Resistência de variedades de alface à podridão mole causada por Pectobacterium aroidearum / Lettuce varieties resistance to soft rot caused by Pectobacterium aroidearum

Karol Alves Barroso, Thiago Francisco de Souza Carneiro Neto, Xênia Bastos de Oliveira, Thaisa Ferreira Nóbrega, Luis Fernando Cabral e Silva, Cristiane Domingos da Paz, Ana Rosa Peixoto

Abstract


A alface está sujeita a doenças de natureza bacteriana, como a podridão mole que pode ser causada por bactérias pectinolíticas. O controle genético é a principal forma de controle desta doença, entretanto, no Brasil, ainda não existem variedades resistentes. Deste modo, o objetivo deste trabalho foi o de identificar fontes de resistência à podridão mole causada por Pectobacterium aroidearum em variedades comerciais de alface e avaliar a estabilidade de resistência destas em diferentes níveis de virulência. Os experimentos foram realizados em casa de vegetação na Universidade do Estado da Bahia, Juazeiro, BA, com 15 variedades de alface: Augusta, Babá de Verão, Cinderela, Crespa Grand Rapids, Elba, Elisabeth, Grandes Lagos 659, Luíza, Maravilha de Inverno, Maravilha Quatro Estações Roxa, Mimosa Green Salad Bowl, Mimosa Roxa Salad Bowl, Mônica SF31, Regina de Verão e Veneranda. Inicialmente, foi avaliada sua suscetibilidade a um isolado de P. aroidearum de alta virulência UNEB28. As variedades que apresentaram melhor desempenho foram selecionadas para o teste de estabilidade da resistência, onde foram inoculadas com três isolados com diferentes níveis de virulência: UNEB23 (baixa), UNEB28 (moderada) e UNEB3 (alta). Nos dois experimentos foram avaliadas a incidência e severidade da doença, e foram agrupadas em classes conforme a sua reação. Nenhuma variedade se mostrou imune à doença, entretanto, a variedade Elba apresentou melhor desempenho mesmo quando submetida a diferentes níveis de virulência, podendo ser usada em programas de melhoramento.

 

 


Keywords


Lactuca sativa, Seleção, Bacteria, controle de doenças.

References


AGROFIT . Sistemas de Agrotóxicos Fitossanitários. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins/DFIA/DAS, 2020. Disponível em: http://agrofit.agricultura.gov.br/agrofit_cons/principal_agrofit_cons. Acesso em: 11/ 01/ 2020.

ANUÁRIO BRASILEIRO DE HORTI&FRUTI 2019. Benno Bernardo Kist [et al.] (ed.). Santa Cruz do Sul: Editora Gazeta Santa Cruz, 2018. 96 p.

BARROSO, K.A.; MORAES, A.J.G.; MARIANO, R.L.R.; GAMA, M.A.S.; SOUZA, E.B.; QUEIROZ, M.F.; SILVA, G.S.P.; DA PAZ, C.D.; PEIXOTO, A.R. First report of Pectobacterium aroidearum causing soft rot in lettuce and Chinese cabbage in Brazil. Plant Disease, v. 103, n.12, p.3274, 2019.

BENETT, C.G.S.; PEREIRA, A.; SALOMÃO, L.; BENETT, K.; ARRUDA, N. Calcium Nitrate Dose and Application Period in American Lettuce (Lactuca sativa L.). Journal of Agricultural Science, v.10, n.6, p. 154-162, 2018.

CAMARGO, L.E.A. Controle genético. In: AMORIM, L.; REZENDE, J.A.M.; BERGAMIN FILHO, A. (ed.). Manual de Fitopatologia. Princípios e conceitos. 4. ed. São Paulo: Agronômica Ceres, 2011. v.1. cap. 15, p. 325-340.

DE BOER, S.H.; KELMAN, A. Erwinia soft rot group. In: SCHAAD, N.W., JONES, J.B.; CHUN, W. (ed.). Laboratory Guide for Identification of Plant Pathogenic Bacteria. 3. ed. St. Paul: American Phytopathological Society, 2001. cap. 2, p. 56-72.

FELIX, K.C.S.; OLIVEIRA, W.J.; MARIANOM R.L.R.; SOUZA, E. B. Lettuce genotype resistance to “soft rot” caused by Pectobacterium carotovorum subsp. carotovorum. Scientia Agrícola, v.71, n.4, p.287-291, 2014.

GOMES, A.M.A.; SILVEIRA, E.B.; MARIANO, R.L.R. Tratamento pós-colheita com cálcio e microrganismos para controle da podridão-mole em tomate. Horticultura Brasileira, v.23, n.1, p.108-111, 2005.

