Desenvolvimento de material que facilite a convivência e a comunicação em enfermaria pediátrica / Development of materials that facilitate living and communication in pediatric nursing

Ana Laura Schliemann, Ludmylla Cursi Razza, Michele Amorim da Silva, Paula Prado Lima, Tâmisa Pires Catão

Abstract


O objetivo dessa pesquisa foi criar condições para melhorar a comunicação e a convivência entre todos os atores envolvidos no processo de adoecimento relativos à internação pediátrica e de desenvolver material ilustrativo que favoreça a comunicação e as relações interpessoais além de avaliar o material produzido. A metodologia foi qualitativa, na modalidade exploratória. Para identificação dos artigos para a revisão bibliográfica da pesquisa, foram designadas as seguintes plataformas de busca: Scielo Brasil, Pepsic, Google Acadêmico e Medline, no período de 2017 a 2018. O trabalho de campo foi desenvolvido no hospital universitário Santa Lucinda em Sorocaba/ SP. O trabalho teve duas fases de coleta de dados através de entrevistas semi-dirigidas. Na primeira fase foram entrevistados profissionais de enfermagem, médicos, pacientes e seus acompanhantes, com foco na internação, na comunicação e a convivência no hospital. Na segunda fase foram entrevistados profissionais e paciente/acompanhantes avaliando a cartilha, que depois foi refeita. Observou-se na primeira fase, que as principais dificuldades de comunicação e convivência se davam entre os responsáveis das crianças e a equipe do hospital (médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem). Já na segunda aplicação obteve-se uma avaliação positiva do material, com poucos ajustes. A cartilha foi feita em formato de banner e colocada na enfermaria. Os pesquisados afirmam que o material ilustrativo foi útil e é necessário. Ao final do projeto observou-se que uma linguagem lúdica pode favorecer as relações na enfermaria, diminuindo o estresse na convivência, entretanto é necessário um trabalho constante para uma melhora significativa.


Keywords


Psicologia, Cartilha hospitalar, Internação Pediátrica, Convivência Hospitalar.

References


ALVES, Camila Aloísio; DESLANDES, Suely Ferreira; MITRE, Rosa Maria de Araújo. A gestão do processo de trabalho da enfermagem em uma enfermaria pediátrica de média e alta complexidade: uma discussão sobre cogestão e humanização. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, São Paulo, v. 15, n. 37, p.351-361, abr. 2011. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/1801/180119116015.pdf. Acesso em: 10 set. 2019.

ARAUJO, Tereza; CRISTO, Lilian. Comunicação em saúde da criança: estudo sobre a percepção de pediatras em diferentes níveis assistenciais. Revista Psicologia e Saúde, v. 5, n. 1, jan./jun. 2013, p. 59-68, 2013.

BALDINI, Sonia Maria; KREBS, Vera Lucia Jornada. A criança hospitalizada. Pediatria,v. 21, n. 3, p.182–190, 1999.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. [Estatuto da criança e do adolescente (1990)]. Estatuto da criança e do adolescente: lei

n. 8.069, de 13 de julho de 1990, e legislação correlata – 9. ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2010. 207 p. – (Série legislação; n. 83).

CARAPINHEIRO, Graça. Saberes e poderes no hospital, uma sociologia dos serviços hospitalares. Porto: Ed. Afrontamento, 200 p.,1993.

CASTRO, Ana Neile Pereira de; LIMA JÚNIOR, Edmar Maciel. Desenvolvimento e validação de cartilha para pacientes vítimas de queimaduras. 2014. Revista Brasileira de Queimaduras. Disponível em: http://rbqueimaduras.org.br/details/202/pt-BR/desenvolvimento-e-validacao-de-cartilha-para-pacientes-vitimas-de-queimaduras. Acesso em: 10 set. 2019.

HENRIQUES, Daniela Cruz de; CAÍRES, Fernanda Martins. A Criança Hospitalizada: Manual de Orientação aos Pais, 2014. Disponível em: https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/a-crianca-hospitalizada-manual-de-orientacao-aos-pais/. Acesso em: 10 de set. 2019.LIMA, R.A.G.; ROCHA, S.M.M.; SCOCHI, C.G.S. Assistência à criança hospitalizada: reflexões acerca da participação dos pais. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 7, n. 2, p. 33-39, abril 1999.

MARTINEZ, Elena Araújo; TOCANTINS, Florence Romijin; SOUZA, Sônia Regina. As especificidades da comunicação na assistência de enfermagem à criança. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 34, n. 1, p. 37-44, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v34n1/05. pdf. Acesso em: 10 set. 2019.

PNHAH. Programa nacional de humanização da assistência hospitalar. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2001.

RIBEIRO, Circéa Amália; ANGELO, Margareth. O significado da hospitalização para a criança pré-escolar: um modelo teórico. Revista de Escola de Enfermagem da USP. São Paulo, v. 39, n. 4, p. 391-400, Dec. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S008062342005000400004&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 set. 2019.

SCHLIEMANN, Ana Laura. STAS – Esquema de Avaliação para Equipe de Apoio: compreendendo as condições da criança com câncer, 2003. Dissertação (Doutorado em Psicologia Clínica) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2003.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-191

Refbacks

  • There are currently no refbacks.