Avaliação ambiental de uma instituição de ensino a partir do uso de indicadores de sustentabilidade / Environmental assessment of an educational institution based on the use of sustainability indicators

Cássio Rangel Paulista, Leonardo de Sousa Cavadas, Roberta Alvarenga dos Santos, Wallan Azevedo dos Santos, Milton Erthal Júnior, Henrique Rego Monteiro da Hora

Abstract


A Pegada Ecológica é um indicador de sustentabilidade utilizado para avaliar impactos ambientais causados pelas ações humanas. Propôs-se calcular as emissões de CO2 liberadas pelo uso de água, papel, energia elétrica, combustível e da área construída por parte dos alunos matriculados em um programa de pós-graduação stricto sensu. Os dados foram usados para estimar a Pegada Ecológica e analisar o nível de consciência ambiental dos discentes. Um questionário eletrônico foi utilizado para a obtenção dos dados. Cada aluno obteve uma pegada ecológica de 0,209 gha. Constatou-se que o combustível é a variável que mais exerce influência no cálculo da pegada e de maior custo na análise econômica, responsável por 86% de todo custo avaliado. Cada aluno obteve um custo unitário de R$163,00. O parâmetro papel apresentou seu comportamento inversamente proporcional na relação entre impacto ambiental e custo monetário, pois a utilização de papel reciclado a fim de reduzir a emissão de CO2 aumentaria o seu custo em 10%.


Keywords


Pegada Ecológica; Educação ambiental; Sustentabilidade; Emissões de CO2

References


AGOSTINHO, F.; ORTEGA, E.; ROMEIRO, A. Índices versus indicadores: precisões conceituais na discussão da sustentabilidade de países. Ambiente & sociedade, v. 10, n. 2, p. 137–148, 2007.

ALVES, J. E. D. Sustentabilidade, Aquecimento Global e o Decrescimento Demo-Econômico / Sustainability, Global Warming and the Demo-Economic Degrowth. Revista Espinhaço (UFVJM), v. 3, n. 1, p. 4–16, 1 jun. 2014.

BARBOSA, G. S. O desafio do desenvolvimento sustentável. Revista Visões, v. 4, n. 1, p. 1–11, 2008.

BECKER, M. et al. A PEGADA ECOLÓGICA DE CAMPO GRANDE E A FAMÍLIA DE PEGADAS. Brasília, DF: WWF-Brasil, mar. 2012.

DIAS, G. F. Pegada ecológica e sustentabilidade humana: as dimensões humanas das alterações ambientais globais - um estudo de caso brasileiro (como o metabolismo ecossistêmico urbano contribui para as alterações ambientais globais). Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2016.

FANG, K.; HEIJUNGS, R.; DE SNOO, G. R. Theoretical exploration for the combination of the ecological, energy, carbon, and water footprints: Overview of a footprint family. Ecological Indicators, v. 36, p. 508–518, jan. 2014.

FIRMINO, A. M. et al. A Relação da pegada ecológica com o desenvolvimento sustentável-cálculo da pegada ecológica de Toribaté/THE RELATIONSHIP OF ECOLOGICAL FOOTPRINT TO SUSTAINABLE DEVELOPMENT-CALCULATION OF ECOLOGICAL FOOTPRINT OF TORIBATÉ. Caminhos de Geografia, v. 10, n. 32, 2010.

GALLI, A. et al. Questioning the Ecological Footprint. Ecological Indicators, v. 69, p. 224–232, out. 2016.

GONDEK, D. DE C. et al. Pegada Ecológica. UNICEUB, p. 1–19, maio 2011.

GUIMARÃES, R. P.; FEICHAS, S. A. Q. Desafios na construção de indicadores de sustentabilidade. Ambiente & sociedade, v. 12, n. 2, p. 307–323, 2009.

HAMMOND, A. L.; WORLD RESOURCES INSTITUTE (EDS.). Environmental indicators: a systematic approach to measuring and reporting on environmental policy performance in the context of sustainable development. Washington, D.C.: World Resources Institute, 1995.

LISBOA, C. K. PEGADA ECOLÓGICA: UM INDICADOR AMBIENTAL PARA LONDRINA - PR. Univerdade Estadual de Londrina, p. 1–143, mar. 2007.

MCTI. PORTAL DO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2016.

OSTERMAYER, F. Estudo das emissões de gases formadores do efeito estufa e balanço resultante da conversão de motores à gasolina, de uma frota de veículos leves, para gás natural e álcool hidratado. Dissertação para Mestrado—Porto Alegre, RS: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2004.

PROCEL. Tabela de estimativa de consumo médio mensal de eletrodomésticos de acordo com um uso hipotético. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2016.

RIDOUTT, B. G.; PFISTER, S. Towards an Integrated Family of Footprint Indicators: Towards an Integrated Family of Footprint Indicators. Journal of Industrial Ecology, v. 17, n. 3, p. 337–339, jun. 2013.

RODRÍGUEZ, R. L.; IGLESIAS, J. L. T.; ÁLVAREZ, N. L. Impacto ambiental en centros da USC. Santiago de Compostela: Vicerreitoría de Calidade e Planificación, Universidade de Santiago de Compostela, 2008.

SEGNINI, A. et al. Potencial de sequestro de carbono em área de pastagem de Brachiaria Decumbens. CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 2007. Acesso em: 27 jul. 2016

SILVA, G. J. P. DA. MODELAGEM PARA AVALIAÇÃO DA PEGADA ECOLÓGICA EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO. Dissertação para Mestrado—Campos dos Goytacazes, RJ: Universidade Cândido Mendes, 2015.

WACKERNAGEL, M.; REES, W. E. Our ecological footprint: reducing human impact on the earth. Gabriola Island, BC ; Philadelphia, PA: New Society Publishers, 1996.

WHITBY, A. The BRAINPOoL Project: Beyond GDP – From Measurement to Politics and Policy. [s.l.] BRAINPOoL deliverable 5.2, mar. 2014.

WWF. Pegada Ecológica? O que é isso? Disponível em: . Acesso em: 14 maio. 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv4n5-226

Refbacks

  • There are currently no refbacks.