GOMES, E. GUEZ, M.A.U.; MARTIN, N.; SILVA, R. Enzimas termoestáveis: fontes, produção e aplicação industrial. Química Nova, v.30, n.1, p.136-145, 2007.

HAUBEN, L.; MOORE, E.R.; VAUTERIN, L.; STEENACKERS, M.; MERGAERT, J.; VERDONCK, L.; SWUINGS, J. Phylogenetic position of phytopathogens within the Enterobacteriaceae. Systematic and Applied Microbiolology, v. 21, n.3, p. 384-397, 1998.

HYMAN, L.J.; TOTH, I.K.; PÉROMBELON, M.C.M. Isolation and identification. In: PÉROMBELON, M.C.M.; VAN DER WOLF, J.M. (ed.). Methods for the detection and quantification of Erwinia carotovora subsp. atroseptica (Pectobacterium carotovorum subsp. atrosepticum) on potatoes: a laboratory manual. Invergowrie: Scottish Crop Research Institute Annual Report, 2002. v.10, p.60-65.

MARIANO, R.L.R.; SOUZA, E.B. Manual de práticas em fitobacteriologia. 3. ed. Recife: Universidade Federal Rural de Pernambuco, 2016. 234 p.

MELLO, M.R.F.; SOUZA, E.B.; PINTO, K.M.S.; da GAMA, M.A.S.; MARIANO, R. L. R. Redução da podridão mole em couve-chinesa mediada por indutores de resistência. Revista CIENTEC, v.9, n.2, p. 15-24, 2017.

MORAES, A.J.G.; SOUZA, E.B.; MARIANO, R.L.R.; SILVA, A.M.F.; LIMA, N.B.; PEIXOTO, A.R.; GAMA, M.A.S. First Report of Pectobacterium aroidearum and Pectobacterium carotovorum subsp. brasiliensis causing soft rot of Cucurbita pepo in Brazil. Plant Disease, v.101, n. 2, p.379, 2016.

NABHAN, S.; DE BOER, S.H.; MAISS, E.; WYDRA, K. Pectobacterium aroidearum sp. nov., a soft rot pathogen with preference for monocotyledonous plants. International Journal of Systematic and Evolutionary Microbiology, v.63, n.7, p.2520–2525, 2013.

NAZERIAN, E.; SIJAM, K.; AHMAD, Z.A.M.; VADMALAI, G. Characterization of Pectobacterium carotovorum subsp. carotovorum as a new disease on Lettuce in Malaysia. Australasian Plant Disease. Notes, v.8, n.1, p.105-107, 2013.

QUEIROZ, M.F.; ALBUQUERQUE, G.M.R.; GAMA, M.A.S.; MARIANO, R.L.R.; MORAES, A.J.G.; SOUZA, E.B.; SOUZA, J.B.; DA PAZ, C.D.; PEIXOTO, A.R. First Report of Soft Rot in Kale Caused by Pectobacterium carotovorum subsp. brasiliensis in Brazil. Plant Disease, v. 101, n.12, p.2144, 2017.

REN, J.; PETZOLDT, R.; DICKSON, M.H. Genetics and population improvement resistanceto bacterial soft rot Chinese cabbage. Euphytica, v.117, n.3, p.197-207, 2001.

RESENDE, G. M.; YURI, J.E.; COSTA, N.D.; MOTA, J.H. Adaptação de genótipos de alface crespa em condições semiáridas. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, v.11, n.1, p.1145-1154, 2017.

SANTI, A.; CARVALHO, M.A.C.; CAMPOS, O.R.; SILVA, A.F.; ALMEIDA, J.L.; MONTEIRO, S. Ação de material orgânico sobre a produção e características comerciais de cultivares de alface. Horticultura Brasileira, v. 28, n.1, p.87-90, 2010.

SILVA, C.L.; SOUZA, E.B.; FELIX, K.C.S.; SANTOS, A.M.G.; SILVA, M.V.; MARIANO, R.L.R. Óleos essenciais e extratos vegetais no controle da podridão mole em alface crespa. Horticultura Brasileira, v.30, n.4, p.632-638, 2012.

TAKATSU, A.; MELLO, S; GARCIA, E.J. Fruto do pimentão como meio parcialmente seletivo para isolamento de Erwinia carotovora. Fitopatologia Brasileira, v. 6, n.3, p.550-551, 1981.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n12-620

Refbacks

  • There are currently no refbacks.