Diagnóstico da arborização urbana do centro de Aquidauana, MS / Diagnosis of urban reforestation in Aquidauana downtown

Jéssica dos Santos Silvério de Sá, Rebeka Jakeliny Maciel Rabello, Camila Aoki

Abstract


A arborização urbana traz diversos benefícios para o ambiente e para a sociedade, atuando como elemento estruturador do espaço urbano. O presente trabalho teve como objetivo realizar um diagnóstico quantitativo e qualitativo das ruas da região central da cidade de Aquidauana (MS), visando melhorar o planejamento e manejo da arborização da cidade. Os dados foram coletados no mês de dezembro de 2019, utilizando o método de censo nas 16 ruas desta região. Foram amostradas 1200 árvores, pertencentes à 68 espécies e 26 famílias, sendo a família Fabaceae a mais rica. O Oiti (Licania tomentosa) foi a espécie mais abundante, compreendendo 60,2% das árvores (722 indivíduos), seguida da Murta (Murraya paniculata, 76 indivíduos), Mangueira (Mangifera indica, 34 indivíduos) e da Munguba (Pachira aquatica, 31 indivíduos). Vinte e uma espécies foram representadas por um único indivíduo. A maioria das espécies (73%) não são nativas do estado, o que totaliza 92,7% dos indivíduos. O número de árvores na região central de Aquidauana é bastante inferior ao recomendado, sendo necessário um plantio planejado de mudas, levando em consideração as peculiaridades da região central, sua estrutura e edificações. É aconselhável o uso de espécies nativas e que cada espécie não ultrapasse 15% de frequência, evitando a homogeneidade na arborização e reduzindo a chance de propago de doenças e parasitas, e consequentemente o elevado grau de perda de exemplares.

 


Keywords


Arborização viária, Levantamentos florístico, Planejamento urbano.

References


AOKI, C.; OLIVEIRA, K.R.; FIGUEIREDO, P.A.O.; SÁ, J.S.S.; OLIVEIRA, K.M.; CHAVES, J.R. Análise da arborização das praças de Aquidauana (MS, Brasil). Brazilian Journal of Development, v.6, n.12, p.100737-100750. 2020.

APG IV. An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society, n. 181, p. 1-20, 2016.

BASSO, J.M.; CORRÊA, R.S. Arborização urbana e qualificação da paisagem. Paisagem e Ambiente: Ensaios, v. 34, p. 129-148, 2014.

BERLAND, A.; SHIFLETT, S.A.; SHUSTER, W.D.; GARMESTANI, A.S.; GODDARD, H.C.; HERRMANN, D.L.; HOPTON, M.E. The role of trees in urban stormwater management. Landscape and urban planning, v. 162, p. 167–177, 2017.

BOLUND, P.; HUNHAMMAR, S. Ecosystem services in urban areas. Ecological Economics, v. 29, p. 293–301, 1999.

BRUN F.G.K.; LINK D.; BRUN E.J. O emprego da arborização na manutenção da biodiversidade de fauna em áreas urbanas. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v.2, n.1, p.117-127, 2007.

CARIÑANOS, P.; CALAZA-MARTÍNEZ P.; O’BRIEN L.; CALFAPIETRA C. The cost of greening: disservices of urban trees. In: PEARLMUTTER D. et al. (eds) The urban forest. future city, vol 7. Springer, Cham. https://doi.org/10.1007/978-3-319-50280-9_9, 2017

CHAVES, A.D.C.G.; SANTOS, R.M.S.; SANTOS J.O.; FERNANDES A.A.; MARACAJÁ, P.B. A importância dos levantamentos florístico e fitossociológico para a conservação e preservação das florestas. Agropecuária Científica no Semiárido, v. 9, n. 2, p. 43-48, 2013.

DYE, C. Health and urban living. Science, v. 319, p. 766–769, 2008.

DWYER, J.F.; SCHROEDER, H.W.; GOBSTER, P.H. The significance of urban trees and forests: Toward a deeper understanding of values. Journal of Arboriculture, v. 17: p. 276–284, 1991.

FLORA DO BRASIL 2020. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. http://floradobrasil.jbrj.gov.br/. 27. nov. 2020.

GREY, G. W.; DENEKE, F. J. Urban forestry. New York: John Wiley, 1978.

GUILHERME, F.A.G; SILVA, M.C.; CARNEIRO, D.N.M.; NASCIMENTO, H.C.A.; RESSEL, K.; FERREIRA, W.C. Urban arborization in public pathways of four cities in east Mato Grosso do Sul (MS) Brazil. Ornamental Horticulture, v.24, n.2, p.174-181, 2018.

