Artrópodes e seu potencial como vetores de microrganismos em ambiente hospitalar / Arthropods and their potential as vectors of microorganisms in a hospital environment

Lucas Valério Gonsalves, Isabele Fuentes Barbosa, Ana Carolina Zago, Giovana Borges Miguel, Carlana Barbosa da Rosa Cruz, Laércio Rodrigues dos Santos, Guilherme Cassão Marques Bragança

Abstract


A infecção hospitalar está presente nas mais diversas realidades, podendo ser agravada ou não por questões econômicas ou culturais e tem sido motivo de preocupação há décadas. No entanto, a relação dos artrópodes como vetores é pouco explorada. Sendo assim, é necessário que se tenha maior suporte científico, e desse modo, possam ser delimitadas barreiras de interesse nos locais e estas sejam adequadas conforme as realidades vivenciadas nas unidades hospitalares. Considera-se, portanto, que artrópodes são vetores naturais de microrganismos e estão presentes em ambientes hospitalares podendo promover sua dispersão e assim, causar infecções hospitalares mesmo nos ambientes onde se observa adequada higiene de ambientes. Este trabalho teve como objetivo identificar a presença de microrganismos em diferentes áreas do Hospital Universitário Dr. Mário Araújo em Bagé-RS veiculados por artrópodes e verificar o grau de sensibilidade desses microrganismos a antimicrobianos. A referida unidade hospitalar foi setorizada e as amostras colhidas em um único momento, de forma transversal. Foram encontrados diversos microrganismos nos artrópodes capturados, que após serem submetidos ao teste de antibiograma, alguns mostraram-se resistentes a certos antimicrobianos, acendendo um sinal de alerta para estes dados. Através deste trabalho evidenciou-se a importância de estudar-se os microrganismos e as consequências das ações humanas, pois a utilização de antimicrobianos descontroladamente tem selecionado cepas resistentes, gerando cada vez mais impacto no âmbito hospitalar e na vida das pessoas.


Keywords


Artrópodes, vetores, resistência microbiana, infecção hospitalar.

References


AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Ministério da Saúde. Regulamento Técnico de Avaliação de Matérias Macroscópicas e Microscópicas Prejudiciais à Saúde Humana em Alimentos Embalados. Resolução RDC no 175, de 8 de julho de 2003. Diário Oficial da União. Seção 1, no 130, ISSN 1677-7042, p. 32-33.

ALVES, G. G. E. A. Bactérias multidroga resistentes isoladas de formigas hospitalares. Investigação, 2011.

ARIAS, M. V. B.; DE MAIO CARRILHO, C. M. D. Resistência antimicrobiana nos animais e no ser humano. Há motivo para preocupação?. Semina: Ciências Agrárias, p. 775-790, 2012.

BAUMGARTNER, D. L.; GREENBERG, B. The genus Chrysomya (Diptera: Calliphoridae) in the new world. Journal of Medical Entomology, v. 21, n. 1, p. 105-113, 1984.

BEOVIĆ, B. The issue of antimicrobial resistance in human medicine. International journal of food microbiology, p. 280-287, 2006.

BRASIL. Manual de Microbiologia Clínica para o Controle de Infecção em Serviços de Saúde. Edição Comemorativa para o IX Congresso Brasileiro de Controle de Infecção e Epidemiologia Hospitalar. Brasília: Editora Agência Nacional de Vigilância Sanitária. 2004. p. 381.

CARDOZO, G. M. B. Q. E. A. Avaliação de Musca domestica como vetor mecanico de microrganismos patogenicos em queijo minas frescal, 2007.

CENTER FOR FOOD SAFETY; APPLIED NUTRITION (US). The food defect action levels: levels of natural or unavoidable defects in foods that present no health hazards for humans. Department of Health and Human Services, Public Health Service, Food and Drug Administration, Center for Food Safety and Applied Nutrition. [S.l.]. 1995.

COMMISSION, C. A. CX/FH 01/14 – Discussion Paper on proposed draft guidelines for evaluating objectionable matter in food. JOINT FAO/WHO Food Standards Programme. Codex Committee on Food Hygiene, Bankog, Thailand, n. 34ª Session, p. 8-13, october 2001.

