Levantamento epidemiológico retrospectivo de sepse na unidade de terapia intensiva do Hospital Universitário Lauro Wanderley / Retrospective epidemiological survey of sepsis in the intensive care unit of Lauro Wanderley University Hospital

Laryssa Renata Muniz Rocha, José Soares do Nascimento, John Victor Rocha

Abstract


A sepse é considerada a principal causa de morte em pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva e este quadro pouco tem evoluído, apesar dos desenvolvimentos obtidos na área. Este estudo objetivou determinar o perfil epidemiológico e as características dos pacientes com sepse, internados na UTI adulto do Hospital Universitário Lauro Wanderley, na Paraíba. Trata-se de um estudo retrospectivo, observacional, que avaliou o perfil epidemiológico e características dos pacientes com sepse que foram internados na UTI adulto do Hospital Universitário Lauro Wanderley, no período entre janeiro de 2013 a dezembro de 2017. Os dados estudados foram provenientes dos registros de infecção hospitalar, os quais foram preenchidos e analisados pela equipe multiprofissional da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do HULW. A análise estatística descritiva dos resultados foi realizada por meio das frequências absolutas e relativas para as variáveis categóricas; e da média e desvio padrão ou mediana, para as variáveis contínuas. De um total de 2211 prontuários, foram incluídos 297, os quais foram classificados com sepse (68,4 %) ou choque séptico (31,6 %). Houve predominância de pacientes do sexo masculino (52,5%) e faixa etária maior de 70 anos (39,7%). A média de tempo de internação foi de 16,8 dias. As principais fontes de infecção foram pulmão (17%) e trato urinário (9%). Entre as comorbidades dos pacientes admitidos, complicações renais (20%) e complicações respiratórias (15%) foram as mais frequentes. Quanto às hemoculturas realizadas e computadas, os principais agentes etiológicos foram bacilos Gram negativos (62%). A mortalidade na sepse e no choque séptico foi de 47,1% e 66,2%, respectivamente. O estudo evidenciou que a sepse acometeu, em sua maioria, idosos do sexo masculino, sendo o principal foco infecioso de origem pulmonar. Constataram-se ainda elevadas taxas de mortalidade, principalmente em casos de choque séptico.


Keywords


Sepse, Unidade de Terapia Intensiva, Epidemiologia.

References


ANSELMO JÚNIOR, Emídio et al. Incidência De Sepse Nosocomial Em Adultos De Uma Unidade De Terapia Intensiva, Tubarão (Sc), Em 2013. Arquivos Catarinenses de Medicina, v. 46, n. 4, p. 17-26, 2017.

BROOKS, Daniel et al. Sepsis caused by bloodstream infection in patients in the intensive care unit: the impact of inactive empiric antimicrobial therapy on outcome. Journal of Hospital Infection, v. 98, n. 4, p. 369-374, 2018.

DEWITTE, Antoine et al. Blood platelets and sepsis pathophysiology: A new therapeutic prospect in critical ill patients?. Annals of intensive care, v. 7, n. 1, p. 115, 2017.

MACHADO, Flavia R. et al. The epidemiology of sepsis in Brazilian intensive care units (the Sepsis PREvalence Assessment Database, SPREAD): an observational study. The Lancet Infectious Diseases, v. 17, n. 11, p. 1180-1189, 2017.

PRADO, Patricia Rezende do et al. Fatores de risco para morte em pacientes com sepse em uma unidade de terapia intensiva. Rev Rene (Online), v.19, p. e3231-e3231, 2018.

RHODES, Andrew et al. Campanha Sobrevivendo à Sepse: Diretrizes internacionais para a gestão de sepse e choque séptico: 2016. Critical Care Medicine, v. 45, n. 3, p. 486-556, 2017.

SANTOS BARROS, Lea Lima; DO SOCORRO FERRAZ MAIA, Cristiane; CHAGAS

MONTEIRO, Marta. Fatores de risco associados ao agravamento de sepse em pacientes em Unidade de Terapia Intensiva. Cadernos Saúde Coletiva, v. 24, n. 4, 2016.

SANTOS, Alice Veras et al. Perfil epidemiológico da sepse em um hospital de urgência.

Revista Prevenção de Infecção e Saúde, v.1, n.1, p.19-30, 2015.

SANTOS, Andréa Moura; DE SOUZA, Graziela Ramos Barbosa; DE OLIVEIRA DEVEZAS, Acácia Maria Lima. Sepse em adultos na unidade de terapia intensiva: características clínicas/Sepsis in adult patients in the intensive care unit: clinical characteristics. Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, v. 61, n. 1, p. 3-7, 2018.

ZONTA, Franciele Nascimento Santos et al. Características epidemiológicas e clínicas da sepse em um hospital público do Paraná. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, v. 8, n. 3, p. 224-231, 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-090

Refbacks

  • There are currently no refbacks.