Os benefícios da mobilização precoce em crianças internadas em Unidade de Terapia Intensiva: Uma Revisão Integrativa de Literatura (RIL)/The Benefits of Early Mobilization in Children in Intensive Care Unit: An Integrative Literature Review (RIL)

Wesley Anderson de Souza Miranda, Denilson da Silva Veras, Douglas Silva Ataíde, Isaac Figueira de Aquino, Rodrigo Silva de Lima

Abstract


Introdução: A mobilização precoce em crianças tem sido uma medida necessária para diminuir perdas funcionais sofridas durante a internação. Embora seja comum em adultos, mobilizar uma criança envolve estratégias diferenciadas, podendo ser este um dos motivos pelo qual sua prática é pouco desempenhada. Objetivo: Descrever os benefícios da mobilização precoce em pacientes pediátricos internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Metodologia: Trata-se de um estudo de revisão integrativa da literatura (RIL), descritivo e explicativo realizado por meio de busca nas bases de dados SciELO, PubMed e PEDro, relacionando os estudos que se enquadraram nos critérios de elegibilidade no período de 2010 a 2020. Resultados: As pesquisas demonstraram que as crianças mobilizadas tinham em média 1 a 18 anos e as atividades foram jogos de realidade virtual, cicloergômetro, deambulação e demais exercícios com foco na redução da imobilidade. Resultando em ganhos para membros superiores e inferiores, redução do período de ventilação mecânica e menor permanência na UTI Conclusão: Por mais que seja desafiadora, é importante realizá-la pois sua prática se mostrou viável, segura e eficaz no prognóstico da criança. Isso só será possível com métodos individualizados e intervenções que atraiam o interesse da mesma. A elaboração e utilização de protocolos se torna cada vez mais necessária para que seja possível intervir de forma efetiva durante os exercícios.


Keywords


Mobilização precoce, Unidade de terapia intensiva, Pediatria, Exercício, Reabilitação.

References


ABDULSATAR, Farah et al. "Wii-Hab" em crianças gravemente doentes: a pilot trial. : A pilot trial. Journal Of Pediatric Rehabilitation Medicine, [S.l.], v. 6, n. 4, p. 193-204, jan. 2013. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24705654/. Acesso em: 21 abr. 2020.

ANAND, Kanwaljeet Js et al. Tolerância e abstinência do uso prolongado de opioides em crianças gravemente enfermas. Pediatria, [S.I], v. 5, n. 125, p. 1208-1225, maio 2010. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20403936/. Acesso em: 24 abr. 2020.

ANDELIC, Nada et al. Um início precoce e uma cadeia contínua de reabilitação melhora o resultado funcional em longo prazo de pacientes com lesão cerebral traumática grave?. J Neurotrauma, Oslo, Noruega, v. 1, p. 66-74, 1 jan. 2012. DOI 10.1089 / neu.2011.1811. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/21864138/. Acesso em: 23 out. 2020.

ARTEAGA, Grace et al. O impacto do projeto de liberação de UTI pediátrica nos resultados do paciente: a experiência de mayo. Critical Care Medicine, [s. l.], v. 46, ed. 1, p. 628, 2018. DOI 10.1097 / 01.ccm.0000529292.49511.79. Disponível em: https://journals.lww.com/ccmjournal/Citation/2018/01001/1289__THE_PEDIATRIC_ICU_LIBERATION_PROJECT_IMPACT.1243.aspx. Acesso em: 22 out. 2020.

BETTERS, Kristina A. et al. Development and implementation of an early mobility program for mechanically ventilated pediatric patients. Journal Of Critical Care, [S.l.], v. 41, p. 303-308, out. 2017. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0883944117306470. Acesso em: 19 abr. 2020.

BUENO, Patrícia Curti; NEVES, Eliane Tatsch; RIGON, Angelita Gastaldo. O MANEJO DA DOR EM CRIANÇAS COM CÂNCER: contribuições para a enfermagem. CONTRIBUIÇÕES PARA A ENFERMAGEM. Cogitare Enfermagem, [S.l], v. 16, n. 2, p. 226-231, 30 jun. 2011. Universidade Federal do Parana. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v16i2.20307. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/20307. Acesso em: 26 abr. 2020.

CHOONG, Karen et al. Práticas de reabilitação aguda em crianças gravemente enfermas : um estudo multicêntrico. Medicina Pediátrica Para Cuidados Críticos, CanadÁ, v. 6, n. 15, p. 270-279, jul. 2014. Disponível em: https://insights.ovid.com/article/00130478-201407000-00026. Acesso em: 09 abr. 2020.

CHOONG, Karen et al. Mobilização na cama em crianças gravemente doentes: um estudo de segurança e viabilidade. : um estudo de segurança e viabilidade. J Pediatr Intensive Care, [S.I], v. 4, n. 4, p. 225-234, dez. 2015. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31110874/. Acesso em: 24 abr. 2020.

CHOONG, Karen et al. Exercício precoce em jovens e crianças gravemente enfermos, uma avaliação preliminar: o ensaio piloto do weecycle.: o ensaio piloto do wEECYCLE. Pediatr Crit Care Med, Hamilton, v. 11, n. 18, p. 546-554, nov. 2017. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28922268/. A cesso em: 24 abr. 2020.

