Percepção das práticas ergonômicas entre carregadores de uma feira-livre em Feira de Santana, Bahia / Perception of ergonomic practices among porters of a free trade Fair in Santana, Bahia

Suzane Pereira de Souza, Rita da Cruz Amorim, Márcia Sandra dos Santos Fernandes Lima, Paulo Roberto Lima Falcão do Vale, Saulo Robledo, Arilma da Silva Rios, Natália Miranda de Araújo, Isabela Paixão de Jesus

Abstract


Introdução: Este estudo analisou a percepção de carregadores da feira-livre do bairro Cidade Nova em Feira de Santana - Bahia, Brasil sobre suas práticas ergonômicas. Método: Estudo qualitativo, exploratório. Participaram 14 carregadores, por meio de entrevista semiestruturada. Os dados foram identificados, uma análise de conteúdo de Bardin, e emergiram três categorias: o cotidiano de trabalho dos carregadores; “Meu corpo já acostumou”: convivendo com dor e manejando-a; táticas de cuidado, ao descumprimento de práticas ergonômicas. Resultados e discussão: Os participantes foram do gênero masculino, com idades entre 19 e 69 anos.A atividade de concentração-se no abastecimento das bancas e barracas entre as quartas e sextas-feiras, e, aos fins de semana, no transporte de gêneros alimentícios dos fregueses. O sintoma mais referido foi dor lombar e como práticas terapêuticas automedicação, massagem e repouso. Existe uma rede de apoio para auxílio mútuo. Considerações finais: A solidariedade entre os carregadores é uma tática de cuidado e também adotam uma rede de apoio como modo de cuidado ergonômico e de importantes a esse ofício.

Keywords


Feiras-livres, Carregadores, Ergonomia, Tática.

References


ALVES, J.T. Feiras livres: campo fértil para a gestão de comunicação. Comunicação & Educação, São Paulo, v.16, n.2, p. 81-90, 2011. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/44889/48519. Acessado em: 15/09/17.

ASSUNÇÃO A.A; ABREU, M.N.S. Fatores associados a distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho autorreferidos em adultos brasileiros. Rev Saúde Pública; vol.51, supl 1:10s. São Paulo, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v51s1/pt_0034-8910-rsp-S1518-87872017051000282.pdf. Acesso em: 25 de nov. de 2020

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BERNARDO, P.; SHIMADA, N. E.; ICHIKAWA, E.Y. O formalismo e o “jeitinho” a partir da visão de estratégias e táticas de Michel de Certeau: apontamentos iniciais. Revista Gestão & Conexões, Vitória, v.4, n.1, p. 4-67, jan/jun. 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União da República Federativa do Brasil: Brasília, DF, 12 dez. 2012.

CARVALHO, R. G. et al. Situações de trabalho e relatos de dor entre feirantes de confecções. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v.16, n.3, p. 279-284, jul-set 2016. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rpot/v16n3/v16n3a06.pdf. Acessado em: 10/03/17.

CERTEAU, M. de; GIARD, L.; MAYOL, P. A invenção do cotidiano: 2. Morar, cozinhar. 12 ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

CERTEAU, M. de. A invenção do cotidiano: 1 - as artes de fazer; 22 ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

CLOT, Y. Clínica do trabalho e clínica da atividade. In. BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L.A.P. (Org.). Clínicas do trabalho: novas perspectivas para compreensão do trabalho na atualidade. São Paulo: Atlas, 2011, p. 188-207.

FERREIRA, L. C. et. al. Avaliação da qualidade de vida de trabalhadores feirantes. Revista Movimenta, v. 2, n.4, p. 112-120, 2009. Disponível em: http://www.revista.ueg.br/index.php/movimenta/article/view/7233/4984. Acesso em: 28/07/18.

GASPAR, A. A.C. S. Fatores psicossociais associados ao trabalho de carregadores em um entreposto estatal atacadista de mercados hortigranjeiros. 171fl. Tese (Doutorado em Medicina Preventiva e Social) – Faculdade de Ciências Médicas, UNICAMP, Campinas, 2010.

GOMES, S.C. O Território dos carregadores piauienses no terminal da ceagesp: modernização, mobilização e a migração. 280fl. Tese (Doutorado em Geografia Humana) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP, São Paulo, 2007. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-18102007-144240/pt-br.php. Acessado em 01/07/20.

HAEFFNER, R. O perfil dos trabalhadores do Brasil com distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. 99fl. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/37149/R%20-%20D%20-%20RAFAEL%20HAEFFNER.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 26/11/2020.

MASCARENHAS, G.; DOLZANI, M. C. S. Feira livre: territorialidade popular e cultura na metrópole contemporânea. Ateliê Geográfico, Goiânia, v.2, n.2, p.72-87, agos. 2008.

MONTMOLLIN, M. A Ergonomia. Lisboa: Instituto Piaget, 1990.

MOREIRA, V.D. Projeto Memórias da Feira livre de Feira de Santana Primeira Fase Texto 06 – Caminhos históricos da Feira de Feira de Santana: origens e secularidades. Sitientibus, Feira de Santana, n .10, p. 185-198, jul/dez 1992. Disponível em: http://www2.uefs.br/sitientibus/pdf/10/comunicacoes.pdf. Acesso em: 22/04/17.

