir a fomentar políticas públicas futuramente.

 

 


Keywords


Sudoeste do Paraná, Agricultura Familiar, Sucessão Geracional, História.

References


BATISTELA, Everton M. Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural: avaliação da implementação do PRONAF no Sudoeste paranaense. Curitiba: UFPR, 2000. (Dissertação de Mestrado em Sociologia).

BRANDENBURG, Alfio; FERREIRA, Ângela D. D. (Orgs.). Para pensar outra agricultura. Curitiba: Ed. da UFPR, 1998.

CARVALHO, Horácio M. de (Org.). Chayanov e o Campesinato. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

CORRÊA, Roberto L. O Sudoeste paranaense antes da colonização. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, ano 32, nº. 1, p. 87-98, jan./mar., 1970.

FLEICHFRESSER, Vanessa. Modernização Tecnológica da Agricultura. Curitiba, Editora Chain, 1988.

FLORES, Edson L. Industrialização e desenvolvimento do Sudoeste do Paraná. Francisco Beltrão: Unioeste, 2009. (Dissertação de Mestrado em Geografia).

IBGE. Censo Agro 2017. S./d., disponível em: , acesso em 15/04/2020.

IRDES. Instituto Regional de Desenvolvimento Econômico e Social. O Sudoeste. disponível em: , acesso em 14/04/2020.

KIYOTA, Norma; PERONDI, Miguel A.; VIEIRA, José A. N. Estratégia de sucessão geracional na agricultura familiar: o caso do Condomínio Pizzolatto. Informe Gepec, Toledo, v. 16, p. 192-211, 2012.

KIYOTA, Norma; PERONDI, Miguel A. Sucessão geracional na agricultura familiar: uma questão de renda? In: BUAINAIN, Antônio M.; ALVES, Eliseu; SILVEIRA, José M. da; NAVARRO, Zander. (Edits. tecs.). O mundo rural no Brasil do século 21: a formação de um novo padrão agrário e agrícola. Brasília: Embrapa; Campinas: Instituto de Economia, 2014, pp. 947-981.

KISCHENER, Manoel A. A sucessão geracional na agricultura familiar num contexto de mercantilização e modernização: um estudo em duas comunidades do Sudoeste do Paraná. Pato Branco: UTFPR, 2015. (Dissertação de Mestrado em Desenvolvimento Regional).

KISCHENER, Manoel A.; BATISTELA, Everton M.; BATISTELA, Airton C.; PRIORI, Angelo A. Direitos humanos e políticas de memória sobre o homem do campo e sua história: questões a se pensar. In: PRIORI, Angelo A.; SILVA, Eliane C. da; PEREIRA, Márcio J. (Orgs.). Cidadania, violência e direitos humanos. Anais do I Colóquio Internacional de Direitos Humanos e Políticas de Memória. Maringá: Edições Diálogos, 2019, p. 508-518.

KISCHENER, Manoel A.; BATISTELA, Everton M. Contradições no processo de modernização da agricultura: a necessidade de uma História de práticas e saberes enquanto ato político em tempos de erosão cultural. Anais do VIII Congresso Internacional de História, 9 a 11 de outubro. Maringá: UEM, 2017, p. 2436-2443, disponível em: , acesso em 15/04/2020.

LAZIER, Hermógenes. Análise histórica da posse da terra no Sudoeste paranaense. Curitiba: SECE/BPP, 1986.

LAZIER, Hermógenes. Paraná – terra de todas as gentes e de muita história. Francisco Beltrão: Grafit Editora, 2004.

LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. Trad. Sergio Martins. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

MARTINS, José de S. Capitalismo e tradicionalismo: estudos sobre as contradições da sociedade agrária no Brasil. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1975.

MARX, Karl. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. Trad. Mario Duayer et al, 3ª reimpr. São Paulo: Boitempo, 2016.

MATTE, Alessandra; MACHADO, João A. D. Tomada de decisão e a sucessão na agricultura familiar no sul do Brasil. Revista de Estudos Sociais, Cuiabá, v. 18, p. 130-151, 2017.

MENDRAS, Henri. Sociedade camponesa. Trad. Maria J. da S. Lindoso. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

NAVARRO, Zander. O mundo rural no novo século (um ensaio de interpretação). In: VIEIRA FILHO, José E. R.; GASQUES, José G. (Orgs.). Agricultura, transformação produtiva e sustentabilidade. Brasília: IPEA, 2016, p. 25-63.

NOVAK, Éder da S.; MOTA, Lúcio T. A política indigenista e os territórios indígenas no Paraná (1900-1950). Fronteiras: Revista de História, Dourados, v. 18, n. 32, p. 76-97, jul./dez., 2016.

NUNES, Sidemar P.; GRIGOLO, Serinei C.; GNOATTO, Almir A. A reorganização dos serviços de ATER no Sul do Brasil diante do desenvolvimento capitalista da agricultura. In: NUNES, Sidemar P.; GRIGOLO, Serinei C. (Orgs.). Assistência técnica e extensão rural no Sul do Brasil: práticas, avanços e limites metodológicos. Ijuí: Editora Unijuí, 2013, p. 21-43.

PLOEG, Jan D. Camponeses e impérios alimentares: lutas por autonomia e sustentabilidade na era da globalização. Trad. Rita Pereira. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

VOLTOLINI, Sittilo. Retorno 3: ciclo da madeira em Pato Branco. Pato Branco: Imprepel, 2000.

VORPAGEL, Edvino K. A revolta dos posseiros no Sudoeste do Paraná em 1957. Disponível em: , acesso em 01/06/2017.

WACHOVICZ, Ruy C. Paraná, Sudoeste: ocupação e colonização. Curitiba: Líbero-Técnica, 1987.

WANDERLEY, Maria de N. B. Raízes históricas do campesinato brasileiro. Anais do XX Encontro Nacional das ANPOCS, Caxambu, Minas Gerais, 1996.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-236

Refbacks

  • There are currently no refbacks.