IBGE (2010). Censo demográfico 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/resultados.html. Acesso em 10/01/2019. acesso em 20/04/2019.

IBGE. 2018. Censo 2018. Disponível IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Pesquisa nacional por amostra de domicílios. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br, acesso em 20/04/2019.

JENNINGS, V.; BAMKOLE, O. The relationship between social cohesion and urban green space: an avenue for health promotion. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 16, n. 452, p. 1-14, 2019.

LIMA, H.C.; QUEIROZ, L.P.; MORIM, M.P.; SOUZA, V.C.; DUTRA, V.F.; BORTOLUZZI, R.L.C.; IGANCI, J.R.V.; FORTUNATO, R.H.; VAZ, A.M.S.F.; SOUZA, E.R.; FILARDI, F.L.R.; VALLS, J.F.M.; GARCIA, F.C.P.; FERNANDES, J.M.; MARTINS-DA-SILVA, R.C.V.; PEREZ, A.P.F.; MANSANO, V.F.; MIOTTO, S.T.S.; TOZZI, A.M.G.A.; MEIRELES, J.E.; LIMA, L.C.P.; OLIVEIRA, M.L.A.; FLORES, A.S.; TORKE, B.M.; PINTO, R.B.; LEWIS, G.P.; BARROS, M.J.F.; RIBEIRO, R.D.; RODRIGUES, R.S.; PENNINGTON, T.; KLITGAARD, B.; RANDO, J.G.; SCALON, V.R.; CARDOSO, D.B.O.S.; COSTA, L.C.; SILVA, M.J.; MOURA, T.M; BARROS, L.A.V.; SILVA, M.C.R.; QUEIROZ, R.T.; SARTORI A.L.B.; CAMARGO, R. 2012. Fabaceae. In: Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: http://floradobrasil.jbrj.gov. br/2012/FB000115. Acesso em acesso em 20/04/2019

LIVESLEY, S.J.; MCPHERSON, E.G.; CALFAPIETRA C. The urban forest and ecosystem services: impacts on urban water, heat, and pollution cycles at the tree, street, and city scale. Journal of environmental quality, v. 45, n. 1, p. 119–124, 2016.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil. 2nd ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum. 2002, volumes 1, 2 e 3.

MARCHIONNI, V.; DALY, E.; MANOLI, G.; TAPPER, N. J.; WALKER, J. P.; FATICHI, S. Groundwater buffers drought effects and climate variability in urban reserves. Water Resources Research, v. 56, p. 5, 2020.

MASSARANDUBA, V. Diagnóstico da arborização urbana de Aquidauana, MS. Dissertação de mestrado. Programa de Pós Graduação em Recursos Naturais. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. 27p., 2020.

MILANO, M. S. Avaliação quali-quantitativa e manejo da arborização urbana: exemplo Maringá-PR. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal). Universidade Federal do Paraná. p.120, 1988.

MOTA M.P.; ALMEIDA, L.F.R. Características da arborização na região central do município de Coxim, MS. REVSBAU, v.6, n.1, p.01-24, 2011.

ONU (Nações Unidas). World Urbanization Prospects: The 2009 Revision. UN Department of Economic and Social Affairs, Population Division, New York. http://esa.un.org/wup2009/unup/index.asp?panel =1, acesso em 20/04/2019.

PDAU/CG - Plano Diretor de Arborização Urbana de Campo Grande. Prefeitura Municipal de Campo Grande, Mato Grosso do Sul: Campo Grande. p.158, 2010.

PEEL, M.C.; FINLAYSON, B.L.; MCMAHON, T.A. Updated world map of the Köppen-Geiger climate classification. Hydrology and Earth System Sciences, v. 11, n. 5, p. 1633–1644, 2007.

PELEGRIM, E.A.P.; LIMA, A.P.L.; LIMA, S.F. Avaliação qualitativa e quantitativa da arborização no bairro Flamboyant em Chapadão do Sul, MS. Revista Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, v.7, n.1, p.126-142, 2012.

PIVETTA, K.F.L.; SILVA FILHO, D.F. Arborização urbana. Boletim Acadêmico. Unesp/Fcav/Funep Jaboticabal, SP. 2002.

POTT, A.; POTT, V. J. Plantas do Pantanal. Corumbá, MS: Embrapa: p. 320. 1994.

