Avaliação da extensão dos processos de gestão de riscos em cooperativas de crédito do Estado de Santa Catarina / Evaluation of the extension of risk management processes in credit unions in the State of Santa Catarina

Bruna Casagrande, Josiane Brighenti, Citânia Aparecida Pilatti Bortoluzzi, Tiago Francisco de Camargo

Abstract


Esta pesquisa teve por objetivo analisar os processos de gestão de riscos em cooperativas de crédito de Santa Catarina. No que se refere à metodologia, foi realizada pesquisa descritiva, através de procedimentos de Survey, o instrumento para coleta de dados foi o questionário avaliado por escala likert com base na utilização de artefatos de controle dos riscos sendo 1 (pouco utilizado) até 7 pontos (muito utilizado); Amostra corresponde à 46 cooperativas de crédito. Os tratamentos dos dados obtidos foram tabulados em planilhas do Excel e analisados quantitativamente por meio de estatística descritiva. Como principais resultados constatou-se que os riscos com maior incidência nas instituições pesquisadas é o risco operacional com média de 5,43 e o risco de crédito com 5,52. Quanto analise do ambiente interno, os instrumentos mais utilizados pelas agências com 5,67 de média, foi o das responsabilidades bem definidas e identificadas; no quesito Identificação dos riscos na instituição a análise dos eventos externos e internos, foi avaliado em 5,87 pontos. Quanto as atividades de controle, a padronização de procedimentos evidenciou-se como mais útil para controle interno de riscos, com 5,74 de média. No que se refere ao monitoramento de riscos, o fator de avaliação e monitoramento das tarefas evidenciou uma média de utilização para amostra pesquisada de 5,02 pontos de 7.  Diante dos resultados conclui-se que as instituições pesquisadas possuem bons níveis dos processos de gestão de riscos na média geral da amostra de (5,00/7 = 71,42%), e que tais processos estão alinhados ao que é preconizado por Coso (2004).


Keywords


Riscos; Gestão de Riscos; Cooperativas de crédito

References


ASSI, M. Gestão de riscos com controles internos. 1.Ed. São Paulo: Saint paul, 2007.¬

BERNANKE, B. Crise Mostrou Falhas em Gestão de Risco. G1, São Paulo. 07 maio, 2009.

BRIGHENTI, J.; MULLER, S. H.; SILVA, M. Z.; Processos de Gestão de Riscos: Uma Análise de Cooperativas de Crédito de Livre Admissão. In: Congresso de Gestão e Controladoria da Unochapecó – COGECONT, 1, 2016, Chapecó, SC. Anais (on-line). Disponível em:

CAPELLETTO, R.; CORRAR, L. J. L. Índices de risco sistêmico para o setor bancário. Revista Contabilidade & Finanças – USP, 2008.

CERVO, A. L; BERVIAN, P. A. Metodologia Científica. 4. Ed. São Paulo: Makron Books, 1996.

CHAIA, A. J. Modelos de gestão do risco de crédito e sua aplicabilidade ao mercado brasileiro. Dissertação. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo, 2003.

COMMITTEE OF SPONSORING ORGANIZATIONS OF THE TREADWAY COMMISSION – COSO. Enterprise Risk Management – Integrated Framework: Executive Summary. 2004.

FIGUEIREDO, Anelice M. Banhara, et al. Caderno Metodológico. 2ª. ed. Xaxim: Celer Faculdades, 2008.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5ª. Ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GONÇALVES, R. M. L.; BORGES, C. R.; MOREIRA, N. P.; MENEZES, R. S. S.; MATOS, D. A. Livre admissão e risco de crédito em uma cooperativa do Alto Paranaíba. RACE: Revista de Administração, Contabilidade e Economia, v. 13, n. 1, p. 277-304, 2014.

GONÇALVES, R. M. L.; BRAGA, M. J. Determinantes de Risco de Liquidez em Cooperativas de Crédito: uma Abordagem a partir do Modelo Logit Multinomial. RAC - Revista de Administração Contemporânea, v. 12, n. 4, p. 1019-1041, Out./Dez. 2008.

HASSAN AL-TAMIMI, Hussein A.; MOHAMMED AL-MAZROOEI, Faris. Banks' risk management: a comparison study of UAE national and foreign banks. The Journal of Risk Finance, v. 8, n. 4, p. 394-409, 2007.

HUSSAIN, Hameeda, Abu; AL-AJMI, Jasim. Risk management practices of conventional and Islamic banks in Bahrain. The Journal of Risk Finance, v. 13, n. 3, p. 215-239, 2012.

JORION, P. Value at risk: the new benchmark for controlling market risk. New York: McGraw-Hill, 1997.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto relatório, publicações e trabalhos científicos. 4ª. ed. São Paulo: Atlas, 1992.

MATIAS, F. J. F. Impacto da gestão de riscos nas instituições financeiras. O caso da banca portuguesa. Dissertação. Mestrado em contabilidade e finanças. Instituto politécnico de Setúbal, Escola Superior de Ciências Empresariais. Setúbal, 2012.

MIKES, A. Risk management and calculative cultures. Management Accounting Research. v. 20 n. 1, p. 18-40, Mar 2009.

________. From counting risk to making risk count: Boundary-work in risk management. Accounting, Organizations and Society. v. 36, p. 226–245, 2011.

PENA, M. F. O Papel da Gestão de Risco por parte das Instituições Bancárias e Financeiras na Crise Financeira de 2007 – 2009. Dissertação. Mestrado em Economia Monetária e Financeira. Instituto Universitário de Lisboa, Departamento de Economia Política. Lisboa, Portugal, 2013.

RAMPAZZO, S. E.; CORRÊA, F. Z. M. Desmitificando a metodologia científica: guia prático de produção de trabalhos acadêmicos. Erechim, RS: Habilis, 2008.

RÊGO, P. H. F. A Gestão do Riscos em Instituições Bancárias: Uma análise com Recurso a Medidas de Avaliação da Performance Ajustadas ao Risco. Dissertação. Mestrado em Auditoria. Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto. Instituto Politécnico do Porto. Porto, Portugal, 2014.

ROESCH, S. M. A. Projeto de estágio e de pesquisa em administração: guia para estagiários, trabalhos de conclusão, dissertações e estudos de caso. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SANTOS, E. O. Administração financeira da pequena e média empresa. São Paulo: Atlas, 2001.

SILVA, J.P da. Gestão e Análise de Risco de Crédito. São Paulo: Atlas, 2000.

SOARES, M.M.; SOBRINHO, A.D.M. O papel do banco central e a importância do cooperativismo de crédito. 2 Ed. Rev. BCB: Brasília, 2008.

TRAPP, A. C. G; CORRAR, L. J.. Avaliação e gerenciamento do risco operacional no Brasil: análise de caso de uma instituição financeira de grande porte. Rev. contab. finanç. São Paulo , v. 16, n. 37, p. 24-36, Apr. 2005.

VALE, C. A. M. P. Gestão de Riscos. Caso da Sonae Indústria. Dissertação. Mestrado em auditoria. Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto. Instituto Politécnico do Porto. Porto, Portugal, 2011.

WANG, T.; HSU, C. Board composition and operational risk events of financial institutions. Journal of Banking & Finance, v. 37, p. 2042–2051, 2013.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv4n4-200

Refbacks

  • There are currently no refbacks.