Utilização da Classificação de Robson na redução da taxa de cesárea / Use of the Robson Classification in reducing the rate of cesarean section

Bárbara Albino Cananéa, Gustavo Nunes de Mesquita, Larissa Cristine Coutinho, Luiz Henrique dos Santos Ribeiro, Lívia Xavier de Meirelles

Abstract


Objetivo: realizar uma revisão bibliográfica identificando as produções científicas sobre a Classificação de Robson. Método: para o desenvolvimento do estudo foi utilizada revisão integrativa da literatura, sendo utilizadas as seguintes bases de dados: SciELO, LILACS, BVS MS.  Resultados: Utilizou-se 7 estudos dos 55 selecionados para sua elaboração, 6 (85,7%) foram da base de dados LILACS, , e 1 (14,2%) do BVS MS, na base de dados SciELO não foi utilizado nenhum estudo.  Conclusão: Verificou-se a necessidade de mais estudos sobre a aplicabilidade da Classificação de Robson, devido à dificuldade de fundamentar a temática. Desta maneira tornasse necessário validar a relevância da temática na obstetrícia, desenvolvendo mais estudos, para que seja possível comprovar cientificamente sua efetividade de forma mais sólida.


Keywords


Classificação, Enfermagem Obstétrica, Cesárea.

References


ARAUJO, A. F. M.F . Avaliação de gestantes admitidas em um hospital público segundo a classificação de Robson Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 9, p.67660-67670 ,sep. 2020.

BRASIL. Diretrizes de Atenção à Gestante: a operação cesariana, N° 179, 2015.

FROTA, M. M. et al. Classificação de Robson: uma ferramenta para o monitoramento da saúde obstétrica. Investigación Cualitativa en Salud, 2019, v. 2, n. 2, p. 1817- 1824.

LEAL et al. Avanços na assistência ao parto no Brasil: resultados preliminares de dois estudos avaliativos, Cad. Saúde Pública, 35(7); 2019.

MOREIRA A. N. C ET AL. Capacitação de Diferentes Profissionais na Aplicação da Classificação de Robson. Rev Paul Enferm. 2019;30. repen.2019v30a3.

NAKAMURA-P. M. ET AL. O uso da classificação de Robson para avaliar a taxas de cesariana no Brasil: o papel da fonte de pagamento para o parto. Oct 17;13(Suppl 3):128. PubMed, 2016.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE - OMS. Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas. Genebra: Organização Mundial de Saúde, 2015.

RAMOS, A. S. M. B. et al. Assistência de enfermagem no pré-natal de baixo risco na atenção primária. Journal Of Management & Primary Health Care. 2018, v. 9, n. 3, p. 1-14.

RIBEIRO, L. B. Nascer em Belo Horizonte: cesarianas desnecessárias e prematuridade. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Escola de Enfermagem, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

SILVA, M. R. et al. Diagnósticos, resultados e intervenções de enfermagem no parto cesáreo. Revista enfermagem Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. 2018, v. 12, n.12, p. 3221-30.

VELHO et al. Modelos de assistência obstétrica na Região Sul do Brasil e fatores associados, Cad. Saúde Pública, 35(3); 2019.

WORLD HEALTH ORGANIZATION - WHO. Robson Classification: Implementation Manual. Geneva: World Health Organization, 2017. p. 1-56.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n11-358

Refbacks

  • There are currently no refbacks.