Análise estatística da resistência à compressão de corpos-de-prova de argamassa incorporados com resíduos de carvão vegetal (RCV) / Statistical analysis of resistance to compression of mortar samples incorporated with charcoal waste (RCV)

Marielza Corrêa dos Reis, Mariele Corrêa dos Reis Maia, Sheyla Mara Baptista Serra, João Vicente Zampieron

Abstract


A indústria da construção civil consome quantidades significativas de recursos naturais que já começam a apresentar problemas quanto a sua escassez. A produção de matrizes cimentícias incorporadas com resíduos de carvão vegetal (RCV) em substituição parcial a areia fina é uma alternativa promissora a problemática, carência de resíduos naturais e a utilização de um resíduo agroindustrial gerado em larga escala no Brasil. Diante do exposto, leva-se a necessidade de conhecimento tecnológico e controle de produção e verificação para atender aos requisitos estabelecidos pelas normas técnicas. Neste âmbito, a resistência mecânica à compressão axial dos compósitos cimentícios é o principal parâmetro de controle e seus resultados tem gerado discussões e controvérsias. Assim, foram realizadas verificações segundo os critérios das principais normas brasileiras, e foi estudada a variabilidade existente nos resultados dos ensaios de resistência à compressão axial das argamassas com teores de 0%, 10%, 20% e 30% de RCV. Com base nos dados coletados e análises realizadas pode-se concluir que todas as composições de argamassa atenderam a resistência mínima de 20 MPa. No entanto, através da análise de variâncias (ANOVA), constatou-se que há diferença significativa entre os resultados das argamassas para todos os teores de substituição e para as idades de cura, 7, 28 e 60 dias, entretanto, a interação entre elas não apresentou diferenças significativas ao nível de 5% de probabilidade.


Keywords


Controle estatístico, Análise de variância, Resistência à compressão, Resíduos de carvão vegetal.

References


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 7215 – Cimento Portland – Determinação da resistência à compressão. Rio de Janeiro, 1996. 8p.

BORGES, L. C.; FERREIRA, D. F. Poder e taxas de erro tipo I dos testes Scott-Knott, Tukey e Student-Newman-Keuls sob distribuições normal e não normais dos resíduos. Revista de Matemática e Estatística, São Paulo, v. 21, n.1, p. 67-83, 2003.

BORTOLETTO, M; GUIMARÃES, P.V.C.; SILVA, R.G.; AKASAKI, J.L. Avaliação do resíduo cinza da madeira de eucalipto como substituição parcial da areia em argamassas de cimento. Revista Científica ANAP Brasil, v. 10, n. 18, p. 80-93, 2017.

FERREIRA, E.A; MANUEL, R. O.; BELINI, C. M. B. Melhoramento florestal e biotecnologia. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional S.A., 2017, 184p. ISBN 978-85-8482-854-8

TEIXEIRA, C. M.; MARTINS, M. P.; YAMAMOTO, H.; CHRISOSTOMO, W; YAMAJI,

F. M. Caracterização Química de Resíduos de Eucalyptus sp. De Floresta de Curta Rotação para a Produção de Bioenergia. Revista Virtual Química, vol. 8. nº 5, p. 1693-1701, 2016.

LAIRD, D. A. The charcoal vision: a win-win-win scenario for simultaneously producing bioenergy, permanently sequestration carbono, while improving soil and water quality. Agronomy Journal, v. 100, n, 1, p. 178-181, 2008.

MOTA, L. C. S.; FERREIRA, R. H. C.; FIGUEIRA, S. L.; MONTEL, A. L. B.; D’OLIVEIRA, M. C. P. E. Avaliação dos efeitos da adição de carvão ativado residual ao concreto. In.: ANAIS DO 59º CONGRESSO BRASILEIRO DO CONCRETO – 59CBC2017, Bento Gonçalves-RS, 2017.

RAMOS, F. V. Argamassas utilizando agregado leve à base de resíduo de carvão vegetal (RCV). 2015. Dissertação (Mestrado em Tecnologia de Materiais e Processos Industriais) – Universidade Freevale, FREEVALE, Brasil, 2015.

TEIXEIRA, R. F.; ANDRADE, P. C. R.; BONIFÁCIO, E. D. Análise estatística da resistência a compressão do concreto. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, v. 13, n. 1, p. 635-643, 2015.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-409

Refbacks

  • There are currently no refbacks.