DANTAS, Camila Moura et al. Influence of early mobilization on respiratory and peripheral muscle strength in critically ill patients. Rev. bras. ter. intensiva, São Paulo , v. 24, n. 2, p. 173-178, jun. 2012 . Disponível em . acessos em 27 maio 2020.

FELICIANO, Valéria de Araújo et al. A influência da mobilização precoce no tempo de internamento na Unidade de Terapia Intensiva. Assobrafir Ciência, Olinda, v. 2, n. 3, p. 31-42, ago. 2012. Disponível em:https://www.researchgate.net/publication/280158173_The_influence_of_early_mobilization_in_length_of_stay_in_the_Intensive_Care_Unit. Acesso em: 20 abr. 2020.

HERBSMAN, Jodi et al. Mobilização precoce na unidade de terapia intensiva pediátrica: uma iniciativa de melhoria da qualidade. Pediatr Qual Saf, [s. l.], v. 1, p. 256, 31 jan. 2020. DOI 10.1097 / pq9.0000000000000256. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC7056284/. Acesso em: 22 out. 2020.

HOPKINS, Ramona et al Transforming PICU Culture to Facilitate Early Rehabilitation. Journal Of Pediatric Intensive Care, [S.l], v. 04, n. 04, p. 204-211, 28 ago. 2015. Georg Thieme Verlag KG. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27134761/. Acesso em :24 Abr. 2020

JOYCE, Christine et al. Crenças dos profissionais sobre a mobilização precoce na unidade de terapia intensiva pediátrica. Revista de Enfermagem Pediátrica, [S.I], v. 1, n. 38, p. 15-19, jan. 2018. Disponível em: https://insights.ovid.com/pediatric-nursing/jpenu/2018/01/000/provider-beliefs-regarding-early-mobilization/4/00005212. Acesso em: 25 abr. 2020.

KUDCHADKAR, Sapna R.; YASTER, Myron; PUNJABI, Naresh M.. Sedation, Sleep Promotion, and Delirium Screening Practices in the Care of Mechanically Ventilated Children. Critical Care Medicine, [S.l.], v. 42, n. 7, p. 1592-1600, jul. 2014. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24717461/. Acesso em: 25 abr. 2020.

MIURA, Shinya et al. Normal Baseline Function Is Associated With Delayed Rehabilitation in Critically Ill Children. Journal of Intensive Care Medicine, p.0885066618754507, 2018. Disponivel em: . Acesso em: 21 Abr. 2020.

PARCHEM, Katie; PECK, Amanda; KATHERINE, Tales. Uma abordagem multidisciplinar ao uso de equipamentos na mobilização de pacientes pediátricos. Crit Care Nurs Q, [S.I], v. 3, n. 41, p. 330-339, jul. 2018.

POLLACK, Murray et al. Resultados de Terapia Intensiva Pediátrica : desenvolvimento de novas morbidades durante os cuidados críticos pediátricos. Medicina Pediátrica Para Cuidados Críticos, Eua, v. 9, n. 15, p. 821-827, nov. 2014. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25226501/. Acesso em: 09 abr. 2020.

RE, A.H.N.. Crescimento, maturação e desenvolvimento na infância e adolescência: Implicações para o esporte. Motri., Vila Real , v. 7, n. 3, p. 55-67, jul. 2011 . Disponível em . acessos em 27 maio 2020.

ROCHA, Francielli Ferreira da et al. Análise do desempenho motor e maturidade cognitiva de pré-escolares de Maringá (PR). Saude e Pesqui.(impr.), [S.I], v. 3, n. 9, p. 507-515, set. 2016. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-832990. Acesso em: 25 abr. 2020.

SARMENTO, George Jerre Vieira (org.). Fisioterapia Respiratória de A a Z. Barueri, Sp: Manole, 2016. 369 p.

SARTI,Tatiane Cristina; VECINA, Marion Vecina Arcuri; FERREIRA, Paulo Sérgio Nardelli. Mobilização precoce em pacientes críticos. J Health Sci Inst, Sorocaba, v. 3, n. 34, p. 177-82, jul. 2016. Disponível em: https://www.unip.br/presencial/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2016/03_jul-set/V34_n3_2016_p177a182.pdf. Acesso em: 19 abr. 2020.

SALISKI, Mary; KUDCHADKAR, Sapna R. Otimizando o gerenciamento da sedação para promover a mobilização precoce de crianças gravemente doentes. J Pediatr Intensive Care, [S.I], v. 4, n. 4, p. 188-193, set. 2015. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26702363/. Acesso em: 25 abr. 2020.

TSUBOI, Norihiko. Benefícios da mobilização precoce após o transplante hepático pediátrico. Pediatr Crit Care Med ., Tóquio, Japão, v. 2, p. 91-97, 2019. DOI 10.1097 / PCC.0000000000001815. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30489487/. Acesso em: 22 out. 2020.

WIECZOREK, B. et al. PICU Up!: Impact of a Quality Improvement Intervention to Promote Early Mobilization in Critically Ill Children. Pediatric Critical Care Medical, Mount Prospect, v. 17, n. 12, p. e559-e566, 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 Abr. 2020.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-394

Refbacks

  • There are currently no refbacks.