Casos de Hanseníase nas regiões Brasileiras / Leprosy cases in Brazilian regions

Marília Gabriela Muniz Arruda, Keila Tamires da Silva, Pérola Paloma Silva do Nascimento, Gisele Nayara Bezerra Da Silva, Romildo Luciano da Silva, Isvânia Maria Serafim da Silva Lopes

Abstract


O estudo teve por objetivo descrever casos de hanseníase nas regiões brasileiras. Foram feitas leituras exploratórias de todo o material pesquisado, selecionando aqueles que obedeceram ao tema proposto. Alguns critérios de exclusão foram adotados, como limite de tempo, sendo utilizado o período entre os anos de 2006 a 2015, excluindo artigos que ultrapassassem o período proposto, além de artigos que não apresentaram nenhuma relação com a temática estabelecida ou que estivessem redigidos em outras línguas. Os resultados desta pesquisa mostraram que ao longo dos anos foi possível observar que houve um decréscimo no número de casos registrados, porém os dados da região Nordeste ainda se mostram acima quando comparado com as demais regiões. Com base nestes resultados pode-se concluir que apesar dos avanços para o diagnóstico precoce e promoção do tratamento através de campanhas, a hanseníase ainda acomete um número significante de pessoas infectadas pelo agente etiológico desta patologia principalmente em regiões como Norte e Nordeste.


Keywords


Patologia, Diagnóstico, Tratamento, Atenção Básica

References


ALENCAR, C. H. M.; RAMOS J. R. A. N.; SENA NETO, S. A.; MURTO, C.; ALENCAR, M. J. F.; BARBOSA, J. C. Diagnóstico da hanseníase fora do município de residência: uma abordagem espacial, 2001 a 2009. Cad. Saude Pública. V. 28, n. 9, p. 1685-1698, 2012.

BRASIL, Ministério da Saúde. TABNET – DATASUS, Hanseníase - indicadores operacionais e epidemiológicos. Disponívelem:http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/sinannet/hanseniase/Planilhas_arquivos/sheet013.htm> Acesso em: 02 de jul. de 2018.

BRASIL, Ministério da Saúde. Vigilância em Saúde: situação epidemiológica da hanseníase no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2008 [cited 2012 Oct 24]. Disponível em: . Acessado em: 17 de jun. de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretária de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia para o Controle da Hanseníase. Cadernos de Atenção Básica – nº10. Ministério da Saúde. Brasília – DF. 2002.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Guia prático sobre a hanseníase [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. – Brasília – DF. Ministério da Saúde, 2017.

CABRAL-MIRANDA, W.; CHIARAVALLOTI NETO, F.; BARROZO, L. V. Socioeconomic and environmental effects influencing the development of leprosy in Bahia, northeastern Brazil. Trop Med Int Health., V. 19, n. 12, p. 1504–1514, 2014.

DA COSTA, Nayara Magda Gomes Barbosa et al. Perfil sociodemográfico e grau de incapacidade do portador de hanseníase em um centro de referência no estado do Ceará. Brazilian Journal of Development , v. 6, n. 6, 2020.

DESSUNTI, Elma Matias; SOUBHIA, Zeneide; ALVES, Elaine; ARANDA, Cristina Maria; BARRO, Maria Priscila Amed Ali. Hanseníase: o controle dos contatos no município de Londrina-PR em um período de dez anos. Rev. bras. enferm., v. 61, n. 1, p. 689-693, 2008.

Doenças Infecciosas e Parasitárias: Guia de Bolso. Ministério de Saúde. Brasília – DF. 2010.

FAÇANHA, Mônica Cardoso; PINHEIRO, Alicemaria Ciarlini; LIMA, José Rubens Costa; FERREIRA, Maria Lucy Landim Tavares; TEIXEIRA, Gisele Façanha Diógenes; ROUQUAYROL, Maria Zélia. Hanseníase: subnotificação de casos em Fortaleza - Ceará, Brasil. An. Bras. Dermatol., v. 81, n. 4, p. 329-333, 2006.

FERREIRA, Silvana Margarida Benevides; IGNOTTI, Eliane; GAMBA, Mônica Antar. Características clínico-laboratoriais no retratamento por recidiva em hanseníase. Rev Bras Epidemiol; v. 15, n.3, p. 573-81, 2012.

FREITAS, L. R. S.; DUARTE, E. C.; GARCIA, L. P. Leprosy in Brazil and its association with characteristics of municipalities: ecological study, 2009–2011. Trop Med Int Health., v. 19, n. 10, p. 1216–1225, 2014.

GALVÃO, F.T.; PEREIRA, G.M. Revisões sistemáticas da literatura: passos para sua elaboração. Epidemiol. Serv. Saúde, v. 23, n.1, p.183-184, 2014.

