Síntese e caracterização de derivados da L-fenilalanina e L-tirosina alinhada à “Química Verde” e avaliação da toxicidade / Synthesis and characterization of L-phenylalanine and L-tyrosine derivatives in line with “Green Chemistry” and evaluation of toxicity

Adriany da Silva, Jair Marques Junior, Claudemir Batalini

Abstract


A maioria dos fármacos encontrados atualmente na terapêutica moderna são de origem sintética, levando os grupos de pesquisa a estarem constantemente à procura de novos candidatos a fármacos. Sínteses e processos conduzidos com vistas a uma menor agressão ao meio ambiente ganham espaço atualmente em meios acadêmicos e industriais, alinhados aos princípios da “Química Verde”. Este trabalho foi realizado seguindo esse propósito, em que as substâncias N-(L-fenilalaninil)-benzamida (P1) e N-(L-benzoato de tirosinil)-benzamida (P2) foram preparadas através de reações de benzoilação dos aminoácidos de partida L-fenilalanina e L-tirosina, pelo clássico método de Schotten-Baumann, em meio aquoso e temperatura ambiente. Os produtos foram purificados por recristalização e caracterizados por ponto de fusão, cromatografia em camada delgada (CCD) e espectroscopias no ultravioleta-visível (UV-VÍS) e no infravermelho (IV). Foram ainda investigadas as atividades antioxidante qualitativa com o radical difenilpicrilhidrazil (DPPH) e de potencial tóxico frente à larvas de Artemia salina Leach. Apenas P1 indicou significante atividade antioxidante. O teste de toxicidade dos produtos revelou serem atóxicos, de acordo com os valores de concentração letal média (CL50) obtidos. Apesar dos rendimentos baixos obtidos nas reações, as caracterizações sinalizam para o sucesso das sínteses de P1 e P2, numa estratégia sintética econômica, rápida e de baixo impacto ambiental.

 


Keywords


Aminoácidos. Química Verde. Síntese orgânica. Potencial tóxico.

References


ALCÁNTARA, A. R. Biotransformations in drug synthesis: a green and powerful tool for medicinal chemistry. Journal of Medicinal Chemistry and Drug Design, v. 1, n. 1, p. 1-8, 2017.

ANASTAS P. T.; WARNER J. C.; Green chemistry: theory and practice. New York: Oxford University Press, 1998.

BALAJI, B. S.; DALAL, N. An expedient and rapid green chemical synthesis of N-chloroacetanilides and amides using acid chloride under metal-free neutral conditions. Green Chemistry Letters and Reviews, v. 11, n. 4, p. 552-558, 2018.

BARREIRO, E. J.; FRAGA, C. A. M. Química medicinal: as bases moleculares da ação dos fármacos. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BARREIRO, E. J.; FRAGA, C. A. M.; MIRANDA, A. L. P.; RODRIGUES, C. R.; A química medicinal de N-acilidrazonas: novos compostos-protótipos de fármacos analgésicos, antiinflamatórios e anti-trombóticos. Química Nova, v. 25, n. 1, p. 129-148, 2002.

BATALINI, C.; STOCCO, L. O.; FERNANDES, R. T. S.; JUNIOR, J. M. Avaliações fitoquímica, fitotóxica e antifúngica da entrecasca do caule de Pterodon pubescens Benth (sucupira branca). Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 10, p. 77589-77607, 2020.

BAUMANN, E. Ueber eine einfache methode der darstellung von benzoësäureäthern. Berichte der Deutschen Chemischen Gesellschaft, v. 19, n. 2, p. 3218-3222, 1886.

COLLINS, T. J. Introducing green chemistry in teaching and research. Journal of Chemical Education, v. 72, n. 11, p. 965-966, 1995.

COLLINS, C. H.; BRAGA, G. L.; BONATO, P. S. Introdução a métodos cromatográficos. 7. ed. Campinas (SP): Editora da UNICAMP, 1997.

HAFEZ, E. A. A.; AL-MOUSAWI, S. M.; MOUSTAFA, M. S.; SADEK, K. U.; ELNAGDI, M. H. Green methodologies in organic synthesis: recent developments in our laboratories. Green Chemistry Letters and Reviews, v. 6, n. 3, p. 189-210, 2013.

LEITE, S. B. P. Efluentes do processamento de Minced de tilápia reaproveitados como coprodutos com atividade antioxidante para uso como meio de cultura em bioprocessos. 106p. Dissertação (Mestrado – Programa de Pós-graduação em Ciências. Área de Concentração: Química na Agricultura e no Ambiente) - Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo, 2016.

LENARDÃO, E. J.; FREITAG, R. A.; DABDOUB, M. J.; BATISTA, A. C. F.; SILVEIRA, C. C.; “Green Chemistry” - Os 12 princípios da química verde e sua inserção nas atividades de ensino e pesquisa. Química Nova, v. 26, n. 1, p. 123-129, 2003.

