Como o cinema constrói suas verdades? / How cinema builds it’s truths?

Evelyn Fernandes Azevedo Faheina

Abstract


Este texto discute sobre a verdade e a universalidade do cinema com base nos estudos de Aumont (2012), Metz (2007), Martin (2007) e Cabrera (2006; 2010).  Seu objetivo é situar o filme Cinema, aspirinas e urubus, de Marcelo Gomes, no centro dessa problemática. Do ponto de vista argumentativo, desenvolve a compreensão de que a verdade do cinema não se traduz na verossimilhança do real ou na expressão natural da realidade, mas, sim, na produção de um sentido, de uma possibilidade. O cinema, portanto, possui uma pretensão de verdade, que não tem a intenção de confirmar ao espectador sua veracidade ou falsidade e, sim, de abarcá-lo numa espécie de verdade impingida por intermédio de uma experiência instauradora e impactante.

 

 


Keywords


Cinema, Espectador, Impressão de realidade.

References


AUMONT, Jacques. A estética do filme. 9. ed. Campinas: Papirus, 2012.

CABRERA, Júlio. O cinema pensa: uma introdução à filosofia através dos filmes. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.

______. Diário de um filósofo no Brasil. Ijuí: Unijuí, 2010.

CARLOS, Erenildo João. O texto em questão: re-sifignicação conceitual e implicações pedagógicas. Revista Conceitos. João Pessoa, v. 06, n. 13, p. 61-73, jul., 2002.

CINEMA, aspirinas e urubus. Produção de Marcelo Gomes. Recife: Rec Produtores Associados, 2005. 1 DVD.

FAHEINA. Evelyn Fernandes Azevedo. O cinema como campo de experimentação do pensamento. Revista Espaço Acadêmico, Maringá; v. 10, n. 119, p. 78-85, abril, 2011.

LIRA, Bertrand. A construção da “voz” nos documentários observativos justiça e juízo. Revista Doc On-line. Portugal, n. 13, p. 208 -226, dez., 2002.

MARTIN, Marcel. A linguagem cinematográfica. São Paulo: Brasiliense, 2007.

METZ, Christian. A significação no cinema. 2 ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.

NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. Campinas: Papirus, 2005.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-122

Refbacks

  • There are currently no refbacks.