COSTA TMPF, C. D. Infecção hospitalar: conceito de uma equipe de enfermagem. REME - Rev Min Enferm., v. 1/2, n. 4, p. 16-21, 2000.

DA SILVA, M. H. R. E. A. Isolamento e identificação de microrganismos presentes em superfícies de teclados e mouses de uma universidade de Três Lagoas, MS. Colloquium Vitae., Três Lagoas, p. 83-90, 2014.

DALFOVO, M. S.; LANA, R. A.; SILVEIRA, A. Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista interdisciplinar científica aplicada, v. 2, n. 3, p. 1-13, 2008.

DALLACORTE, R. R.; SCHNEIDER, R. H.; BENJAMIN, W. W. Perfil das infecções do trato urinário em idosos hospitalizados na Unidade de Geriatria do Hospital São Lucas da PUCRS. Scientia Medica, Porto Alegre, v. 17, n. 4, p. 197-204, out/dez 2007.

DAVIN-REGLI, A. E. A. Enterobacter aerogenes and Enterobacter cloacae; versatile bacterial pathogens confronting antibiotic treatment. Frontiers in microbiology, Marseille, France, v. 6, p. 392, 2015.

DE CASTRO, B. G. Prevalência de bactérias Gram-positivas em infecção do trato urinário.. RBAC, Goiânia, v. 51, n. 4, p. 322-7, 2019.

DE MOURA PIRES, H. F. E. A. Sepse em unidade de terapia intensiva em um hospital público: estudo da prevalência, critérios diagnósticos, fatores de risco e mortalidade. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 7, p. 53755-53773, Julho 2020.

DE SOUZA, R. A.; PORCY, C.; DE OLIVEIRA MENEZES, R. A. Análise bacteriológica das barras de apoio dos ônibus utilizados no transporte público da cidade de Macapá-Amapá. Revista Eletrônica Acervo Científico, Macapá, v. 8, p. e2937-e2937, 2020.

DIAS, V. L. E. A. Infecções de corrente sanguínea por bacilos Gram-negativos multirresistentes em UTI de adultos mista de um hospital terciário de ensino no Brasil., 2019.

DINIZ, K. F. E. A. PESQUISA DE Staphylococcus aureus EM COLCHONETES DE ACADEMIAS DE SANTA RITA-PB. Journal of Medicine and Health Promotion, Santa Rita, v. 5, n. 1, p. 23-30, 2020.

FERNANDES AT, R. F. N. B. E. Conceito, cadeia epidemiológica das infecções hospitalares e avaliação custo benefício das medidas de controle. In: Fernandes AT, Fernandes MOV, Ribeiro Filho N, organizadores. Infecção hospitalar e suas interfaces na área da saúde., São Paulo, p. 215-65, 2000.

FERNÁNDEZ RIVERÓN, Fernando et al. Resistencia bacteriana. Revista cubana de medicina militar, v. 32, n. 1, p. 0-0, 2003.

FOLETTO, V. S. . B. A. et al. Prevalência e perfil de resistência aos antimicrobianos de hemoculturas em hospital universitário. Saúde (Santa Maria), v. 45, n. 3, 2019.

FONTANA, R. E. A. Disseminação de bactérias patogênicas por formigas (Hymenoptera: Formicidae) em dois hospitais do nordeste do Brasil.. Neotropical entomology, p. 655-663, 2010.

FORATTINI, P. O. Ecologia Epidemiologia e Sociedade. Editora da Universidade de São Paulo. São Paulo, p. 529. 1992.

GAZETA, G. S. E. A. Artrópodes capturados em ambiente hospitalar do Rio de Janeiro, Brasil. Revista de Patologia Tropical, p. 254-264, 2007.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

GIONO-CEREZO, S. E. A. Antimicrobial resistance. Its importance and efforts to control it. Gaceta Medica de Mexico, Mexico City, v. 156, n. 2, p. 171-178, Dezembro 2020.

GREENBERG, B. Flies and disease: ecology, classification and biotic associations. Journal of Medical Entomology, New Jersey:, v. 25, n. 3, p. 856, 1971.

GREENBERG, B. Flies and disease: biology and disease transmission. New Jersey: Princeton University, 1973. p. 447.