LHULLIER, C.; HORTA, P.; FALKENBERG, M. Avaliação de extratos de macroalgas bênticas do litoral catarinense utilizando o teste de letalidade para Artemia salina. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 16, n. 2, p. 158-163, 2006.

KOTZ, J. C.; TREICHEL, P. M.; TOWNSEND, J. R.; TREICHEL, D. A. Química geral e reações químicas. 9. ed. v. 1. São Paulo: Cengage Learning, 2016.

MARTINS, C. R.; LOPES, W. A.; ANDRADE, J. B. Solubilidade das substâncias orgânicas. Química nova, v. 36, p. 1248-1255, 2013.

MARVEL, C. S.; LAIZER, W. A. Organic syntheses. Coll. v. 1, p. 99; v. 9, p. 16, 1941.

MEDEIROS, H. I. R.; SILVA, B. B. M.; AGUIAR, C. E. R.; BRITO, T. A. M.; FERREIRA, F. E. S.; FERNANDES, N. D.; MOURA, E. P.; JÚNIOR, F. C. M. Síntese, elucidação da arquitetura molecular e avaliação do potencial citotóxico de um promissor candidato a fármaco derivado de amidoxima. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 9, p. 66070-66079, 2020.

MEYER, B. N.; FERRIGNI, N. R.; PUTNAM, J. E.; JACOBSEN, L. B.; NICHOLS, D. E.; McLAUGHLIN, J. L. Brine shrimp, a convenient general bioassay for active-plant constituents. Planta Medica, v. 45, n. 1, p. 31-34, 1982.

MCMURRY, J. Química orgânica. 6. ed. v. 2. São Paulo: Cengage Learning, 2005.

NGUTA, J. M.; MBARIA, J. M.; GAKUYA, D. W.; GATHUMBI, P. K.; KABASA, J. D.; KIAMA, S. G. Biological screening of Kenya medicinal plants using Artemia salina L. (Artemiidae). Pharmacology on line, v. 2, p. 458-78, 2011.

OLIVEIRA, G. L. S. Determinação da capacidade antioxidante de produtos naturais in vitro pelo método do DPPH•: estudo de revisão. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 17, n. 1, p. 36-44, 2015.

PARRA, A. L.; SARDIÑAS, I. G.; YHEBRA, R. S.; BUELBA, L. I. Comparative study of the assay of Artemia salina Leach and the estimate of the medium lethal dose (LD50 value) in mice, to determine oral acute toxicity of plant extracts. Phytomedicine, v. 8, n. 5, p. 395-400, 2001.

PAVIA, D. L.; LAMPMAN, G. M.; KRIZ, G. S.; VYVYAN, J. R. Introdução à espectroscopia. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2015.

POUR, B. M.; SASIDHARAN, S. In vivo toxicity study of Lantana camara. Asian Pacific Journal of Tropical Biomedicine, v. 1, n. 3, p. 230-232, 2011.

ROCKENBACH, I. I. Compostos fenólicos, ácidos graxos e capacidade antioxidante do bagaço da vinificação de uvas tintas (Vitis vinifera L. e Vitis labrusca L.). 112 p. Dissertação (Mestrado em Ciência dos Alimentos) - Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

SCHOTTEN, C. Ueber die oxydation des piperidins. Berichte der Deutschen Chemischen Gesellschaft, v. 17, n. 2, p. 2544-2547, 1884.

SINGH, M. M.; SZAFRAN, Z.; PIKE, R. M. Microscale chemistry and Green Chemistry: complementary pedagogies. Journal of Chemical Education, v. 76, n. 12, p. 1684-1686, 1999.

SOARES, B. G.; SOUZA, N. A.; PIRES, D. X. Teoria e técnicas de preparação, purificação e identificação de compostos orgânicos. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.

SOLOMONS, G.; FRYHLE, C.; SNYDER, S. Organic chemistry. 11. ed. John Wiley & Sons, 2014.

SORGELOOS, P.; Van Der WIELEN, C. R.; PERSOONE, G. The use of Artemia nauplii for toxicity tests. A critical analysis. Ecotoxicology and Environmental Safety, v. 2, n. 3-4, p. 249-255, 1978.

SOUSA, C. M. M.; ROCHA e SILVA, H.; VIEIRA JR, G. M.; AYRES, M. C. C.; COSTA, C. L. S.; ARAÚJO, D. S.; CAVALCANTE, L. C. D.; BARROS, E. D. S.; ARAÚJO, P. B. M.; BRANDÃO, M. S.; CHAVES, M. H. Fenóis totais e atividade antioxidante de cinco plantas medicinais. Química Nova, v. 30, n. 2, 351-355, 2007.

VOGEL, A. I. Química orgânica. 6. ed. v. 1, 2 e 3. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1981.

ZIMMERMAN, J. B.; ANASTAS, P. T.; ERYTHROPEL, H. C.; LEITNER, W. Designing for a green chemistry future. Science, v. 367, n. 6476, p. 397-400, 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-110

Refbacks

  • There are currently no refbacks.