Contribution of non-alcoholic beverages and frozen desserts in the daily sugars intake of adolescents / Contribuição de bebidas não alcoólicas e gelados comestíveis na ingestão diária de açúcares por adolescentes

Priscila Alves Lima, Liliane Fernandes dos Santos, Cláudia Aparecida de Oliveira e Silva, Flávio Rodrigues Pereira, Pedro Henrique Cabral de Souza, Gizele Barrozo Ribeiro, Cristiane Lúcia Goddard, Sara Araújo Valladão

Abstract


ABSTRACT

Most adolescents have a rich in calories and nutrient-deficient diet, mainly due to the intake of fat and sugar added foods. This work evaluated the sugar content of sweetened beverages and frozen desserts along with their contribution to daily sugar consumption. 11 samples of juices and nectars, 22 of liquid chocolate, 19 of chocolate powder and 17 of frozen desserts were analyzed. The contribution of these foods to the recommended daily sugar consumption was calculated based on the adolescent average total energetic intake and the food servings described on the RDC 359/2003 regulation. Juices, nectars and liquid chocolate presented higher sugar concentrations, 459 and 408 kJ, respectively. Powdered chocolate and frozen desserts measured energetic content were 289 and 221 kJ, respectively. The recommended intake of liquid chocolates, juices and nectars are two and three servings, respectively, resulting in contributions of 816 and 1360 kJ, which represents 97% and 162% of the daily reference values. The obtained results can be used to guide future revisions of the RDC 359/2003 regulation as well as the choice of priority foods for sugar reduction.


Keywords


Recommended Dietary Allowances; Food Consumption; Industrialized Foods; Sugars; Noncommunicable Diseases; Obesity.

References


BRASIL. Ministério da Saúde (2003a). Aprova Regulamento Técnico de Porções de Alimentos Embalados para Fins de Rotulagem Nutricional (RDC nº 359, de 23 de dezembro de 2003). Diário Oficial da União.

BRASIL. Ministério da Saúde (2003b). Aprova Regulamento Técnico sobre Rotulagem Nutricional de Alimentos Embalados, tornando obrigatória a rotulagem nutricional (RDC nº 360, de 23 de dezembro de 2003). Diário Oficial da União, Brasília.

BRASIL. Ministério da Saúde (2005). Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz (IAL). Métodos Físico-Químicos para Análise de Alimentos. Brasília, 4th Edition, 1.018 p.

BRASIL. Ministério da Saúde (2011). Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília: Ministério da Saúde, 160 p.

BRASIL. Ministério da saúde (2014). Guia Alimentar para a População Brasileira. Brasília: Ministério da Saúde, 2ª ed.

CARVALHO, B.M., SILVA, L.O. (2017). O consumo de açúcar e o Código de Defesa do Consumidor. O impacto das políticas públicas para a redução do consumo de açúcar. Revista Jus Navigandi. Available at: . [Acessed 25/04/2020].

CHIARELLI, G., ULBRICH, A.Z., BERTIN, R.L. (2011). Composição corporal e consumo alimentar de adolescentes da rede pública de ensino de Blumenau (Brasil). Revista Brasileira de Cineantropometria e Desenvolvimento Humano, 13(4), 265-271.

COLUCCI, A.C.A., CESAR, C.L.G., MARCHIONI, D.M.L., FISBERG, R.M. (2011). Relação entre o consumo de açúcares de adição e a adequação da dieta de adolescentes residentes no município de São Paulo. Revista de Nutrição, 24(2), 219-231.

DIARY (2014). Action on sugar in food. Perspectives in Public Health, 134(2). Available at: <://journals.sagepub.com.ez27.periodicos.capes.gov.br/doi/pdf/10.1177/1757913914521928>. [Acessed 27/04/2020].

ENES, C.C. & SLATER, B. (2010). Obesidade na adolescência e seus principais fatores determinantes. Revista Brasileira de Epidemiologia, 13(1),163-171.

FERREIRA, P.V. (1991). Estatística experimental aplicada à agronomia. Maceió, EDUFAL. 437p.

HANAN, S.A., SILVA, A.A, PACHECO, A.M., SIMÕES, R.H., ZACARIAS FILHO, R.P. (2012). Concentração de açúcares presentes em alimentos infantis industrializados consumidos por crianças de Manaus – AM. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, 12(3), 419-424.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2010). Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: antropometria e estado nutricional de crianças adolescentes e adultos no Brasil. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Rio de Janeiro.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (2011). Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: análise de consumo alimentar pessoal no Brasil. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Rio de Janeiro.

NIELSEN, S.J. & POPKIN, B.M. (2004). Changes in beverage intake between 1977 and 2001. American journal of preventive medicine. 27(3), 205-210.

Projeto de Lei PL 8541/2017 (2017). Aumenta a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados incidente sobre a importação ou saída de bebidas não alcoólicas adoçadas com açúcar. Paulo Teixeira - PT/SP. Available at: . [Acessed 25/04/2020].

SOUZA, J.B., ENES, C.C. (2013). Influência do consumo alimentar sobre o estado nutricional de adolescentes de Sorocaba – SP. Journal of the Health Sciences Institute, 31(1), 65-70.

World Health Organization – WHO (2009). Child and adolescent health and development: progress report 2009. Geneva.

World Health Organization – WHO (2015). Diretriz: Ingestão de açúcares por adultos e crianças. Geneva.

World Health Organization Regional Office for Europe – WHO (2017). Incentives and disincentives for reducing sugar in manufactured foods an exploratory supply chain analysis. A set of insights for Member States in the context of the WHO European Food and Nutrition Action Plan 2015–2020. Geneva.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-139

Refbacks

  • There are currently no refbacks.