Acolhimento e acompanhamento de pacientes diagnosticadas com transtorno alimentar: um estudo de caso na Unidade de Saúde Familiar Bandeiras, em Anápolis- GO / Recepction and monitoring of patients diagnosed with eating disorders: a case study at the Family Health Unity Bandeiras, in Anápolis-GO

Erick Nunes Melo, Karla Cristina Naves de Carvalho

Abstract


Os transtornos alimentares são problemas psicossociais cada vez mais presentes no cenário atual, marcado por um progressivo avanço da globalização, que acompanha um discurso voltado para a padronização dos corpos. O que se prega é que a forma física determina a imagem que o sujeito assume perante a sociedade, especialmente as mulheres. Com isso, muitas que não se adequam a esses padrões pré-estabelecidos acabam por desenvolver disfunções psicológicas que interferem na forma como enxergam seus próprios corpos. Assim, os profissionais da saúde assumem a responsabilidade de amparar as mulheres diagnosticadas com esse tipo de problema desde sua chegada às unidades de saúde até o encaminhamento para os profissionais especialistas. Partindo do método descritivo analítico, o presente trabalho busca investigar como acontece esse acompanhamento por meio da análise de um caso observado na Unidade de Saúde Familiar Bandeiras, em Anápolis-GO, começando por uma breve descrição do funcionamento da unidade e partindo para uma discussão específica sobre a situação estudada e sobre a importância do adequado acompanhamento profissional.


Keywords


Transtornos alimentares, Acompanhamento profissional, Unidade de Saúde Familiar Bandeiras.

References


ANDRADE TF, SANTOS MA. A experiência corporal de adolescentes com transtorno alimentar. Revista Latino-americana e Psicopatologia Fundamental, 2009; 12(3), 454-468.

AMERICAN PSYCHIATRI ASSOCIATION- APA. Diagnostic and statistical manual of mental disorders. Fourth edition. Washington: American Psychiatric Press, 2003.

APPOLINÁRIO JC, CLAUDINO AM. Transtornos alimentares. Revista Brasileira de Psiquiatria, 2000; 22, 28-31.

CAMPBELL AT, AUSÍLIO MP. The stigma of “mental’ illness: end stage anorexia and treatment refusal. International Journal of Eating Disorders, 45(5), 2012, 627-634.

CAMPOS GWS, AMARAL MA. A clínica ampliada e compartilhada, a gestão democrática e redes de atenção como referenciais teórico-operacionais para a reforma do hospital. Ciência e Saúde Coletiva, 12(4), 2007, 849-859.

CHANDLER AE. Efectos terapéuticos del vínculo M.P. en la anorexia nerviosa. Revista de la Asociación Médica Argentina, 111(4), 1998, 15-18.

DODGE E, EISLER M, DARE C. Family therapy for bulimia nervosa in adolescents: an exploratory study. Journal of Family Therapy, 17(1), 1995, 59-77.

FAVA MV, PERES RS. Do vazio mental ao vazio corporal: um olhar psicanalítico sobre as comunidades virtuais pró-anorexia. Paidéia, 21(50). 2011, 353-361.

LANE RC. Anorexia, masochism, self-multilation, and autoerotism: the spider mother. Psychoanalytic Review, 89, 2002, 101-123.

MERHY EE, et. al. Em busca de ferramentas analisadoras das tecnologias em saúde: a informação e o dia-a-dia de um serviço, interrogando e gerindo trabalho em saúde. Agir em saúde: um desafio para o público. São Paulo: HUCITEC, 1997.

MONTEIRO JFA, FIGUEIREDO MAC. Vivência profissional: subsídios à atuação em HIV/Aids. Paideia, 19(42), 2009, 67-76.

ROSA BP, SANTOS MA. Comorbidade entre bulimia e transtorno de personalidade borderline: implicações para o tratamento. Revista Latino-americana de Psicopatologia Fundamental, 14(2), 2001, 268-282.

ROSEN SD. Identification and management of eating disorders in children and adolescents. Pediatrics, 126(6), 2010, 1240-1253.

SCHMIDT E, MATA GF. Anorexia nervosa: Uma revisão. Fractal: Revista de Psicologia, 20(2), 2008, 387-400.

SILVA JÚNIOR AG, MASCARENHAS MTM. Avaliação da atenção básica em saúde sob a ótica da integralidade: aspectos conceituais e metodológicos. Cuidado: as fronteiras da integralidade. Rio de Janeiro: HUCITEC, 2004.

SOUZA LV, SANTOS MA. A participação da família no tratamento dos transtornos alimentares. Psicologia em estudo, 15, 285-294.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-164

Refbacks

  • There are currently no refbacks.