PROVENZI, G. Áreas verdes urbanas em Xaxim, um processo de revisão. Monografia (Especialização em Arquitetura de Interiores) – Universidade do Oeste de Santa Catarina, Xanxerê. 110 p., 2008.

RAMOS, V.S.; DURIGAN, G.; FRANCO, G.A.D.C.; SIQUEIRA, M.F.; RODRIGUES, R.R. Árvores da Floresta Estacional Semidecidual: guia de identificação. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008, p. 320.

SARTORI, A.L.B.; LIMA, L.C.P.; POTT, V.J.; VALLS, J.F.M.; CRISTALDO, A.C.M.; POLIDO, C.A.; COSTA, L.C.; POTT, A.; FORTUNA-PEREZ, A.P.; SILVA, G.M.; VAZ, A.M.S.F.; BORTOLUZZI, R..L.C.; PESTANA, L.T.C.; SILVA, R.R.; SOUZALIMA, E.S.; MANSANO, V.F.; SCIAMARELLI, A. Check-list das Leguminosae do estado de Mato Grosso do Sul. Iheringia, Sér. Bot., v. 73(supl.), p. 239-254, 2018.

PRADELLA, M.M.; THIES, C.L.O.; SOUZA, D.M.V.; SILVA, T.F. Árvores x fachadas: de inimigos a aliados. Brazilian Journal of Development, v.6, n.8, p.54716-54726, 2020.

SANTAMOUR JÚNIOR, F.S. 2002. Trees for urban planting: diversity unifomuty and common sense. Washington: U.S. National Arboretum, Agriculture Research Service. p.66.

SANTOS, A.A. Ocorrência de espécies arbóreas em áreas urbanas e suburbanas de Três Lagoas, MS. Revista Monografias Ambientais, v.13, n.5, p.3926-3932, 2014.

SANTOS, G.R.; FONSECA R.S.; GONÇALVES C.B. Arborização urbana em Jequitaí-MG: atributos funcionais e diversidade. REVSBAU, v.14, n.1, p.01-13, 2019.

SILVA JUNIOR, M. C. 100 Árvores do Cerrado: guia de campo. Brasília, DF: Redes de sementes do Cerrado. 2005, p. 278.

SILVA JUNIOR, M. C.; PEREIRA, B. A. S. +100 Árvores do Cerrado – Matas de galeria: guia de campo. Brasília, DF: Rede de Sementes do Cerrado. 2009, 288 p.

SOUSA L.A.; CAJAIBA R.L.; MARTINS J.S.C.; COLÁCIO D.S.; SOUSA E.S.; PEREIRA K.S. Levantamento quali-quantitativo da arborização urbana no município de Buriticupu, MA. REVSBAU, v.14, n.1, p.42-52, 2019.

SOUZA, V. C.; LORENZI, H. L. Botânica Sistemática. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum. 2005, 640 p.

RAMOS, V.S.; DURIGAN, G.; FRANCO, G.A.D.C.; SIQUEIRA, M.F.; RODRIGUES, R.R. Árvores da Floresta Estacional Semidecidual: Guia de identificação de espécies. Ed: Edusp, São Paulo, 2008.

ROSSETTI, A.I.N.; PELLEGRINO, P.R.M.; TAVARES A.R. As árvores e suas interfaces no ambiente urbano. REVSBAU, v.5, n.1, p.1-24, 2010.

SCHIAVO, J.A.; PEREIRA, M.G.; MIRANDA, L.P.M.; NETO, A.H.D.; FONTANA A. Caracterização e Classificação de solos desenvolvidos de arenitos da formação Aquidauana- MS. Revista Brasileira Ciência do Solo, v. 34, p. 881-889, 2010.

TURNER‐SKOFF, J.B.; CAVENDER, N. The benefits of trees for livable and sustainable communities. Plants, People, Planet, v. 1, n. 4, p. 323-335, 2019.

TYRVAINEN, L.; MIETTINEN, A. Property prices and urban forest amenities. Journal of Environmental Economics and Management, v. 39, p. 205-223, 2000.

ZAMPRONI, K.; BIONDI, D.; MARIA, T.R.B.C.; LOUVEIRA, F.A. Diagnóstico quali-quantitativo da arborização viária de Bonito, Mato Grosso do Sul. Floresta, v. 48, n. 2, p. 235-244, 2018.

WHITE J.G.; ANTOS M.J.; FITZSIMONS J.A.; PALMER G.C. Non-uniform bird assemblages in urban environments: the influence of streetscape vegetation. Landscape Urban Planning, 71: 123–135, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-181

Refbacks

  • There are currently no refbacks.