NAGEL, B. et al. Os bastidores de uma feira livre: Consumidores falam sobre o velho hábito de ir à feira. Revista Eclética, n. 24, p. 52 – 56, jan/jun 2007. Disponível em: http://puc-riodigital.com.puc-rio.br/media/13%20-%20os%20bastidores%20de%20uma%20feira%20livre.pdf. Acessado em: 14/03/17.

OLIVEIRA, R. B. Entre memórias: as experiências dos carregadores e carregadoras da Manaus Moderna e Estação Hidroviária de Manaus (Roadway) (1993-2015). 122 fl. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2016. Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/6874/5/Dissertação_RafaelaOliveira_PPGH.pdf. Acessado em: 01/07/20.

OLIVEIRA, K.V.; SANJINEZ-ARGADONA, E.J.; CHUBA, C.A.M. Avaliação do perfil dos feirantes da cidade de Dourado -MS na comercialização de produtos alimentícios. In: 8º ENEPE UFGD – 5º EPEX UEMS, 2014, Dourados. Anais... Dourados: UFDG, 2014. Disponível em: eventos.ufgd.edu.br/enepex/anais/arquivos/519.pdf. Acessado em: 14/03/17.

PACHECO, L. P. B. Trabalho e costume de feirantes de alimentos: pequenos comerciantes e regulamentações do mercado em Feira de Santana (1960/1990). 195 fl. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Bahia, 2009. Disponível em: https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=sites&srcid=ZGVmYXVsdGRvbWFpbnxzaXRlYXJxdWl2b3xneDoxOTlmMjM0NGU4YjViMjky. Acessado em: 16/08/20.

PEQUINI, P. C. Intervenção ergonômica e suas implicações na produtividade e satisfação dos funcionários: estudo de Caso de Lavanderia Industrial. Monografia (Graduação em Engenharia de Produção com Ênfase em Gestão Empresarial). Salvador, 2007.

REIS, F.; VIEIRA, S.M.F. Tudo Junto: pessoas, relações e peculiaridades na feira livre de Viçosa. In: XVIII Prêmio Expocom, 2011, Recife. Anais... Recife: INTERCOM, 2011. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/regionais/sudeste2011/expocom/EX24-0620-1.pdf. Acesso em: 15/09/17.

SALES, A. P.; REZENDE, L.T.; SETTE, R.S. Negócio Feira Livre: um estudo em um município em Minas Gerais. In: II Encontro de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho, 2011, João Pessoa. Anais... João Pessoa: ANPAD, 2011. Disponível em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/EnGPR395.pdf. Acesso:11/03/17.

SANTOS, B. M. G. et al. Levantamento dos constrangimentos ergonômicos do posto de trabalho funcionários de serviços gerais de um hospital da rede beneficente. Braz. J. of Develop. Curitiba, v. 6, n. 8, p.57628- 57644 ago. 2020. ISSN 2525-8761.

SANTOS, F. D.; SILVA, C. F. M.; ALVES, A.S. A cidade de Feira de Santana-BA: uma nova (re)configuração espacial proporcionada a partir da expansão comercial. In: COLÓQUIO BAIANO TEMPOS, ESPAÇOS E REPRESENTAÇÕES – ABORDAGENS GEOGRÁFICAS E HISTÓRICAS, 2013, Vitória da Conquista. Anais ...Vitória da Conquista: UESB, 2013. Disponível em: http://anais.uesb.br/index.php/coloquiobaiano/issue/current. Acessado em: 01/07/20.

SANTOS, D. A. et. al. Análise das condições ergonômicas dos carregadores portuários do Porto de Manaus – AM. In: VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 2011, Niterói. Anais… Niterói: UFF, 2011. Disponível em: http://www.inovarse.org/filebrowser/download/8498. Acessado em: 01/07/20.

SATO, L. Feira livre: organização, trabalho e sociabilidade. São Paulo: EDUSP, 2012.

SATO, L.; BERNARDO, M. H.; OLIVEIRA, F. Psicologia social do trabalho e cotidiano: a vivência de trabalhadores em diferentes contextos micropolíticos. Psicologia para América Latina, México, n. 15, dez. 2008. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1870-350X2008000400010. Acessado em:01/07/20.

SCHETTINO, S. et al. Relação entre a ocorrência de acidentes de trabalho e a baixa escolaridade dos trabalhadores no setor florestal. Braz. J. of Develop. Curitiba, v. 6, n.4, p. 22567-22589, abr. 2020.

SCHMIDT, B. B. Práticas e táticas: Michel de Certeau (re)inventa o cotidiano. Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação, v. 6, p. 79 – 93, 1994.

TREVISAN, E. A. O trabalho pesado dos carregadores. 137f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Faculdade de Ciências Médicas, UNICAMP, Campinas, 1998. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/313821. Acesso em: 28/06/18.

VALE, L. M. E.; JOAQUIM, N. F. Legume nosso de cada dia: o hortifruti na história da gestão ordinária do mercado central de Belo Horizonte. Revista Gestão & Conexões, v.6, n.2, 2017. Disponível em: http://periodicos.ufes.br/ppgadm/article/view/13428. Acesso em: 28/07/18.

VEDOVATO, T. G.; MONTEIRO, M. I.; MASSON, V. A. Ergonomic analysis of the work conditions of Porter and owners of the Supply Canter of Campinas, SP. Work: A Journal of Prevention, Assessment and Rehabilitation, v 41, p 5471, 2012.Disponível em:https://content.iospress.com/articles/work/wor0856. Acesso em: 20/03/17.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-215

Refbacks

  • There are currently no refbacks.