GONCALVES, Soraya Diniz; SAMPAIO, Rosana Ferreira; ANTUNES, Carlos Maurício de Figueiredo. Fatores preditivos de incapacidades em pacientes com hanseníase. Rev. Saúde Pública, v. 43, n. 2, p. 267-274, 2009.

GUSSO, Gustavo; LOPES, José Mauro Ceratti. Tratado de Medicina de Família e Comunidade-: Princípios, Formação e Prática. Artes Medicas, 2018.

HOLT, F.; GILLAM, S. J.; NGONDI, J. M. Improving access to medicines for neglected tropical diseases in developing countries: lessons from three emerging economies. PLoS Negl Trop Dis., v. 6, Issue 2, 2012.

IMBIRIBA, E. N. B.; SILVA NETO, A. L.; SOUZA, W. V.; PEDROSA, V.; CUNHA, M. G.; GARNELO, L. Social inequality, urban growth and leprosy in Manaus: a spatial approach. Rev Saude Publica. 2009.

KERR-PONTES, L. R. S.; BARRETO, M. L.; EVANGELISTA, C. M. N.; RODRIGUES, L. C.; HEUKELBACH, J.; FELDMEIER, H. Socioeconomic, environmental, and behavioural risk factors for leprosy in North-east Brazil: results of a case–control study. Int J Epidemiol. 2006.

KERR-PONTES, L. R. S.; MONTENEGRO, A. C. D.; BARRETO, M. L.; WERNECK, G. L.; FELDMEIER, H. Inequality and leprosy in Northeast Brazil: an ecological study. Int J Epidemiol. 2004.

LUNA, Izaildo Tavares; BESERRA, Eveline Pinheiro; ALVES, Maria Dalva Santos; PINHEIRO, Patrícia Neyva da Costa. Adesão ao tratamento da Hanseníase: dificuldades inerentes aos portadores. Rev. bras. enferm., v. 63, n. 6, p. 983-990, 2010.

MARTELLI, Celina Maria Turchi; STEFANI, Mariane Martins de Araújo; PENNA, Gerson Oliveira; ANDRADE, Ana Lúcia S. S. de. Endemias e epidemias brasileiras, desafios e perspectivas de investigação científica: hanseníase. Rev. bras. epidemiol., v. 5, n. 3, p. 273-285, 2002.

MONTEIRO, L. D.; MARTINS-MELO, F. R.; BRITO, A. L.; ALENCAR, C. H.; HEUKELBACH, J. Padrões espaciais da hanseníase no Tocantins, um estado hiperendêmico do Norte do Brasil, 2001-2012. Rev Saude Publica. 2015.

MURTO, C.; ARIZA, L.; ALENCAR, C. H.; CHICHAVA, O. A.; OLIVEIRA, A. R.; KAPLAN, C., et al. Migration among individuals with leprosy: a population-based study in Central Brazil. Cad Saude Publica. 2014.

NERY, J. S.; PEREIRA, S. M.; RASELLA, D.; PENNA, M. L. F.; AQUINO, R.; RODRIGUES, L. C. et al. Effect of the Brazilian conditional cash transfer and primary health care programs on the new case detection rate of leprosy. PLoS Negl Trop Dis. 2014;

NUNES, Joyce Mazza; OLIVEIRA, Eliany Nazaré; VIEIRA, Neiva Francenely Cunha. Hanseníase: conhecimentos e mudanças na vida das pessoas acometidas. Ciênc. saúde coletiva, v. 16, supl. 1, p. 1311-1318, 2011.

PINHEIRO, Mônica Gisele Costa; MIRANDA, Francisco Arnoldo Nunes de; SIMPSON, Clélia Albino; CARVALHO, Francisca Patrícia Barreto de; ATAIDE, Cáthia Alessandra Varela; LIRA, Ana Luisa Brandão de Carvalho. Compreendendo a “alta em hanseníase”: uma análise de conceito. Rev. Gaúcha Enferm., v. 38, n. 4, p. 1 - 8, 2017.

SOUZA, Eliana Amorim de; FERREIRA, Anderson Fuentes; BOIGNY, Reagan Nzundu; ALENCAR, Carlos Henrique; HEUKELBACH, Jorg; MARTINS-MELO, Francisco Rogerlândio; BARBOSA, Jaqueline Caracas; RAMOS JR, Alberto Novaes. Leprosy and gender in Brazil: trends in an endemic area of the Northeast region, 2001–2014. Rev. Saúde Pública, v. 52, n. 20, p. 1 – 12, 2018.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. A guide to eliminating leprosy as a public health problem. 2nd ed. Geneva, 1997.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Classification of leprosy. c2016. Disponível em: . Acesso em: 17 mai. 2018.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-387

Refbacks

  • There are currently no refbacks.