GUARDABASSI, L.; JENSEN, L. B.; KRUSE, H. Guia de antimicrobianos em veterinária. Compenhagen: Artmed Editora, 2009.

GUERRA, Marcones Pires et al. Enterobactérias e estafilococos em moscas capturadas em feira-livre no município de Teixeira de Freitas-BA/Enterobacteria and staphylococci in flies captured in street market in the municipality of Teixeira de Freitas, Bahia, Brazil. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, v. 2, n. 3, p. 1130-1144, 2019.

GUIMARÃES, J. H.; PRADO, A. P.; BURALLI, G. M. Dispersal and distribuition of three newly introduced species of Chrysomya Robineau-Desvoidy in Brazil (Diptera, Calliphoridae).. Revista Brasileira de Entomologia, v. 23, n. 4, p. 245-255, 1979.

GUIMARÃES, J. H.; PRADO, A. P.; LINHARES, A. X. Three newly introduced blowfly species in southern Brazil (Diptera: Calliphoridae).. Revista Brasileira de Entomologia, v. 22, n. 1, p. 53-60, 1978.

HALEY, R. W. E. A. The efficacy oe infection surveillance and control programs in preventing nosocomial infections in us hospitals. American Journal of Epidemiology, v. 121, n. 2, p. 182-205, 1985.

HIDRON, A. I. E. A. Antimicrobial‐resistant pathogens associated with healthcare‐associated infections: annual summary of data reported to the National Healthcare Safety Network at the Centers for Disease Control and Prevention, 2006–2007. Infection Control and Hospital Epidemiology, v. 29, n. 11, p. 996-1011, 2008.

JACOBS, C.; ALVES, I. A. Identificação de microrganismos veiculados por vetores mecânicos no ambiente hospitalar em uma cidade da região noroeste do estado Rio Grande do Sul. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, 2014.

KEIDING, J. The housefly- biology and control. training and information guide (advanced level). Geneva: World Health Organization. 1986. p. 63.

KOSMANN, C. Calliphoridae (Diptera): identificação, sinantropia e análise microbiológica. Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, 2013, 2013.

LAURENCE, B. R. Geographical expansion of the range of Chrysomya blowflies.. Transactions of the Royal Society of Tropical Medicine and Hygiene, v. 75, n. 1, p. 130-131, 1981.

LIMA, M. L. P. S.; LUZ, E. Espécies exóticas de Chrysomya (Diptera, Callphoridae) como veiculadoras de entorobactérias patogênicas em Curitiba, Paraná, Brasil. Acta Biologica Paranaense, Curitiba, v. 20, n. 1/4, p. 61-83, 1991.

LOUREIRO, R. J. E. A. O uso de antibióticos e as resistências bacterianas: breves notas sobre a sua evolução. Revista Portuguesa de saúde pública, v. 34, n. 1, p. 77-84, 2016.

MANRIQUE-SAIDE, P. C.; DELFÍN-GONZÁLEZ, H. Importancia de las moscas como vectores potenciales de enfermedades diarreicas en humanos. Rev Biomed, v. 8, n. 3, p. 163-170, 1997.

MARICONI, F. A. M.; GUIMARÃES, J. H.; BERTI FILHO, E. A mosca doméstica e algumas outras moscas nocivas. Piracicaba: FEALQ. 1999. p. 135.

MENICHETTI, F. Current and emerging serious Gram‐positive infections. Clinical Microbiology and Infection, Pisa, v. 11, p. 22-28, 2005.

MIMICA, M. J.; MENDES, C. M. Diagnóstico laboratorial da resistência à oxacilina em Staphylococcus aureus.. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, São Paulo, v. 43, n. 6, p. 399-406, Dezembro 2007.

MORELO, N.; TRENTIN, D. S. Galleria mellonella: um hospedeiro experimental alternativo para estudos de infecções por bactérias gram-positivas.. Revista Liberato, Porto Alegre, v. 17, n. 28, p. 217-250, 2018.

MUSSI-PINHATA, M. M.; NASCIMENTO, S. D. Infecções neonatais hospitalares. J Pediatr (Rio J), p. 81-96, 2001.

NATIONAL COMMITTEE FOR CLINICAL LABORATORY STANDARD. Performance standards for antimicrobial susceptibility testing; tenth informational supplement. M100-S10. Wayne (PA). 2000.

