Tempos de pandemia: reflexões sobre a escola, os sujeitos e suas diferentes necessidades / Pandemic times: reflections about the school, the subjects and their different needs

Sandra Canal, Marlene Rozek

Abstract


Este artigo tem por objetivo identificar os desafios impostos pela Pandemia à comunidade escolar, e ao público-alvo da Educação Especial.  Ressalta-se os entraves evidenciados pelo isolamento social imposto pelo Coronavírus, colocando-nos diante da urgência de organizar novos arranjos da escola e, em especial, para os sujeitos com deficiências. Trata-se de um registro documental e de uma análise crítica das autoras, que consideram as diferenças acerca dos contextos familiares e apontam ações necessárias do Atendimento Educacional Especializado diante do ensino remoto, para crianças e jovens com deficiência, viabilizadas por meio da escuta sensível e das ferramentas tecnológicas. Destaca-se, por fim, a importância da formação continuada para os professores que, neste momento peculiar, constitui-se em espaço de reflexões, oportunizando pensar proposições, com vistas a garantir os direitos de aprendizagem dos alunos com deficiência e um acolhimento que valorize suas potencialidades.

Keywords


Pandemia; escola; atendimento educacional especializado

References


BARROSO, J. Incluir sim, mas onde? Para uma reconceituação sociocomunitária da escola pública. In: RODRIGUES, D. (org.). Inclusão e Educação – Doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus Editorial, 2006. p. 275-298.

BRASIL. Decreto n. 6.571, de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre o atendimento educacional especializado, regulamenta o parágrafo único do art. 60 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao Decreto n. 6.253, de 13 de novembro de 2007. Diário Oficial da União,18 set. 2008, p. 26

BRASIL. Decreto n. 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Diário Oficial da União, 18 nov. 2011, p. 12. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm. Acesso em 10 jun. 2020.

BRASIL. Decreto n. 9.057/2017. Regulamenta o art. 80 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, 26 maio 2017, p. 32017.

BRASIL. Ministério da Educação. CNE aprova diretrizes para escolas durante a pandemia. [online]. 28 abr. 2020a. Disponível em http://portal.mec.gov.br/buscageral/12-noticias/acoes-programas-e-projetos-637152388/89051-cne-aprova-diretrizespara-escolas-durante-a-pandemia. Acesso em 10 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer nº 05/2020. [online]. 2020b. Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=1450 11-pcp005-20&category_slug=marco-2020-pdf&Itemid=30192. Acesso em 10 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portal Coronavírus COVID-19. [online]. 2020c. Disponível em https://coronavirus.saude.gov.br/ . Acesso em 10 jun. 2020.

BRASIL. Portaria n. 188, de 3 de fevereiro de 2020. Declara emergência em saúde pública de importância nacional (ESPIN) em decorrência da infecção humana pelo novo coronavírus (2019-nCoV). Diário Oficial da União, ed. 24-A, seção 1 – Extra, p. 1, 4 fev. 2020d. Disponível em http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-188-de-3-defevereiro-de-2020-241408388. Acesso em 10 jun. 2020.

GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; OMOTE, S. Educação Especial, formação de professores e o uso das tecnologias de informação e comunicação: a construção de práticas pedagógicas inclusiva. In: GIROTO, C. R. M.; POKER, R. B.; OMOTE, S. (org.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília: Oficina Universitária/São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012. Disponível em https://www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/as-tecnologias-nas-praticas_ebook.pdf. Acesso em 7 jun. 2020.

GLAT, R. Educação inclusiva para alunos com necessidades especiais: processos educacionais e diversidade. In: LONGHINI, M. D. (org.). O uno e o diverso na Educação. Uberlândia: EDUFU, 2011. p. 75-92.

GOMES, C.; BARBOSA, A. J. G. Inclusão escolar do portador de paralisia cerebral: atitudes de professores do ensino fundamental. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 12, n. 1, 2006.

IBGE. Análise dos resultados. Relatório 2018. Disponível em ftp://ftp.ibge.gov.br/Trabalho_e_Rendimento/Pesquisa_Nacional_por_Amostra_de_Do micilios_continua/Anual/Acesso_Internet_Televisao_e_Posse_Telefone_Movel_2018/ Analise_dos_resultados_TIC_2018.pdf. Acesso em 10 jun. 2020.

OLIVEIRA, A. A. S. de. Um diálogo esquecido: a vez e a voz de adolescentes com deficiência. Bauru: Editora Práxis, 2007.

ROZEK, M. Subjetividade, formação e educação especial: configurações nas políticas de inclusão escolar. In: BAPTISTA, C. R. Escolarização e deficiência. São Carlos: Marquezine & Manzini/ABPEE, 2015.

SCHUELER, P. O que é uma pandemia. Portal Fiocruz. [online]. 23 mar. 2020. Disponível em https://www.bio.fiocruz.br/index.php/br/noticias/1763-o-que-e-umapandemia. Acesso em 10 maio 2020.

UNICEF. Fundo das Nações Unidas para a Infância. Situação Mundial da Infância 2013: Crianças com deficiência. Nova Iorque: Unicef, 2013. Disponível em: http://www.crianca.mppr.mp.br/arquivos/File/publi/unicef_sowc/sit_mund_inf_2013_d eficiencia.pdf. Acesso em 10 jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117//bjdv7n1-182

Refbacks

  • There are currently no refbacks.