PENNA, R. T. Culicidae (Diptera) vetores da febre amarela no Estado de São Paulo, Brasil. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2019.

PEREIRA, M. S. E. A. A infecção hospitalar e suas implicações para o cuidar da enfermagem. Texto & Contexto-Enfermagem, v. 14, n. 2, p. 250-257, 2005.

PEREIRA, R. D. S.; UENO, M. Formigas como veiculadoras de microrganismos em ambiente hospitalar. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, p. 492-495, 2008.

POTRON, A. . P. L. . R. E. E. N. P. Intercontinental spread of OXA-48 β-lactamase-producing Enterobacteriaceae over a 11-year period, 2001 to 2011. Eurosurveillance, v. 18, n. 31, p. 20549, 2013.

PRADO, Â. P. D. CONTROLE DAS PRINCIPAIS ESPÉCIES DE MOSCAS EM ÁREAS URBANAS. Biológico, Janeiro/Dezembro 2003. 95-97.

PRADO, A. P.; GUIMARÃES, J. H. Estado atual de dispersão e distribuição do gênero Chrysomya Robineau-Desvoidy na região neotropical (Diptera, Calliphoridae).. Revista Brasileira de Entomologia, v. 26, n. 3/4, p. 225-231, 1982.

QUICENO, J. E. A. LA MOSCA DOMÉSTICA COMO PORTADOR DE PATÓGENOS MICROBIANOS, EN CINCO CAFETERÍAS DEL NORTE DE BOGOTÁ THE DOMESTIC FLY AS CARRIER OF MICROBIAL PATHOGENS IN FIVE NORTHERN BOGOTA CAFETERIAS. Rev. U.D.C.A Act. & Div. Cient., p. 23-29, 2010.

RODRIGUES, S. D. C. S. E. A. Ocorrência de Staphylococcus Aureus em Hospitais Públicos Brasileiros: Uma Revisão Bibliográfica. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, v. 2, p. 33-42, Maio 2016.

SANTOS, A. E. A. Gerenciamento ambiental para o controle de Musca domestica L. (Diptera:Muscidae) e Chrysomya megacephala (Fabricius) (Diptera: Calliphoridae) em assentamentos urbanos.2006. 197 f. Tese (Doutorado em Parasitologia) - Instituto de Biologia, UniversidadeEstadual de Campinas., Campinas, SP., 2006. Disponivel em: <>. Acesso em: 20 jun. 2020.

SÃO PAULO. Animais sinantrópicos: manual do educador -como prevenir [Internet]. Secretaria Municipal de Saúde da cidade de São Paulo. Centro de Controle de Zoonoses., São Paulo, 2007.

SILVA, J. A. O.; RIBEIRO, E. R. Controle de pragas e vetores de doenças em ambientes hospitalares. PUBVET, p. 1940-2029, 2014.

SOARES, C. O. E. A. Borrelioses, agentes e vetores. Pesquisa Veterinária Brasileira, p. 01-19, 2000.

SOARES, G. G. E. A. Produção de biofilme e perfil de resistência de cepas de Enterobacter sp. isoladas de úlcera por pressão em Petrolina, Pernambuco, Brasil. Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, v. 52, n. 5, p. 293-298, 2016.

SOUZA, C. O. et al. Resistência antimicrobiana de Salmonella typhi identificadas no Estado do Pará, Brasil. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 1, n. 2, p. 61-65, 2010.

THYSSEN, P. J. E. A. O papel de insetos (Blattodea, Diptera e Hymenoptera) como possíveis vetores mecânicos de helmintos em ambiente domiciliar e peridomiciliar. Cadernos de Saúde Pública, Campinas, v. 20, p. 1096-1102, 2004.

VAN DEN BOGAARD, A. E.; STOBBERINGH, E. E. Epidemiology of resistance to antibiotics: links between animals and humans. International journal of antimicrobial agents, p. 327-335, 2000.

ZARZUELA, M. C. C. R. A. E. C. C.-F. Distribuição de formigas urbanas em um hospital da região sudeste do Brasil. Arq. Inst. Biol., São Paulo, p. 85-87, 2002.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv7n1-045

Refbacks

  • There are currently no refbacks.